Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Contem conosco

Contem conosco

08/04/2020 João Carlos Marchesan

Estamos vivendo um momento particularmente difícil no País como um todo e na indústria em particular.

Com essa consciência, temos envidado todos os esforços no sentido de minimizar os efeitos deletérios que a pandemia coronavírus está trazendo a todos os brasileiros.

Se até o presente momento, a ABIMAQ considerava importante uma interlocução com os governos federal e estaduais, agora, com o momento que estamos vivendo, essa importância foi multiplicada.

Diariamente temos divulgado as medidas que julgamos os governos deveriam adotar e aquelas que tem sido adotadas e quais os impactos que o nosso setor vai sofrer, bem como quais as nossas ações para impedir prejuízos ainda maiores.

Temos um canal aberto com o governo federal e sabemos que muitas das medidas anunciadas pelo tiveram origem em nossos estudos e trabalhos.

Temos tido muitas interlocuções com o governo, reuniões, correspondências, telefonemas e etc. Disponibilizamos nossos materiais com análises e possíveis consequências de um período prolongado de dificuldades econômicas, causadas pela pandemia do Covid-19.

O SINDIMAQ e a ABIMAQ estão atuando junto às autoridades fornecendo dados e sugestões para o efetivo combate aos efeitos deletérios da crise, atuando especificamente na manutenção das nossas atividades; manutenção do emprego e medidas para estimular a demanda.

Solicitamos desde dilatação do prazo para pagamentos dos impostos federais por um período de 120 a 180 dias, até autorização para parcelamento de salários por um período determinado, incluindo o adiamento do pagamento dos encargos sobre a folha de pagamento.

Entendemos que medidas como Lay Off e redução de jornada com redução proporcional de salários são medidas fundamentais para a manutenção dos empregos.

A necessidade de crédito também fez parte das nossas sugestões. Capital de Giro para folha de pagamentos, fornecedores e impostos são vitais.

Entendemos que o BNDES, que possui R$ 140 bilhões em caixa, pode e deve fazer muito mais do que anunciou até aqui.

Outra medida que sugerimos ao governo federal e aos governos estaduais é o adiamente de recolhimento de impostos por 90 dias.

Entendemos que dada a importância da crise e a falta de previsibilidade que os empresários estão trabalhando, os governos deveriam fazer bem mais do que fizeram até agora sob pena de haver muitos problemas com a sobrevivência das empresas e um colapso da economia.

Na esfera sindical, representantes do SINDIMAQ – Sindicato Nacional da Indústria de Máquinas estão se reunindo constantemente com representantes da Força Sindical e da CUT, negociando questões relacionadas a manutenção de empregos, Lay Off, Redução de Jornada, antecipação de férias, banco de horas e etc.

Sugerimos ainda ao governo retomar em caráter emergencial os investimentos públicos nas obras de infraestrutura que estão paradas desde o início da crise da operação “Lava Jato”, priorizando aquelas com alto poder multiplicador do emprego e renda, já que acreditamos que isto poderia ser gerenciado por um gabinete de crise, com poderes para destravar o rápido início destas obras, que não dependem de projetos ou de licenciamentos sempre morosos e complexos.

Diariamente nos dedicamos à tarefa de interpretar e passar a todos os associados todas as medidas econômicas emergenciais voltadas às empresas e acreditamos sinceramente que se essas medidas forem implementadas rapidamente e de forma eficiente os efeitos do coronavírus sobre a economia brasileira poderão ser atenuados.

* João Carlos Marchesan é administrador de empresas, empresário e presidente do Conselho de Administração da ABIMAQ.

Fonte: Vervi Assessoria



8 de janeiro

Venho aqui versar a defesa Dos patriotas do “mal”

Autor: Bady Curi Neto


Aborto legal e as idiossincrasias reinantes no Congresso Nacional

A Câmara dos Deputados, em uma manobra pouco ortodoxa do seu presidente, aprovou, nessa semana, a tramitação em regime de urgência do Projeto de Lei nº 1904/2024, proposto pelo deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), integrante da ala bolsonarista e evangélica, que altera, sensivelmente, as regras de tratamento do crime de aborto.

Autor: Marcelo Aith


Há solução para as enchentes, mas será que há vontade?

Entre o fim de abril e o início de maio de 2024, a maior tragédia climática da história se abateu sobre o Rio Grande do Sul.

Autor: Alysson Nunes Diógenes


Primeiro semestre: como estão as metas traçadas para 2024?

O que mais escutamos nas conversas é: “Já estamos em junho! E daqui a pouco é Natal!”

Autor: Elaine Ribeiro


Proliferação de municípios, caminho tortuoso

Este é um ano de eleições municipais no Brasil. Serão eleitos 5.570 prefeitos, igual número de vice-prefeitos e milhares de vereadores.

Autor: Samuel Hanan


“Vaquinha virtual” nas eleições de 2024

A campanha para as eleições municipais de 2024 ainda não foi iniciada de fato, mas o financiamento coletivo já está autorizado.

Autor: Wilson Pedroso


Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan