Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Contra a legalização das drogas

Contra a legalização das drogas

10/10/2014 Roberto Lacerda Barricelli

Sou contra a legalização das drogas, onde quer que seja. As drogas devem ser liberadas, sem restrições, jamais legalizadas, pois a legalização retira as drogas do controle do crime organizado, representado por traficantes, e coloca sob a tutela da maior máfia existente, o estado.

Pior que isso, institui um monopólio no setor, deixando-o apenas nas mãos daqueles empresários amigos do Rei, ou seja, com ótimas conexões com o governo. O que temos é um setor protegido, altamente regulamentado, provavelmente com impostos pesados (igual o de cigarros) e que fomentará a existência do mercado negro.

Diferente do cigarro, ou do setor de bebidas alcoólicas, o mercado negro das drogas tende a ser muito pior. O mercado negro de cigarros se resume, basicamente, ao pessoal que compra aqueles cigarros paraguaios e vendem pelas ruas a R$2, ou R$3 no máximo. A possibilidade de que essas pessoas tenham um aparato bélico e altamente violento é mínima, já o mundo das drogas...

Em resumo, o estado coloca as drogas sob sua tutela, entrega um monopólio aos seus amigos e ainda mantém a existência de traficantes, pois um setor altamente regulamentado, sem livre concorrência e com impostos pesados (que provavelmente sejam "legitimados" com um discurso de direcionamento dos impostos para setores de saúde e educação) obviamente terá produtos com preços altos e qualidade duvidosa, o que permite ao mercado negro oferecer, no mínimo, o mesmo produto de qualidade duvidosa, mas bem mais barato.

Esses empresários não competirão com os traficantes, ao invés disso, a tendência é de que se agarrem ao estado, pedindo ao governo para que intervenha e elimine esses concorrentes. A Guerra as drogas não só será mantida, como tende a ser muito pior; e nós bancaremos isso, pois o dinheiro usado pelo governo não está em marte, sai dos nossos bolsos.

Alguém sempre terá que pagar a conta pelas aventuras estatais e sempre serão os pagadores de impostos, ou através de impostos direitos, ou de inflação (imposto inflacionário), com o governo imprimindo dinheiro sem lastro em poupança, ou reservas, acima da demanda existente, para bancar seus gastos, desvalorizando assim a unidade monetária (no nosso caso, o real) e gerando uma inflação de preços (que é causada pela necessidade do empresário e/ou empreendedor de repor a perda do valor da moeda, aumentando o preço de seu produto ou serviço, ou seja, fazendo com que seja necessário dispormos de mais unidades de tal moeda em proporção igual ou superior ao percentual de desvalorização da mesma).

É por isso que sou contra a legalização das drogas, pois ao invés de promover um livre mercado, no qual o traficante (em regra) não terá condições de competir com empresários e/ou empreendedores e falirá, há uma estatização da droga, instituição de monopólios de amigos do governo e fomento a um mercado negro ainda mais perigoso, que exigirá maiores gastos estatais, mais impostos, mais inflação e menor qualidade de vida e perspectiva de renda para os cidadãos. Não é preciso de uma bola de cristal para visualizar esse cenário, basta uma análise lógica honesta dessa situação e seus possíveis desdobramentos.

*Roberto Lacerda Barricelli é Jornalista, Assessor de Imprensa do Instituto Liberal.



O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder


O gato que caiu dentro das latas de tinta

Todas as histórias começam com Era uma Vez… A minha não vai ser diferente.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Apesar da polarização radical, brasileiros não abrem mão da Democracia

Desde as eleições presidenciais de 2018, temos percebido a intensificação da polarização política no país, com eleitores cada vez mais divididos.

Autor: Wilson Pedroso