Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Criar mais municípios é repartir a miséria

Criar mais municípios é repartir a miséria

05/06/2013 Dirceu Cardoso Gonçalves

O projeto que facilita a criação de municípios foi aprovado nesta terça-feira (04/06) pela Câmara dos Deputados.

Existem protocolados, nas Assembleias Legislativas estaduais, 397 pedidos de criação de novas cidades, mas, segundo a Confederação Nacional dos Municípios, há dois anos já haviam 807 iniciativas de emancipação, o que representa quase 15% do total de municípios existentes no território nacional.

Só isso geraria pelo menos 8877 novos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereadores, sem contar os diretores e assessores que as novas prefeituras e câmaras exigiriam para poder funcionar. O projeto aprovado exige que, para criar um município, seja apresentado o pedido à Assembleia Legislativa, assinado por 20% dos eleitores da área geográfica envolvida. E que a Assembleia elabore, em 180 dias, um levantamento de viabilidade econômica, contendo rendas próprias e as disponibilidades de recursos para o lugar ter vida independente.

Se a pretensão for aprovada nessa fase, a população será chamada para um plebiscito e só depois disso ocorrerá a criação da nova municipalidade, que se instalará nas eleições seguintes. A prática emancipatória do passado é desastrosa.

Distritos sem condições foram transformados em municípios, por critérios puramente políticos, e hoje têm como principais rendas o federal FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e as cotas do estadual ICMS (Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). E desses recursos tiram o dinheiro para pagar os salários de seus prefeitos, vices, vereadores, diretores, assessores e outros servidores inexistentes quando distrito. Melhor seria que esse recurso fosse aplicado em serviços públicos.

Salvo exceções, a emancipação em nada melhorou a vida da população. O quadro ficou tão difícil que, em 1996, foram impostas as regras mais rígidas para a criação e instalação de municípios, que o projeto em tramitação pelo Congresso pode vir a afrouxar. Todo administrador municipal reclama a falta de meios para atender às necessidades de seu governo. Os recursos orçamentários têm 40% destinados obrigatoriamente à Educação e Saúde.

Dos 60% restantes, até 54% podem ser aplicados para o pagamento de salários e encargos do funcionalismo. Restam apenas 6% para manutenção e investimentos. Para qualquer obra, o prefeito é obrigado a recorrer ao Estado e à União e, muitas vezes, a “vender-se” politicamente em troca das migalhas vindas das capitais. E o povo reclama da má prestação dos serviços!

O projeto emancipador vai agora para o Senado. Espera-se que os senadores atentem bem para a problemática municipal. Em vez de criar novos municípios, o ideal seria resolver os problemas dos já existentes. Lembrem-se que 88% dos municípios não conseguem pagar seus encargos à Previdência Social e 40% não têm meios de destinar corretamente o lixo produzido pela sua população.

Criar novas administrações sem resolver os problemas das atuais é o mesmo que repartir a miséria. O mesmo bolo terá de ser picado num maior número de fatias que, por uma razão física, serão menores que as atuais...

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).



Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann