Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Cuidados com o Imposto de renda enquanto o futuro não vem

Cuidados com o Imposto de renda enquanto o futuro não vem

29/03/2013 Vagner Jaime Rodrigues

Num futuro não muito distante, os brasileiros terão apenas de validar a declaração do Imposto de Renda, que será preparada pela própria Receita Federal.

Porém, enquanto esse leão cibernético não vem, é necessário que cada contribuinte elabore proativamente o seu documento anual de prestação de contas ao fisco. Na elaboração desse trabalho, cujo prazo de entrega é 30 de abril, é preciso muito cuidado.

Há mudanças inseridas na declaração das pessoas físicas que requerem todo o zelo no exercício de preenchimento. Atenção especial aos detalhes contidos nos itens relativos aos pagamentos feitos e doações realizadas. Esse detalhamento todo introduzido pela Receita Federal relativo às informações passadas nas declarações feitas pelas empresas às quais os consumidores e usuários de serviços fizeram seus pagamentos ao longo do ano, complica a vida das pessoas físicas e pode resultar no aumento do número de peixes contribuintes capturados pela malha fina do Leão.

De fato, o questionamento por parte do fisco perante os contribuintes pessoas físicas cresce na mesma proporção em que se vai tornando mais complexa a legislação. Atualmente, diversificam-se as regras de tributação sobre operações de aplicações financeiras, investimentos em participações societárias, vendas de bens imóveis e móveis e doações, dentre outras operações diversas.

Assim, ao preencher a declaração, seja qual for o modelo, simplificado ou não, devemos nos certificar de que a legislação está sendo aplicada corretamente e que a declaração, eventualmente errada, não acabará gerando dissabores para o contribuinte pessoa física. O problema é que a maioria dos cidadãos não tem conhecimento para avaliar os quesitos legais de cada transação financeira ou de consumo que efetuaram e se a maneira como lançam isso em sua declaração estão em conformidade com as normas e a legislação.

São incertezas e dúvidas que sempre surgem na preparação e entrega da declaração anual. Diante dos riscos, sempre que possível é importante contar com a assessoria de profissionais capacitados, não só na hora de prestar contas ao Leão, mas durante todo o ano, na análise de cada operação que resulte em tributação.

Com isso, seriam significativamente mitigados os riscos e, o que é muito importante, otimizadas as restituições quando estas são pertinentes e racionalizado o montante dos impostos a serem recolhidos. Muitas vezes, por desconhecimento, paga-se mais do que o devido e se recebe menos do que o justo!

Assim, enquanto o futuro não chega, trazendo declarações prontas do Imposto de Renda, apenas para serem validadas pelos contribuintes, é preciso fazer com eficácia a lição anual de nossa prestação de contas à Receita Federal. Como já pagamos impostos demais no Brasil, é necessário fazer isso direito, porque ninguém merece a malha fina.

*Vagner Jaime Rodrigues é mestre em contabilidade, professor universitário, sócio da Trevisan Gestão & Consultoria e da Efycaz Trevisan – Aprendizagem em Educação Continuada.



O desafio da exigência de êxito

O famoso “Poema em Linha Reta” nos diz que todos os conhecidos do poeta eram verdadeiros campeões em tudo, sem derrotas ou fracassos.


Mudança nas relações humanas faz parte de realidade pós-pandemia nas empresas

“Nada é permanente, exceto a mudança”. “Só sei que nada sei”. “A única constância é a inconstância”.


Dia do Panificador, o pão e a fome

Oito de julho é o Dia do Panificador. Profissão humilde, raramente é lembrada.


O valor de uma obra

Naquela fria e sombria manhã de Inverno, do ano de 1967, estava à porta da “Livraria Silva”, na Praça de Sé, quando passa, de reluzentes divisas doiradas, o sargento Mário.


A pandemia, as perdas e o novo mundo

Apesar de, infelizmente, ter antecipado o fim da vida de 64,9 mil brasileiros e ainda estar por levar milhares de outros e prejudicar muitos na saúde ou na economia (ou em ambos), o coronavírus pode ser considerado um novo divisor de águas na sociedade.


7 dicas para se profissionalizar na comunicação virtual

De repente, veio a pandemia, a quarentena e, com elas, mudanças na rotina profissional e na forma de comunicação.


O sacrifício dos jovens

Mais de cem dias depois, a pandemia vai produzindo uma cauda longa de desarranjos que se fará sentir por muitos anos e esses efeitos vão atingir, principalmente, os mais jovens.


A “nova normalidade”

A denominada “nova normalidade” não venha nos empobrecer em humanidade.


A inevitável necessidade de prorrogação do auxílio emergencial

Recentemente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o governo vai prorrogar por dois meses o pagamento do auxílio emergencial.


A empatia como chave para gestão de entregas e pessoas

Uma discussão que acredito ser muito pertinente em tempos de pandemia é como ficam, neste cenário quase caótico, as entregas?


Mass-Media “mascarada”

A semana passada, aventurei-me a sair, para um longo passeio, na minha cidade. Passeio a pé, porque ainda não frequentei o transporte público.


A quarentena e as artes

Schopenhauer foi um filósofo que penetrou no âmago do mundo.