Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Defensoria Pública da União x Conselho Federal de Medicina

Defensoria Pública da União x Conselho Federal de Medicina

21/10/2021 Bady Curi Neto

A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou Ação Civil Pública contra o Conselho Federal de Medicina (CFM), objetivando a condenação por danos morais coletivos no importe, pasmem senhores leitores, não inferior a R$ 60.000.000.00 (sessenta milhões de reais).

A ação proposta fundamenta-se ao argumento de que o CFM, em seu parecer 04/2020, publicado em 23/05/2020, considerou a utilização do uso do medicamento Cloroquina e Hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19, constando que “Diante da excepcionalidade da situação e durante o período declarado da pandemia, não cometerá infração ética o médico que utilizar cloroquina ou hidrocloquina”, nos termos do parecer. 

O parecer consta, ainda, que “O princípio que deve nortear o tratamento do paciente portador da Covid-19 deve basear na autonomia do médico-paciente, sendo esta mais próxima possível, com objetivo de oferecer o melhor tratamento médico disponível no momento.”

Em razão do parecer voltado única e exclusivamente para médicos, a douta Defensoria Pública atribui ao CFM os danos porventura sofridos por milhares de pessoas por terem utilizado tais medicamentos, sem eficácia científica demonstrada.

Esqueceu-se a DPU que a ciência de hoje pode ser a insciência do amanhã, como ocorrido com tantos medicamentos. A autonomia médica deve ser respeitada, principalmente diante de uma doença que não existia à época, provas científicas de cura ou prevenção.

É de bom alvitre lembrar que o parecer foi dado no início do ano passado, quando o uso de tais medicamentos não tinham sua ineficiência cientificamente comprovada, sendo, naquela ocasião, uma alternativa, na busca de uma solução para mitigar os efeitos da nefasta Covid-19.

Hoje, entenderia a iniciativa da DPU acaso a ação objetivasse a suspensão do parecer, mas pleitear indenização em valores estratosféricos, a meu ver, fere de morte princípios de direito como a proporcionalidade e razoabilidade.

Diz a DPU “milhares de pessoas, talvez milhões, foram tratadas com cloroquina no país, seja por automedicação, seja por prescrição médica com o consentimento do paciente, seja por exigência do paciente. Não importa. Todas essas pessoas, ao acreditar na orientação enganosa do CFM sobre a cloroquina, foram por ele induzidos a erro, o que contribuiu pelos danos sofridos.”

É de se perguntar: De onde a DPU tirou estes dados? Cadê a comprovação ou estudo de milhões e milhares de pessoas?

Ao que parece a argumentação é apenas especulativa, se não falaciosa, para justificar a injustificável indenização por danos morais.

A argumentação utilizada para tentar dar sustentação aos danos morais por pessoas tratadas pela cloroquina não há nenhuma evidência, seja estatística, seja científica, do número de indivíduos, não passando de uma narrativa argumentativa.

Em outro argumento, a DPU parece deixar transparecer seu viés ideológico; “CFM infelizmente trilha o caminho ideológico para dar suporte a um governo que teve a pior condução no enfrentamento da pandemia, que trabalhou pela frustração de medidas de restrição de circulação, que buscou imunidade de rebanho ao custo de milhares de vidas, que não implementou política de rastreamento de infectados e que continua a não estimular a vacinação e adoção de medidas de prevenção.”

Inconcebível, data vênia, que a Defensoria mova a máquina estatal na defesa de posicionamento político, utilizando de uma ação judicial, com o respeito devido, para criticar (como no caso) ou mesmo apoiar o Governo.

A irrestrita observância das funções das Instituições deve ser verificada com o rigor necessário, sob pena de desvirtuamento das atribuições Institucional. Com a palavra os leitores e o Poder Judiciário.

Tenho dito!

* Bady Curi Neto é advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) e professor universitário.

Para mais informações sobre danos morais coletivos clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte Naves Coelho Comunicação



O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves