Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dez fatos usuais que minam o bom atendimento

Dez fatos usuais que minam o bom atendimento

16/07/2013 José Worcman

O consumidor vem se tornando cada vez mais exigente.

Os clientes possuem mais conhecimentos, possibilidades e condições de avaliar os serviços prestados, e ainda comparar os estabelecimentos.

E essa comparação não acontece somente em um segmento. É usual vermos a mesma pessoa opinando sobre restaurantes, hotéis, cinemas, estacionamentos e diversos outros locais.

No entanto, mesmo com toda essa percepção e o aumento das exigências de bons padrões no atendimento, existem pequenas coisas que ainda incomodam esses clientes.

Após muitos estudos com técnicas de avaliação de atendimento em estabelecimentos, abaixo relaciono os dez casos mais recorrentes que incomodam e tiram todo o prazer da refeição.

1. Dificuldades para chamar a atenção do garçom: Ao entrar em um restaurante e sentar à mesa, talvez não exista nada mais desagradável do que tentar realizar o pedido e sequer conseguir chamar o garçom. A atenção e o pronto atendimento devem ser levados muito em conta.

2. Não chamar o cliente pelo nome enquanto efetua a reserva: O cliente não quer somente um bom atendimento, ele preza por personalização. Quando chamado pelo nome, o cliente se sente mais importante.

3. Não acompanhar os clientes à mesa: Este é um fator muito frequente. Voltando ao ponto de personalização no atendimento, o simples ato de ser acompanhado à mesa já é extremamente relevante para a ambientação ao estabelecimento. Normalmente, o cliente entra, escolhe a mesa para se sentar e fica à espera do garçom.

4. Não ajudar a acomodar os pertences dos clientes: Mais um caso de tratamento diferenciado ao cliente. Bolsas, paletós, casacos, entre outras peças, normalmente são ajeitadas, e quase sempre de forma indevida, pelo próprio cliente. No entanto, o correto não é a bolsa ficar pendurada na cadeira, ou o casaco exposto a odores de comida, e sim terem uma acomodação específica no restaurante.

5. Demora no prato: É extremamente desagradável para o cliente ter aquela sensação de esquecimento ou abandono. Muitas vezes, quando o prato tem uma demora maior a sair, o cliente fica “ao Deus dará”. O ideal é que sempre haja um acompanhamento por parte do garçom.

6. Conversa paralela entre os funcionários: Outro fator que causa certo desconforto nos clientes é a constante conversa entre os funcionários. Bate-papos que não sejam relacionados ao serviço devem ser evitados, para não causar a sensação de que estão falando do próprio cliente ou que não estão dando a mínima importância para a presença dele no estabelecimento.

7. Falta de domínio do menu: Um ponto crucial para o bom atendimento é o conhecimento que o garçom tem para indicar e tirar dúvidas sobre os pratos e outros itens do cardápio. Na maioria das vezes, os garçons não detêm o conhecimento necessário do menu e acabam deixando o cliente mais confuso ou insatisfeito.

8. Falta de sorrisos: Nada pior do que ser atendido por alguém de mau humor. A cara fechada dos atendentes acaba minando os serviços e a avaliação do estabelecimento por um cliente. Frequentes são os casos nos quais o consumidor deixa de frequentar o restaurante devido ao fato de todos ou alguns dos atendentes estarem trabalhando insatisfeitos.

9. Não despedir-se e agradecer os clientes: Os costumes de etiqueta apontam que sempre devemos nos despedir e agradecer as pessoas. E isso em um restaurante é ainda mais fundamental. Esse é mais um item da longa lista de personalização de atendimento.

10. Modificações no carro: Na hora de ir embora, após ter tido uma boa, ou má, experiência no atendimento, outra coisa extremamente desagradável é encontrar o carro com modificações após recebê-lo de volta do manobrista. Mudanças na postura do banco, umidade das mãos do valet, troca de estações de rádio, CDs e até ar-condicionado ligado são alguns exemplos de atitudes que desagradam o cliente.

* José Worcman, Sócio-Diretor da OnYou, uma das principais empresas especializadas em qualidade de serviços no país, que conta com 30 mil clientes ocultos que são treinados especialmente para avaliar estabelecimentos.



Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso