Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dia das Crianças: qual a melhor forma de comemoração?

Dia das Crianças: qual a melhor forma de comemoração?

12/10/2013 Daniele Vilela Leite

Comemore você também esse dia, pois todo adulto tem uma criança adormecida dentro de si!

O Dia das Crianças foi “criado” no Brasil em 1920, quando o deputado federal Galdino do Valle Filho teve a ideia de uma data para homenagear as crianças. O 12 de outubro seria oficializado como dia da criança em 1924 pelo então presidente Arthur Bernardes.

Mas foi somente depois da parceria entre a fábrica de brinquedos Estrela e a Johnson & Johnson, em 1960, com o lançamento da ‘Semana do Bebê Robusto’ para aumentar as vendas, que essa data passou a ser comemorada em todo o país. 

Em 20 de novembro de 1959, a UNICEF oficializou a Declaração Universal dos Direitos da Criança e, a partir de então, tal data passou ater outro sentido na maioria dos países do mundo. Entre outras coisas, a Declaração estabelece que toda criança deve ter proteção e cuidados especiais antes e depois do nascimento. Desde então, o 20 de novembro passou a ter ser considerado o Dia das Crianças em muitos países.

Em outros, como Japão, Moçambique, Nova Zelândia e Turquia, o Dia das Crianças é comemorado em diferentes datas.

O “Dia das Crianças” é uma das principais datas para o comércio. Os pais vão à loucura tentando agradar seus filhos, comprando os presentes caros e sofisticados, enquanto estes ficam na expectativa do que irão ganhar. Os pais enchem seus filhos de presentes, principalmente brinquedos eletroeletrônicos - aparelhos que muitas vezes não são compatíveis com a real idade deles.

Por diversas vezes, queremos, com presentes materiais, compensar nossa ausência e a falta de tempo com nossos filhos. Mas, isso realmente funciona? A criança se sente valorizada ao ganhar um presente?

Não, isso não acontece! Sejamos realistas. A criança pode e vai ficar feliz com o novo presente, mas isso não é suficiente. Crianças precisam da presença dos pais e/ou responsáveis e não devemos usar desculpas como “não tenho tempo”; “chego tarde em casa”; ou ainda “estou sempre cansado, pois trabalhei o dia todo”.

Essa é a realidade de pais e também muitas mães de família que trabalham fora o dia todo e quando chegam em casa, ainda tem de cumprir uma “segunda” jornada de trabalho, além de cuidar, dar atenção aos filhos e auxiliá-los nas atividades escolares.

Que tal mudarmos essa realidade neste ano? Vamos aproveitar essa data tão especial e não apenas dar presente, mas “ser presente” na vida de nossas crianças.

Isso fará um bem enorme a eles e, pode ter certeza, a você também! Faça um passeio com seu filho; vá a um parque fazer um piquenique, jogar bola, andar de bicicleta, assistir a um filme no cinema ou em casa, com pipocas e guloseimas, vá ao teatro; enfim, ofereça a eles uma atividade conjunta, um momento que ficará guardado na memória.

Pense em algo que seja prazeroso e divertido, e depois pense que isso poderá ficar como uma lembrança alegre e marcante. Brinquedos? Eles podem quebrar ou se tornar algo sem graça, ficando jogado em um canto. Mas as melhores lembranças ficarão para sempre!

Então, neste “Dia das Crianças”, ofereça ao seu filho, o melhor presente que ele poderá ganhar: VOCÊ!

E Feliz Dia das Crianças! Comemore você também esse dia, pois todo adulto tem uma criança adormecida dentro de si!

* Daniele Vilela Leite é Analista de Produto na empresa Planeta Educação



Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira