Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dia de Ogum, sincretismo religioso e a resistência da umbanda no Brasil

Dia de Ogum, sincretismo religioso e a resistência da umbanda no Brasil

22/04/2024 Marlidia Teixeira e Alan Kardec Marques

Os Orixás ocupam um lugar central na espiritualidade umbandista, reverenciados e cultuados de forma a manter viva a conexão com as divindades africanas, além de representar forças da natureza e aspectos da vida humana.

Essa sincretização reflete a maneira como a Umbanda se desenvolveu no Brasil, mesclando elementos da cultura africana com aspectos do catolicismo.

Entre os Orixás mais venerados está Ogum, também conhecido pelos católicos como São Jorge, o santo guerreiro; ambos celebrados no dia 23 de abril.

Ogum é um guerreiro que sempre luta pelos verdadeiros sentidos da razão. Ele conta com a ajuda de cavaleiros ao seu redor, para não somente protegê-lo, mas cumprir missões que envolvem praticar o bem interno e ao próximo.

A frase "Ogum faz e Ogum mostra" reflete o compromisso dos umbandistas de mostrar que ele está presente para cuidar e expor o que está sendo feito, assim como os resultados de sua dedicação no auxílio prestado.

Consciente das necessidades de cada um, Ogum se empenha em amparar a todos de forma que não interfira em suas jornadas, tanto encarnados quanto desencarnados.

Mas a data, além de ser uma forma de comemorar a existência deste importante Orixá, também chama atenção para a importância de valorização e promoção dos Terreiros Umbandistas, símbolo da diversidade cultural e religiosa do país.

Através de suas práticas, esses espaços contribuem para a manutenção de tradições ancestrais e para a disseminação de conhecimentos sobre a espiritualidade afro-brasileira.

No entanto, os seguidores da Umbanda ainda enfrentam obstáculos e desafios, principalmente no que diz respeito à discriminação e à incompreensão por parte de setores mais conservadores da sociedade.

A intolerância religiosa é uma realidade que precisa ser combatida, garantindo o respeito à liberdade de crença e à diversidade religiosa.

É fundamental que a sociedade como um todo reconheça a importância dos Terreiros Umbandistas como espaços de resistência cultural e espiritual, que contribuem para a construção de uma sociedade mais inclusiva e plural.

A diversidade religiosa é um dos pilares de uma sociedade democrática, e os seguidores da Umbanda merecem ser tratados com o devido respeito e consideração.

Somente assim será possível construir uma sociedade mais justa e igualitária.

* Marlidia Teixeira e Alan Kardec Marques são mãe e pai do Terreiro Recanto de São Jorge. Este artigo foi construído com o auxílio de entidades Cavaleiros de Ogum.

Para mais informações sobre diversidade religiosa clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: LC Agência de Comunicação



A tragédia já foi. E agora?

Impossível não se sensibilizar e chocar com a situação do Rio Grande do Sul, atingido por chuvas sem precedentes que causaram inundações em grande parte do estado, da capital ao interior.

Autor: Janguiê Diniz


O preconceito que condena

O programa Fantástico da Rede Globo trouxe mais uma história de injustiça cometida pelo Poder Judiciário brasileiro contra um jovem preto e periférico.

Autor: Marcelo Aith


O risco de politização da tragédia no RS

O Brasil todo tem assistido, consternado, ao desastre ambiental que se abateu sobre o Rio Grande do Sul nos últimos dias.

Autor: Wilson Pedroso


Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O final de Abril e o começo de Maio foram marcados pelo pior desastre ecológico da história do Rio Grande do Sul, com inundações, mortes e milhares de desabrigados e de pessoas ilhadas.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O fim da reeleição de governantes

Está tramitando pelo Congresso Nacional mais um projeto que revoga a reeleição de Presidente da República, Governador de Estado e Prefeito Municipal.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques