Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Diga-me o que lês e te direi quem és

Diga-me o que lês e te direi quem és

04/08/2023 Candice Almeida

O filme "O Leitor" retrata um relacionamento entre uma mulher que trabalhava [alerta de spoiler] para a SS (polícia nazista) e um estudante de Direito.

A história é linda. O protagonista, ainda menino, conecta-se com a amada através da alma, passando tardes lendo em voz alta livros para ela. Anos depois, ele a reencontra em um julgamento por crimes de guerra cometidos pelos nazistas.

Hanna é uma das rés e foi condenada à prisão perpétua por sua responsabilidade na morte de dezenas de prisioneiros judeus e por, supostamente, ter escrito um relatório que pesou na decisão do juiz.

O detalhe é que Hanna era analfabeta. Recusou-se, porém, a revelar esse segredo, ainda que o fato pudesse livrá-la da cadeia.

Para ela, o encarceramento era menos vexatório do que o déficit de cidadania. Diga-se de passagem, que ela era inocente. Se leio, existo. Imagino que essa fosse a máxima cartesiana que ela adotava.

Esse filme me veio à mente após ler a notícia de que o Brasil está na 39ª posição - entre 43 países - em um exame internacional que mede a habilidade de leitura.

Isso significa que alunos de 9 e 10 anos de idade não conseguem compreender de modo satisfatório um texto ou entender a relação entre as ideias.

E, logicamente, estão longe de desenvolver um senso crítico. Apenas 13% dos estudantes brasileiros são classificados como proficientes. Estamos atrás de países como Azerbaijão e Uzbequistão.

Não faz muito tempo, um youtuber de grande influência entre as crianças e adolescentes defendeu que a obrigatoriedade de leitura dos clássicos nacionais no Ensino Médio faz com que os alunos achem a literatura "um saco".

Nas palavras dele, trata-se de um desserviço da escola. No entanto, o buraco é mais embaixo. Um público leitor não se forma apenas na adolescência. Como a pesquisa demonstra, perdemos leitores ainda na infância.

O ponto aqui é o imenso potencial que a leitura tem para o desenvolvimento de um povo e do indivíduo. Descobrimos quem somos por meio do que lemos. Descobrimos quem já fomos pelo que foi lido.

Ao longo da nossa existência, vamos nos construindo e nos apoiando na literatura. Descobrimos quem queremos ser por meio das leituras pretendidas. A leitura é o efeito, não a causa. A curiosidade é a raiz. Você é o que lê.

E quando digo isso, é em um sentido amplo, pois não se trata apenas de ler livros, mas, sobretudo, também de ler a realidade à nossa volta.

Para incentivar seu filho a ler, conte a ele o que aconteceu com Vini Jr. O crime do racismo pode ser evitado com a leitura.

Compartilhe com ele a pergunta do ano: "Você quer falar sobre futebol?" e explique a derrota de Carlo Ancelotti e do mundo todo.

Quer incentivar seu filho a ler? Conte algumas supostas anedotas de Leo Lins, sobretudo aquelas voltadas para o escárnio com as minorias. A ignorância pode ser combatida com a leitura.

Quer um filho leitor? Valha-se de George Orwell para que ele entenda como funciona uma nação autoritária, assim ele também saberá que Big Brother é muito mais que um programa de TV.

Mostre a ele o jogo de vídeo game ‘Devil May Cry’ e explique que a narrativa e o protagonista Dante foram inspirados no livro 'A Divina Comédia de Dante Alighieri'. Ou seja, quem criou o jogo leu Dante.

É por meio do conhecimento que a percepção de estupro, assédio e múltiplas violências se desenvolve.

Um filho leitor sabe se proteger do mundo e, mais ainda, sabe transformar o mundo. Sabe mudar consensos e preservar o meio ambiente.

A leitura mitiga o preconceito e enaltece a diferença. O conhecimento faz milagres. Diga-me o que lês e te direi quem és.
Hanna não se entendia como ninguém.

* Candice Almeida é professora de Redação do Colégio Positivo e assessora pedagógica de Redação no Centro de Inovação Pedagógica, Pesquisa e Desenvolvimento (CIPP) dos colégios do Grupo Positivo.

Para mais informações sobre leitura clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Central Press



A tragédia já foi. E agora?

Impossível não se sensibilizar e chocar com a situação do Rio Grande do Sul, atingido por chuvas sem precedentes que causaram inundações em grande parte do estado, da capital ao interior.

Autor: Janguiê Diniz


O preconceito que condena

O programa Fantástico da Rede Globo trouxe mais uma história de injustiça cometida pelo Poder Judiciário brasileiro contra um jovem preto e periférico.

Autor: Marcelo Aith


O risco de politização da tragédia no RS

O Brasil todo tem assistido, consternado, ao desastre ambiental que se abateu sobre o Rio Grande do Sul nos últimos dias.

Autor: Wilson Pedroso


Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O final de Abril e o começo de Maio foram marcados pelo pior desastre ecológico da história do Rio Grande do Sul, com inundações, mortes e milhares de desabrigados e de pessoas ilhadas.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O fim da reeleição de governantes

Está tramitando pelo Congresso Nacional mais um projeto que revoga a reeleição de Presidente da República, Governador de Estado e Prefeito Municipal.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques