Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dilma Rousseff, o "plano B"

Dilma Rousseff, o "plano B"

28/08/2017 Amadeu Roberto Garrido de Paula

A campanha petista não demorou.

Não seria necessário ser um cartomante para prever, no momento em que o Senado Federal, sob a batuta do Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, cindiu um julgamento uno para preservar os direitos políticos de Dilma Rousseff, que fértil imaginação política rodeara o cenário final do impeachment.

Ai está a presidente "injustiçada" a estocar de imediato a decisão de privatizar a Eletrobrás, como, de resto, deveriam ser privatizadas todas as brás, para desinchar-se um estado que, se permanecer como se encontra, estará sempre perto de estourar as metas fiscais, o respectivo governo violar a lei de responsabilidade e as oposições se regozijarem.

Além disso, a cartilha deve ser rezada. Não seria compatível com um partido de esquerda, há pouco desmoronado no campo da ética e, por consequência, da política, negar os dogmas do estado forte, precisamente o que nos levou ao fundo do poço. A proposta de Temer, a valorização das ações da Eletrobrás em 30%, caiu no colo dos imaginativos restauradores do "ancién regime" populista bolivariano.

A campanha petista não demorou. Lula, em que pesem suas caravanas circenses, é uma incógnita, face a uma campanha eleitoral extremamente exigente, como a brasileira, e a possibilidade concreta de sua prisão em decorrência de uma lei de iniciativa popular apoiada por muitos quadros petistas. A melhor alternativa é Dilma, que pode aliar ao discurso roto da esquerda a indignação de quem teria sido punido injustamente.

O "J´accuse" de Émile Zola dará os ares românticos a um Dreyfus feminino na terra das bananas em busca de um "contragolpe", injetando-se a emoção que sempre guiou nossas eleições e plantando-se de novo o projeto de poder que nos levou ao buraco mais profundo da história.

Não obstante isso, a tragicomédia não passará e as privatizações demonstrarão a virtude de fazer emagrecer esse estado deturpado e tornar, a curto e médio prazo, razoável a dívida pública do Estado brasileiro, que pouco importa à "troupe" das ilusões envolventes de parte de um povo que, por razões compreensíveis, se deixa levar pelo pão e circo, ainda que, nesses passos, nossas estruturas e instituições nos tornem uma tosca e imensa aldeia de braços com a Venezuela, a Bolívia e a Cuba dos Castros.

* Amadeu Roberto Garrido de Paula é Advogado e sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.



O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho