Portal O Debate
Grupo WhatsApp

E a Educação, como é que fica?

E a Educação, como é que fica?

12/07/2013 Floriano de Lima Nascimento

Qualquer pessoa medianamente instruída sabe que a Educação – assim mesmo com maiúsculas – é a base para o desenvolvimento pessoal e social.

É simples constatar-se esse fato; bastando para isso fazer algumas verificações: a primeira é a de que a escolaridade tem um papel preponderante no desenvolvimento social e econômico das pessoas.

Em qualquer comunidade as pessoas que estudaram mais – de preferência em boas escolas, conseguiram alcançar um melhor desenvolvimento intelectual e desenvolver a aptidão para compreender as coisas e obter as melhores colocações em empregos. Passam, sob todos os aspectos por uma transformação visível, que é percebida por todos os membros da comunidade a que pertencem.

Diante delas, abre-se normalmente um leque de oportunidades que leva necessariamente a uma vida bem sucedida.

“Obviedades”, deve estar murmurando o leitor deste comentário. Mesmo sendo óbvio este fato ainda foge à percepção de muitas pessoas que deveriam se comprometer para mudar o futuro de milhões de jovens que vivem em nosso país à margem de planos e programas capazes de lhes oferecer oportunidades intelectuais e qualificação profissional capazes de lhes abrir as portas para uma vida promissora.

Quem acompanha atentamente a trajetória sócio econômica do Brasil ainda se lembra de um tempo em que a educação era prioridade nacional, o que entusiasmou os jovens e os conduziu à escolas em busca de conhecimentos capazes de levá-los à emancipação intelectual e, por conseqüência, ao crescimento profissional. Isso aconteceu no final dos anos 60 e começo dos anos 70.

Por todos os lugares, viam-se jovens correndo às escolas, sonhando com um futuro melhor. Na época, falava-se muito no PREMEM, que era uma das portas para a emancipação dos jovens. Paralelamente a isso, havia as propostas de alfabetização de adultos, oriundos do clima reinante.

De repente, tudo acabou. A Democracia voltou a ocupar o lugar que lhe pertencia por direito, mas o entusiasmo educacional sumiu do dia para a noite. Sem a empolgação pelos estudos, diminuiu a esperança e acabaram as oportunidades.

Os jovens que, naquela época, entusiasmaram-se com os estudos, agora se comprazem nas passeatas como as que recentemente voltaram ao país – sem que as autoridades tenham se conscientizado de que isso aconteceu como resposta ao descaso e do abandono. Que se faça alguma coisa antes que seja tarde demais.



Senado e STF colidem sobre descriminalizar a maconha

O Senado aprovou, em dois turnos, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) das Drogas, que classifica como crime a compra, guarda ou porte de entorpecentes.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes