Portal O Debate
Grupo WhatsApp

E-procurement nas Empresas Brasileiras

E-procurement nas Empresas Brasileiras

19/09/2011 Nilson Fonseca

A necessidade de transformar o setor de compras de uma empresa de ‘operacional’ para ‘estratégico’ vem sendo fortemente avaliada pelas companhias. E a adoção de ferramentas como o e-procurement, que suportam esta transição e dão nova forma a esta área, vem crescendo significativamente.

No Brasil, o número de empresas que usam algum sistema baseado na web para realizar compras é de 38%, um número baixo se comparado aos 86% de corporações em países desenvolvidos. Portanto, há ainda muito espaço para o crescimento desta prática. Segundo o Gartner, o Brasil é um dos países emergentes na adoção do e-procurement, sendo este o momento certo para apostar neste novo modelo, uma vez que as empresas prosseguem na busca por redução de custos e otimização de processos. A aplicação WEB permite que a área de compras adote estratégias diferentes para categorias distintas de materiais e serviços como, por exemplo, a utilização de catálogos eletrônicos, de contratos de compras, criação de processos de sourcing, como solicitações de cotação e leilões reversos, tudo isso gerenciado pelo comprador e possibilitando a integração dos fornecedores, o que garante processos mais ágeis e totalmente rastreáveis.

Os benefícios com a redução de custos - evidenciados na eliminação de ligações telefônicas, envio de fax, impressão de documentos -, agilidade nos processos de compras, pela rapidez na criação de solicitações de cotação e leilões, uma vez que anula a necessidade de digitar os itens, são fatores que determinam o crescimento deste novo modelo de negócio. O valor estratégico se faz pela rapidez nas respostas dos fornecedores, na criação de contratos, pedidos de compras e ganhos financeiros, com a obtenção de melhores preços, já que após os valores serem enviados, os fornecedores não tem a oportunidade de renegociar os preços. Além de facilitar o dia a dia da empresa, vantagens como estas aumentam a competitividade da companhia no mercado. Companhias que ainda operam com sistema de cotação de produtos por email, telefone, e outros, perdem na corrida com aquela empresa que seleciona em seu ERP os produtos e fornecedores desejáveis e, assim, após ter uma visão completa da compra, finaliza a operação em poucos minutos.

Porém, conseguir fornecedores que possam oferecer produtos ou serviços com boa qualidade, com pontualidade e preços competitivos não é tarefa fácil nas empresas, principalmente quando aliado a isso existe uma demanda alta, fluxos de compras não regulares e ferramentas ineficientes, sendo necessária a adoção de planilhas paralelas, controles manuais e acordos, muitas vezes, verbais. Assim, estes problemas podem restringir a atuação das áreas de compras ao operacional, ou seja, a tarefas de baixo valor agregado e que não podem contribuir com as necessidades das empresas em reduzir custos e tornar os processos transparentes e ágeis. Existem vários softwares de e-procurement no mercado, mas há alguns pontos de atenção na hora de escolher um que atenda as necessidades específicas de cada empresa. Abaixo, listo algumas dicas de como comprar um sistema de e-procurement:

Integração com ERP – Os sistemas e-procurement devem ter fácil integração com o ERP que a empresa utiliza, pois quando isso não acontece, existe a necessidade de se construir complexas formas de integração, e isso pode comprometer as funcionalidades da solução.

Aderência aos processos e necessidades da empresa – Antes de escolher o fornecedor, é preciso avaliar previamente se a ferramenta é capaz de suportar todos os processos e necessidades que a empresa pretende implementar no sistema.

Manutenção – É necessário verificar se a ferramenta tem fácil manutenção, se há profissionais disponíveis no mercado e se é adaptável, ou seja, tem condições de acompanhar o crescimento da empresa.

Nilson Fonseca* é Diretor de Soluções da Firsteam.



Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann