Portal O Debate
Grupo WhatsApp

E-procurement nas Empresas Brasileiras

E-procurement nas Empresas Brasileiras

19/09/2011 Nilson Fonseca

A necessidade de transformar o setor de compras de uma empresa de ‘operacional’ para ‘estratégico’ vem sendo fortemente avaliada pelas companhias. E a adoção de ferramentas como o e-procurement, que suportam esta transição e dão nova forma a esta área, vem crescendo significativamente.

No Brasil, o número de empresas que usam algum sistema baseado na web para realizar compras é de 38%, um número baixo se comparado aos 86% de corporações em países desenvolvidos. Portanto, há ainda muito espaço para o crescimento desta prática. Segundo o Gartner, o Brasil é um dos países emergentes na adoção do e-procurement, sendo este o momento certo para apostar neste novo modelo, uma vez que as empresas prosseguem na busca por redução de custos e otimização de processos. A aplicação WEB permite que a área de compras adote estratégias diferentes para categorias distintas de materiais e serviços como, por exemplo, a utilização de catálogos eletrônicos, de contratos de compras, criação de processos de sourcing, como solicitações de cotação e leilões reversos, tudo isso gerenciado pelo comprador e possibilitando a integração dos fornecedores, o que garante processos mais ágeis e totalmente rastreáveis.

Os benefícios com a redução de custos - evidenciados na eliminação de ligações telefônicas, envio de fax, impressão de documentos -, agilidade nos processos de compras, pela rapidez na criação de solicitações de cotação e leilões, uma vez que anula a necessidade de digitar os itens, são fatores que determinam o crescimento deste novo modelo de negócio. O valor estratégico se faz pela rapidez nas respostas dos fornecedores, na criação de contratos, pedidos de compras e ganhos financeiros, com a obtenção de melhores preços, já que após os valores serem enviados, os fornecedores não tem a oportunidade de renegociar os preços. Além de facilitar o dia a dia da empresa, vantagens como estas aumentam a competitividade da companhia no mercado. Companhias que ainda operam com sistema de cotação de produtos por email, telefone, e outros, perdem na corrida com aquela empresa que seleciona em seu ERP os produtos e fornecedores desejáveis e, assim, após ter uma visão completa da compra, finaliza a operação em poucos minutos.

Porém, conseguir fornecedores que possam oferecer produtos ou serviços com boa qualidade, com pontualidade e preços competitivos não é tarefa fácil nas empresas, principalmente quando aliado a isso existe uma demanda alta, fluxos de compras não regulares e ferramentas ineficientes, sendo necessária a adoção de planilhas paralelas, controles manuais e acordos, muitas vezes, verbais. Assim, estes problemas podem restringir a atuação das áreas de compras ao operacional, ou seja, a tarefas de baixo valor agregado e que não podem contribuir com as necessidades das empresas em reduzir custos e tornar os processos transparentes e ágeis. Existem vários softwares de e-procurement no mercado, mas há alguns pontos de atenção na hora de escolher um que atenda as necessidades específicas de cada empresa. Abaixo, listo algumas dicas de como comprar um sistema de e-procurement:

Integração com ERP – Os sistemas e-procurement devem ter fácil integração com o ERP que a empresa utiliza, pois quando isso não acontece, existe a necessidade de se construir complexas formas de integração, e isso pode comprometer as funcionalidades da solução.

Aderência aos processos e necessidades da empresa – Antes de escolher o fornecedor, é preciso avaliar previamente se a ferramenta é capaz de suportar todos os processos e necessidades que a empresa pretende implementar no sistema.

Manutenção – É necessário verificar se a ferramenta tem fácil manutenção, se há profissionais disponíveis no mercado e se é adaptável, ou seja, tem condições de acompanhar o crescimento da empresa.

Nilson Fonseca* é Diretor de Soluções da Firsteam.



Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.


2021 – A ironia de mais um ano que ficará marcado na história

Existe um elemento no ano de 2021 que imputou e promoveu uma verdadeira aposta de cancelamentos e desejos para que ele seja mais um ano apagado da memória de milhares de pessoas: A pandemia, que promoveu o desaparecimento definitivo de milhares de pessoas.


Negócios do futuro: por que investir em empreendedorismo no setor financeiro

Você sabia que 60% dos jovens de até 30 anos sonham em empreender?


A importância de formar talentos

Um dos maiores desafios das empresas tem sido encontrar talentos com habilidades desenvolvidas e preparados para contribuir com a estratégia da empresa.


Sustentabilidade em ‘data center’: setor se molda para atender a novas necessidades

Mesmo que a sustentabilidade ainda seja um tema relativamente novo no segmento de data center, ele tem se tornado cada vez mais necessário para as empresas que querem agregar valor ao seu negócio.


Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

A expectativa para o próximo ano é de aumento grande no número de recuperações judiciais e restruturações financeiras, comparativamente, aos anos de 2021 e 2020.