Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Economia circular: boa para o planeta

Economia circular: boa para o planeta

17/04/2018 Frederic Abbal

O mundo está ficando sem recursos críticos.

Até 2050, a demanda por elementos importantes, como biomassa e energia fóssil, deverá ultrapassar a produção em 40 bilhões de toneladas, deixando as empresas e os consumidores sob risco de déficit.

Mudando do tradicional modelo econômico “pegue, faça, consuma e jogue fora” para uma economia circular sem desperdício, que se concentra em tomar decisões mais inteligentes sobre o uso de recursos, usá-los em sua capacidade máxima e reduzir o desperdício combate essa crise global.

Para sistemas de distribuição de energia elétrica, o modelo de economia circular significa projetar produtos de longa duração que podem ser adaptados, reformados, reparados, reutilizados e atualizados - minimizando o desperdício e aumentando a resiliência dos bens naturais.

A mudança para uma economia circular global pode ter um grande impacto no combate às mudanças climáticas, pois 67% das emissões globais de gases de efeito estufa estão relacionadas ao gerenciamento de materiais.

De fato, um novo relatório descobriu que uma economia circular poderia reduzir o uso de recursos naturais em todo o mundo em 28% e as emissões de gases do efeito estufa em 72%, enquanto apoia o crescimento econômico e as metas ambientais internacionais, como as estabelecidas no Acordo de Paris.

Essas descobertas reforçam a ideia de que mudar para uma economia circular não apenas beneficia o meio ambiente, mas também é bom para a receita das empresas. Por exemplo, prevê-se que a produtividade dos recursos europeus cresça até 3% ao ano.

Isso cria um benefício primário de recursos que chega a um valor estimado de € 0,6 trilhão por ano para as economias da Europa até 2030. O sistema de distribuição elétrica está bem posicionado para desempenhar seu papel na economia circular, adaptando equipamentos em vez de substituí-los.

Os equipamentos refrofit melhoram a sustentabilidade e minimizam o impacto ambiental dos produtos, ao mesmo tempo em que trazem economias significativas de custo e prolongam sua vida útil.

Um retrofit de distribuição consiste na substituição de componentes de dispositivos de distribuição elétrica para renovar e atualizar ou adicionar novas funcionalidades, como conectividade digital. Isso prolonga a vida útil do equipamento e permite modernizações e upgrades importantes sem substituições de produtos dispendiosas.

As operações de modernização podem custar até 65% menos que as novas instalações. Elas não apenas reduzem os custos de equipamentos, mas também o custo de inatividade, materiais, transporte e trabalho no local.

Analisar o impacto ambiental completo de um produto usando ferramentas de avaliação de ciclo de vida ajuda a determinar se é mais benéfico financeiramente e ambientalmente eficiente adaptar ou substituir um equipamento.

Usando soluções de retrofit, os fabricantes ajudam os clientes a realizar mais usando menos recursos e, ao mesmo tempo, protegendo o ambiente. Descubra mais sobre como a distribuição elétrica pode se beneficiar da mudança de um modelo econômico linear para um modelo econômico circular em nosso novo white paper, “Como os Serviços de Retrofit para Distribuição Elétrica Contribuem para a Economia Circular.”

Temos o compromisso de apoiar a economia circular como membros do programa Circular Economy 100 da Ellen MacArthur Foundation, um compromisso inovador que reúne companhias, governos, instituições acadêmicas e pequenas e médias empresas para promover o avanço coletivo do mercado em direção a uma economia circular. Saiba mais sobre como a fundação está possibilitando o desenvolvimento de novas oportunidades para uma economia circular.

* Frederic Abbal é vice-presidente executive de Infraestrutura na Schneider Electric.

Fonte: Comunique-se



Onde querem colocar o dinheiro da Educação?

No país de bons brasileiros perguntamos: onde querem colocar o dinheiro da Educação?


Um novo normal essencial; um velho normal desejado

Ver sorrisos, estar dentro de abraços, realizar eventos e trazer alegria…


Criptomoedas: O dinheiro do futuro ou o futuro do dinheiro?

Seja qual for futuro dos meios de pagamento, fato é: não podemos desprezar que as criptomoedas mudaram a maneira com que nos relacionamos com o dinheiro.


A polêmica nota de R$200,00

No dia 29 de julho de 2020, foi anunciado pelo Banco Central (BACEN) que, em agosto, será colocada em circulação a nota de R$200,00, que incorporará a imagem do lobo-guará.


Recalibrando sua estratégia de prevenção de fraudes para a nova realidade

Tal qual um automóvel, a detecção de transações criminosas em uma organização deve passar por revisões periódicas para aumentar sua eficiência.


Em tempos de pandemia, gestão de pessoas não é conversa, é ciência

Sou um curioso da gestão de pessoas. Ao longo desses anos como gestor, aprendi muito com os profissionais de recursos humanos com quem tive a honra de trabalhar.


Combatendo a violência contra a mulher

Na pandemia, houve o triste aumento de casos de violência contra a mulher.


Economia mais digital do que nunca

Pesquisas realizadas nos últimos meses apontam que o consumo em e-commerce cresceu mais de 40% desde o início da quarentena no Brasil.


O que será o Novo Normal?

Tem gente louca para voltar. E outros em pânico só de pensar em retornar.


A linha nada tênue entre liberdade de expressão e fake news

No longínquo 2008, quando, em meio a um enorme debate sobre a obrigatoriedade ou não de se ter um diploma para o exercício da prática jornalística, comecei a minha graduação, não existia o termo ‘fake news’, tão popularizado atualmente no Brasil e no mundo.


Não se educa calando

Estudei no colégio militar de Fortaleza, entre 1975 e 1981. Antes, fiz o Fundamental I na escola municipal Jenny Gomes, no bairro Aerolândia.


Pai todos os dias

Mais um Dia dos Pais se aproximando e isso deixa mais vivo na memória que minha filharada está tão longe, que a casa está vazia e isso dá uma saudade danada.