Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Em busca da felicidade

Em busca da felicidade

24/05/2012 Odilon Medeiros

Dinheiro não compra felicidade, afirmam os estudos. Mas, será que é apenas isso?

Precisamos refletir mais sobre o assunto. A OECED, organização para cooperação e desenvolvimento econômico acaba de apresentar o resultado de um trabalho que mede a felicidade dos cidadãos. E que, pela primeira vez, inclui o Brasil. Em uma relação de onze aspectos, os brasileiros não apresentaram o salário como uma das suas prioridades para gerar felicidade.

Se você ficou surpreso com o resultado deste trabalho, saiba que esta constatação não é recente. Em 1974, Richard Easterlin, realizou um estudo (“Paradoxo de Easterlin”), cuja constatação foi: a felicidade não costuma estar vinculada com a riqueza. Ao analisar esses resultados, constato que eles apresentam apenas um lado da moeda.

Tudo bem: dinheiro não trás felicidade, mas e a falta dele, o que trás? Na organização, sabemos que altos salários não servem de satisfação para os colaboradores, pois, como é inerente ao ser humano, sempre vamos querer mais. E destaco que isso não é errado. Entretanto, se por um lado, o dinheiro não traz felicidade, a sua falta causa impactos negativos no comportamento humano e, consequentemente, na qualidade do seu trabalho e na sua produtividade. Como tudo muda, o entendimento sobre essa situação também mudou. Ou melhor, ampliou.

Vejamos: os teóricos modernos afirmam que baixos índices salariais geram desmotivação. Não concordo com essa visão simplificada. Se analisarmos com mais atenção, chegaremos à conclusão que, se por um lado o trabalhador não se sente motivado para trabalhar, por outro lado se sente motivado, algumas vezes em excesso, para realizar ações que comprometem a imagem da empresa e geram transtornos para os clientes e usuários, em busca dos seus objetivos.

Situação que ninguém deseja. Se analisarmos, em praticamente todos os movimentos grevistas, um dos tópicos aborda os índices de reajuste. Assim, reflito sobre quais os fatores que podem ter gerado tais resultados, pois os estudos citados foram realizados por instituições de credibilidade inquestionável. Independentemente do que foi dito aqui, é importante que o líder saiba que o seu colaborador (assim como ele mesmo), busca a felicidade, inclusive no trabalho.

Para que isso aconteça, além do cuidado com os aspectos materiais outros não materiais de bem-estar humano, tais como as relações interpessoais, as diferenças individuais, a autonomia, a qualidade de vida no trabalho, entre outros, precisam bem administrados. Vivemos um momento de apagão de profissionais e de preocupação com os bons colabores que não permanecem nas empresas.

Então, leitores e principalmente os líderes, saibam que proporcionar a felicidade é um instrumento de retenção de talentos. Assim, busque a sua felicidade de forma ampla, geral e irrestrita, encontre-a e seja feliz. Que assim, seja!

*Odilon Medeiros – Consultor em gestão de pessoas e palestrante, Mestre em Administração, Especialista em Psicologia Organizacional, Pós-graduado em Gestão de Equipes, MBA em Vendas.



Entre a Pressa e a Preguiça

Quem já passou dos quarenta anos e viveu em algum canto do Brasil, experimentou, certamente, exercícios sistemáticos de paciência.



O “Golpe do WhatsApp” e o roubo da conta no aplicativo

Caso você seja vítima desse golpe, deve imediatamente entrar em contato com o WhatsApp para informar que alguém está utilizando a sua conta.


Reflexão sobre a democracia

Deambulava numa manhã de domingo, na Praça da Batalha, no Porto, quando perpassei por sujeito, elegantemente trajado: calça e casaco azul-marinho, camisa branca, gravata cinza.


Como não errar ao investir?

Muitas pessoas têm receio em falar sobre os seus investimentos, pois ainda é um grande tabu falar sobre dinheiro.


Para uma sociedade melhor

No tempo da minha juventude, conheci mocinha, de origem modesta, mas rica de inteligência, esperteza e perspicácia.


Fake (old) News

Tanto a existência das fake news quanto a expressão em si, já existem há muito tempo.


Por que os professores de Humanas são de “esquerda”?

Quero começar essa reflexão com uma resposta simples: não!


Como revestir a casa de forma prática e com menor custo

Nos últimos anos, uma das novidades de maior destaque se traduz no surgimento dos revestimentos inteligentes.


O livro e a cultura

29 de outubro é o Dia do Livro. 5 de novembro é o Dia da Cultura.


Os controversos e suas controvérsias

O ano de 2019 tem sido, sem dúvidas, muito fértil para os noticiários políticos internacionais.


A demora do Poder Legislativo em não regular a prisão em segunda instância

Os parlamentares federais são exclusivamente culpados por ter o STF procedido à revisão da prisão em segunda instância.