Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Empatia e respeito em tempos difíceis

Empatia e respeito em tempos difíceis

20/07/2020 Daniela Generoso

Como podemos proteger quem amamos ou ter empatia quando acreditamos estar acima de recomendações estipuladas pelas organizações de saúde?

Algumas indagações poderiam nos ajudar a compreender sobre a importância de protegermos quem amamos e aqueles a quem não conhecemos, mas que são amados também por seus familiares e conhecidos.

Recentemente na cidade de São Paulo, um rapaz foi abordado pelo segurança da estação de metrô por não usar a máscara facial, exigida por lei.

De forma rude, a pessoa alegou ser militar, concursado e estudante de Direito, como se tais fatores, por si só, fossem escudos protetores contra o novo Coronavírus.

O lado triste desse é fato que ele não é a única pessoa que não se preocupa, e até mesmo nega, em usar a proteção, mesmo diante de todos os números expressivos de doentes e mortos no país.

Mas por que algumas pessoas ainda negam a preocupação com a doença e se recusam em usar a proteção? Vale ressaltar que há algumas questões para serem avaliadas.

Primeiro, temos dados conflitantes e brigas políticas que atrapalham e confundem, o que ajuda a gerar fake news e a falta de confiança nos noticiários por parte de alguns.

Segundo ponto, lidar com sentimentos como medo, morte, dor e superação não são fáceis e, na maioria das vezes, escolhe-se fugir da realidade.

Por exemplo, quando não se tem contato com a dor, adquire-se mecanismos de fuga. Então, é mais fácil acreditar que tudo se trata de um exagero, o que leva à crença da não necessidade do uso de máscara.

Infelizmente, essas pessoas só caem em si quando o problema, no caso, a doença, afeta um familiar próximo ou amigo.

Outro fator negativo envolvendo esse caso é quando o militar desrespeita o profissional do metrô, responsável justamente pela segurança de todos ali presentes, até daquele que o tratou de modo rude.

O grande problema é que no mundo de hoje há a necessidade de mostrar que se “tem” poder, para poder mostrar ao outro o quanto você tem "sucesso".

O “mandar e não ser mandado” colabora para uma guerra silenciosa que oprime o "mais fraco", fazendo com que o ego da pessoa se sinta forte e realizado.

O poder está intimamente ligado ao respeito, onde não só cabe espaço para ser líder ou liderado, como se fosse uma desonra ser liderado, ou obedecer a uma ordem.

Mas qual é o “remédio” ou “vacina” para curar as futuras gerações contra a ignorância? Primeiro de tudo, envolve entender que cada vida humana é importante. Trata-se do início de mudanças mais significativas.

A sociedade precisa dialogar mais, mostrar que o outro semelhante tem de igual modo importância. Também temos de ver por meio de dados jornalísticos e científicos a necessidade do uso da máscara para preservar a vida de nossas famílias.

Devemos ainda entender que somos responsáveis por nossas atitudes, mas, na atual situação, temos que pensar para além dos fatos, levando em conta um pensamento mais abrangente.

É necessário ainda compreender que nossas ações podem causar reações em larga escala, com complicações sérias que podem acabar com a vida de outros.

* Daniela Generoso é psicóloga clínica e pós-graduada em Neuropsicologia.

Fonte: Agência Drumond



A tragédia já foi. E agora?

Impossível não se sensibilizar e chocar com a situação do Rio Grande do Sul, atingido por chuvas sem precedentes que causaram inundações em grande parte do estado, da capital ao interior.

Autor: Janguiê Diniz


O preconceito que condena

O programa Fantástico da Rede Globo trouxe mais uma história de injustiça cometida pelo Poder Judiciário brasileiro contra um jovem preto e periférico.

Autor: Marcelo Aith


O risco de politização da tragédia no RS

O Brasil todo tem assistido, consternado, ao desastre ambiental que se abateu sobre o Rio Grande do Sul nos últimos dias.

Autor: Wilson Pedroso


Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O final de Abril e o começo de Maio foram marcados pelo pior desastre ecológico da história do Rio Grande do Sul, com inundações, mortes e milhares de desabrigados e de pessoas ilhadas.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O fim da reeleição de governantes

Está tramitando pelo Congresso Nacional mais um projeto que revoga a reeleição de Presidente da República, Governador de Estado e Prefeito Municipal.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques