Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Escolas Municipais de Porto Alegre

Escolas Municipais de Porto Alegre

22/09/2014 Roberto Lacerda Barricelli

Já fiz esse mesmo estudo com São Paulo/SP e o resultado foi o mesmo. Educação pública mais cara que a particular, que é superior à primeira.

Falo em superioridade com base no seguinte: entre as escolas que alcançaram o melhor desempenho no ENEM 2013, do Município de Porto Alegre/RS, só uma pública aparece melhor que algumas particulares: o Colégio Militar de Porto Alegre, enquanto as particulares estão acima das municipais.

Uma boa escola privada custa entre R$1.200,00 e R$1.500,00, e quando falo boa, quero dizer de qualidade satisfatória e (obviamente) melhor que as municipais e (principalmente) as Estaduais. Ocorre que a Prefeitura de Porto Alegre alocou R$679.359.180,00 (R$679 milhões) de orçamento para a Secretaria Municipal de Educação, de acordo com o LOA 2014. Sendo o número de alunos das 96 escolas municipais de aproximadamente 55 mil, o custo por aluno ao ano é de R$12.351,98 e ao mês é de R$1.029,33.

No entanto, ao analisarmos o custo das escolas privadas de padrão elevado que hoje custam entre R$1.200,00 e R$1.500,00 (com os impostos) verificamos a falta de lógica do sistema de educação pública. Observe a tabela abaixo:




Como podemos verificar, as escolas municipais custam mais à Prefeitura de Porto Alegre do que custariam as mensalidades das privadas sem os impostos. Isso significa que compensa muito mais combinar uma desonerar as instituições de educação e desregulamentar o setor (dentro do que for possível no âmbito municipal, por exemplo, facilitar obtenção de alvarás e certidões que sejam de responsabilidade da prefeitura), para depois privatizá-las, ou terceirizá-las; o que seria mais fácil, pois está dentro do que pode fazer a prefeitura, e oferecer voucher apenas para quem não tem condições de pagar pelos custos do sistema privado.

Sabendo que desonerações e desregulamentação promovem o livre mercado no setor e que o livre mercado leva à livre concorrência, posso dizer sem hesitar que os porto-alegrenses terão escolas melhores e mais baratas. Ora, a livre concorrência obriga as empresas a investirem em produtos e serviços melhores e mais baratos, para atrair consumidores e não falirem.

Quem deseja falir? Pois é, logo, com mais opções, melhores e mais baratas, o custo das escolas privadas por aluno será ainda menor que o calculado inicialmente neste artigo. Logo, os impostos que deixam de ser arrecadados no setor são compensados pela diminuição exponencial dos custos da prefeitura de Porto Alegre/RS com o novo sistema. Mas há mais! Os alunos com acesso à educação privada de qualidade terão sua mão de obra futura valorizada e as próximas gerações terão condições de arcar com os custos da educação de seus filhos.

Com isso, o sistema de voucher, aliado ao livre mercado, levará ao fim de si mesmo no longo prazo, diminuindo o Estado no curto prazo e acabando com os custos deste com educação no futuro. Portanto, não há o menor sentido manter o sistema atual, que onera mais os cidadãos e proporciona serviços ruins aos contribuintes em troca de parte considerável de seus rendimentos (impostos). Não há sentido, a não ser que alguém esteja ganhando com isso (com certeza não somos nós).

*Roberto Lacerda Barricelli é Jornalista, Assessor de Imprensa do Instituto Liberal e Diretor de Comunicação do Instituto Pela Justiça.



Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.