Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Estou na Web – e agora, o que eu faço?

Estou na Web – e agora, o que eu faço?

21/07/2020 Júlio Cezar Bernardelli

Você não queria, mas agora é obrigado a encarar câmera, luz, ação!

Seus clientes não estão mais em sua loja, seus alunos não estão mais em sala de aula e seus concorrentes estão a um click de teclado. Agora você precisa se reinventar para continuar respirando.

A distância imposta pelo isolamento social nos obriga e desenvolver novas habilidades de comunicação e relacionamento.

O falar não basta. A imagem pode não refletir a realidade. Então o conjunto precisa ser natural, verdadeiro e assertivo.

Reuniões, aulas, conferências. Tudo acontecendo à distância e não te dando tempo para aprender e, às vezes, nem de pensar direito.

É preciso fazer o caminho caminhando. É necessário inovar no desconhecido e descobrir que o básico não basta mais. A paixão está no ar.

Na web quem se torna “celebridade” é quem tem paixão pelo que faz. Tudo que se faz com paixão tende a gerar um resultado melhor.

Paixão é um sentimento próprio do ser humano, é algo intenso e profundo, que gera grande interesse e desperta atração da pessoa que está apaixonada.

Encontros, reuniões, aulas ou qualquer exposição pessoal via web precisam ser tratados como se fossem presencias e com mais atenção aos detalhes.

O público que está nos assistindo precisa perceber que gastamos tempo preparando o ambiente e nos preparando para aquele momento.

Essa preparação é percebida nos detalhes, nos cuidados que tomamos para harmonizar o ambiente com o assunto a ser tratado, com a escolha de nossa roupa e com a atualização do tema em debate. A postura diante de uma câmera deve ser a mesma que teríamos presencialmente.

O falar respeitosamente com a plateia e olhar nos olhos, deve ser característica marcante de quem trabalha com pessoas, só que nesse caso, os olhos são as lentes de sua câmera e o respeito é demonstrado pela preparação do que se vai falar e pela paixão com que se fala.

Mas para cada momento existem detalhes que devemos observar para não sermos pegos e taxados de “deselegantes”.

Em videoconferências, por exemplo, a educação nos sugere ouvir primeiro e falar depois. Pedir a palavra e aguardar gentilmente que nos seja dada a oportunidade de nos expressar.

Saber ser objetivo e conciso permite um melhor aproveitamento do tempo e abre espaço para que mais pessoas possam se manifestar apresentando suas opiniões e argumentos.

Use seus momentos de exposição pública na web, não importa se é em palestras, aulas, reuniões ou videoconferências, para demonstrar sua capacidade de adaptação e flexibilidade diante de um cenário que nos desafia, a cada dia, a sermos mais criativos, inovadores e agentes de transformação.

Em suma, coloque paixão em tudo, na organização do seu ambiente, no desenvolvimento do seu conhecimento, na preparação de sua voz, na iluminação, no som e, principalmente no respeito para com seus ouvintes.

Você está na web, queira ou não, então venha somar com quem quer dividir conhecimento. Traga sua paixão por ensinar e aprender. Multiplique as boas práticas do convívio humano, mesmo que à distância e repudie a intolerância.

* Júlio Cezar Bernardelli é mestre em Tecnologia e Sociedade, professor e coordenador de operações dos cursos semipresenciais do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Página 1 Comunicação



Que ingratidão…

Durante o tempo que fui redactor de jornal local, realizei numerosas entrevistas a figuras públicas: industriais, grandes proprietários, políticos, artistas…


Empresa Cooperativa x Empresa Capitalista

A economia solidária movimenta 12 bilhões e a empresa cooperativa gera emprego e riqueza para o país.


O fundo de reserva nos condomínios: como funciona e a forma correta de usar

O fundo de reserva é a mais famosa e tradicional forma de arrecadação extra. Normalmente, consta na convenção o percentual da taxa condominial que deve ser destinado ao fundo.


E se as pedras falassem?

Viver na Terra Santa é tentar diariamente “ouvir” as pedras! Elas “contemplaram” a história e os acontecimentos, são “testemunhas” fiéis, milenares porém silenciosas!


Smart streets: é possível viver a cidade de forma mais inteligente em cada esquina

De acordo com previsões da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 70% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.


Quem se lembra dos velhos?

Meu pai, quando se aposentou, os amigos disseram: - " Entrastes, hoje, no grupo da fome…"


Greve dos caminhoneiros: os direitos nem sempre são iguais

No decorrer da sua história como república, o Brasil foi marcado por diversas manifestações a favor da democracia, que buscavam uma realidade mais justa e igualitária.


Como chegou o café ao Brasil

Antes de Cabral desembarcar em Porto Seguro – sabem quem é o décimo sexto neto do navegador?


Fake news, deepfakes e a organização que aprende

Em tempos onde a discussão sobre as fake news chega ao Congresso, é mais que propício reforçar o quanto a informação é fundamental para a sustentabilidade de qualquer empresa.


Superando a dor da perda de quem você ama

A morte é um tema que envolve mistérios, e a vivência do processo de luto é dolorosa. Ela quebra vínculos, deixando vazio, solidão e sentimento de perda.


A onda do tsunami da censura

A onda do tsunami da censura prévia, da vedação, da livre manifestação, contrária à exposição de ideias, imagens, pensamentos, parece agigantar em nosso país. Diz a sabedoria popular que “onde passa um boi passa uma boiada”.


O desserviço do senador ao STF

Como pode um único homem, que nem é chefe de poder, travar indefinidamente a execução de obrigações constitucionais e, com isso, impor dificuldades ao funcionamento de um dos poderes da República?