Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Estratégia móvel: por onde sua empresa deve começar?

Estratégia móvel: por onde sua empresa deve começar?

30/08/2012 Thiago Siqueira

Você faz check-in na sua página do facebook quando chega ao restaurante para um almoço corporativo, interage com seus amigos pelo twitter no horário de trabalho e responde emails de clientes à noite e aos finais de semana.

Esses são exemplos claros da consumerização – vida pessoal e profissional dividindo um mesmo dispositivo. Mas não podemos parar por aqui. Esse novo cenário trouxe para as empresas o benefício de poder contar com seus funcionários sempre, pois, salvo raras exceções, uma pessoa consegue estar conectada, independentemente do local em que está.

Mas, o que as corporações estão buscando entender é como obter cada vez mais benefícios para seus funcionários e clientes por meio da mobilidade. O que vemos atualmente no mercado é que os CIOs estão preocupados com essa movimentação, afinal ninguém quer, nem pode, perder a oportunidade criada a partir dos avanços tecnológicos. Hoje, os funcionários atualizam-se bem antes que as próprias empresas e são eles mesmos que escolhem e ditam que tipo de dispositivos usarão no dia a dia - e não mais o contrário, imprimindo um rítmo acelerado de transformações no mundo corporativo.

A questão é que tanto no Brasil como no exterior, a necessidade de conectar pessoas certas, no momento certo, independentemente do canal, é um desafio. A consumerização eficiente exige alguns pilares básicos para um projeto móvel bem desenhado:

Governança - Quem pode ter acesso? Para fazer o quê? Para acessar o quê?

Capacidade da Rede - Podemos suportar múltiplos dispositivos por usuário e aplicações simultâneas com alto consumo de banda?

Segurança - Como implementar um ambiente seguro?

Qualidade - Como assegurar que aplicações críticas para o negócio continuem a ter prioridade?

Assim, para uma estratégia móvel eficaz, é preciso – antes de tudo – avaliar, dentro das várias opções de aplicativos web disponíveis, quais realmente contribuem para a rotina de trabalho. Outro ponto fundamental para garantir que a consumerização e a tendência do BYOD (Bring Your Own Device) tragam verdadeiros benefícios para a companhia é explorar a comunicação unificada.

A integração de todos os canais de acesso em uma interface única impacta diretamente na redução do tempo de resposta de uma demanda, seja ela interna – de superiores ou subordinados, ou externa – mercado e clientes. Como isso funcionaria no dia-a-dia? Eis o exemplo – um único profissional possui diversos pontos de contato – ramal, celular, Facebook, MSN, Twitter, email pessoal, corporativo, entre outros.

Com uma interface que unifique todos esses canais de comunicação, a pessoa será contactada pelo canal que estiver disponível no momento: a isso damos o nome de status de presença. Ou seja, se eu estou enxergando, pela minha interface, que o meu contato está ao telefone, não vou ligar, pois sei que será em vão.

Ao invés disso, mandarei uma mensagem de texto. Quando eu sei, exatamente, qual ferramenta devo usar para entrar em contato com a pessoa com que eu preciso falar, diminuo o tempo de resposta e aumento minha produtividade, impactando diretamente os meus resultados. Estratégias de mobilidade eficazes são executadas com soluções que contribuem para o aumento da produtividade, estabelecendo uma experiência positiva – para a empresa, para o mercado e para os clientes, por meio de uma avaliação detalhada e minuciosa, mas sem perder agilidade,  afinal esse é o ritmo dos negócios nos dias de hoje.

Um exemplo disso é que, enquanto discutimos, aqui, o BYOD, um novo movimento se aproxima: o BYOA (Bring Your Own Application). A partir dessa tendência, os funcionários decidirão por qual aplicação – e não só device – irão trabalhar e interagir com os demais, o que torna a comunicação multicanal ainda mais vital para os negócios.

Thiago Siqueira é diretor de tecnologia e inovação da Avaya, líder global em sistemas e serviços para comunicação corporativa e colaboração.

 

 



Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann