Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Feliz Páscoa, principalmente às pessoas que sofrem

Feliz Páscoa, principalmente às pessoas que sofrem

16/04/2019 Padre Wagner Ferreira da Silva

Uma vez por ano, a propaganda comercial nos faz recordar que a Páscoa está chegando.

Os anúncios de ovos de chocolate começam a dominar os mais diferentes meios de comunicação. Além de dar água na boca, o tradicional ovo de Páscoa simboliza uma vida que está surgindo, justamente porque não se pode celebrar tal festa sem recordar o seu verdadeiro motivo.

Para os cristãos, a Páscoa tem um “sabor” mais sofisticado: o sabor da fé no mistério da ressurreição de Jesus Cristo.

Para se compreender um pouco desse mistério da fé cristã, cito um trecho do evangelho de Lucas (24,1-8): “No primeiro dia da semana, muito cedo, (algumas mulheres) dirigiram-se ao sepulcro com os aromas que haviam preparado. Acharam a pedra removida longe da abertura do sepulcro. Entraram, mas não encontraram o corpo do Senhor Jesus. Não sabiam elas o que pensar, quando apareceram em frente delas dois personagens com vestes resplandecentes. Como estivessem amedrontadas e voltassem o rosto para o chão, disseram-lhes eles: 'Por que buscais entre os mortos aquele que está vivo? Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos de como ele vos disse, quando ainda estava na Galileia: O Filho do Homem deve ser entregue nas mãos dos pecadores e crucificado, mas ressuscitará ao terceiro dia'. Então elas se lembraram das palavras de Jesus.”

Esse trecho evangélico nos recorda o que os cristãos celebram na Páscoa: o dom de uma vida nova que Cristo ressuscitado oferece a todos os que acreditam nele, àqueles que pela fé proclamam Jesus como Senhor e Salvador da humanidade.

Depois de sofrer a paixão e a morte de cruz, Jesus ressuscitou, garantindo, aos que nele acreditam, a graça para vencer as seduções ilusórias do pecado, bem como a graça da eterna comunhão de amor com Deus. Eis o “delicioso sabor” da Páscoa dos cristãos.

Neste ano, com o imenso desejo que todos celebrem a Páscoa “provando” a fé em Jesus ressuscitado, penso com muita compaixão em muitos irmãos e irmãs nossos, cuja Páscoa talvez não seja celebrada de modo festivo, justamente porque padecem de algum sofrimento.

Independentemente do motivo, tipo e grau da dor desses irmãos, é possível desejar-lhes Feliz Páscoa? É possível que eles tenham uma Páscoa feliz?

Tais perguntas me fizeram recordar um documento do saudoso papa São João Paulo II. Trata-se da carta apostólica intitulada “O sentido cristão do sofrimento humano” (em latim: Salvifici doloris), que no último dia 11 de fevereiro completou 35 anos.

Nesse documento, o Santo Padre ensina que o mistério do mal está na raiz de qualquer sofrimento e dor. Sendo assim, para algumas pessoas, tal provação torna-se, infelizmente, motivo para perder a fé em Deus ou ao menos para questionar o amor de Deus pela humanidade.

Talvez consigamos até aceitar o sofrimento como resultado de uma escolha errada. Porém, como é difícil compreender o sofrimento de quem não tem culpa, de um inocente!

Para os cristãos, continua São João Paulo II, Aquele que ressuscitou foi o mesmo que sofreu a paixão e a morte de cruz, e por isso a fé em Jesus ressuscitado tem o poder de não somente consolar a angústia dos sofredores, mas sobretudo de oferecer uma profunda alegria espiritual.

Além disso, a fé pascal desencadeia gestos concretos de solidariedade aos que padecem algum tipo de sofrimento, e nestes gestos de misericórdia, Cristo ressuscitado se manifesta.

Podemos portanto dizer também aos que sofrem: Feliz Páscoa!

* Padre Wagner Ferreira da Silva é vice-presidente da Comunidade Canção Nova.

Fonte: Assessoria de Imprensa Canção Nova



Um doidivanas incorrigível

Todos reconhecem Camilo Castelo Branco, como escritor talentoso. Admiram-lhe a riqueza do vocabulário e a vernaculidade da prosa.


O metaverso vem aí e está mais próximo do que você imagina

Você, assim como eu, já deve ter ouvido falar no Metaverso.


Indulto x Interferência de Poderes

As leis, como de corriqueira sabença, obedecem a uma ordem hierárquica, assim escalonadas: – Norma fundamental; – Constituição Federal; – Lei; (Lei Complementar, Lei Ordinária, Lei Delegada, Medida Provisória, Decreto Legislativo e Resolução).


Você e seu time estão progredindo?

Em qualquer empreitada, pessoal, profissional ou de times, medir resultados é crucial.


Propaganda eleitoral antecipada

A propaganda para as eleições neste ano só é permitida a partir do dia 16 de agosto.


Amar a si mesmo como próximo

No documentário “Heal” (em Português, “Cura”), disponível no Amazon Prime, há um depoimento lancinante de Anita Moorjani, que, em Fevereiro de 2006 chegou ao final de uma luta de quatro anos contra o câncer.


O peso da improbidade no destino das pessoas

O homem já em tempos pré-históricos se reunia em volta das fogueiras onde foi aperfeiçoada a linguagem humana.


Mercado imobiliário: muito ainda para crescer

Em muitos países, a participação do mercado imobiliário no Produto Interno Bruto (PIB) está acima de 50%, enquanto no Brasil estamos com algo em torno de 10%.


Entender os números será requisito do mercado de trabalho

Trabalhar numa empresa e conhecer os seus setores faz parte da rotina de qualquer colaborador. Mas num futuro breve esse conhecimento será apenas parte dos requisitos.


Quais os sintomas da candidíase?

A candidíase é uma infecção causada por uma levedura (um tipo de fungo) chamada Candida albicans.


Entenda o visto humanitário para ucranianos

A invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada em 24 de fevereiro, já levou mais de 4 milhões de ucranianos a deixarem seu país em busca de um lugar seguro.


Exigência de vacina não é motivo para rescisão indireta por motivo ideológico

Não se discute mais que cabe ao empregador, no exercício de seu poder diretivo e disciplinar, zelar pelo meio ambiente de trabalho saudável.