Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Garra, Paixão e Empolgação!

Garra, Paixão e Empolgação!

10/03/2011 Marizete Furbino

"O sucesso vem da tomada de iniciativa e determinação, persistindo, eloquentemente expressando a profundidade do seu amor. "(Anthony Robbins)

Em ritmo de carnaval, todos os integrantes das escolas de samba do Rio de Janeiro desfilam com muita garra, paixão e empolgação. E isso é tudo o que as empresas necessitam de seus colaboradores para se destacarem e ascenderem no mercado.

De igual modo, as demonstrações de amor são notórias; o folião pode estar doente e até de muletas, mas tudo o que quer é ver a sua escola ganhar. Portanto, não se ausenta por qualquer motivo, ao contrário, participa de fato de todo o evento. Contagiado pela alegria e pela vontade de vencer, ele se doa, se entrega e muito, com um objetivo único, o de ver a sua escola no pódio.

É importante lembrar que qualquer imprevisto ou obstáculo que porventura surgir em meio ao desfile, não retira a empolgação dos integrantes das escolas de samba. Nesse momento verifica-se que o que prevalece é a união, um clima de confraternização, sendo notável a vibração e o vigor de quem quer ver “a todo custo” a sua escola se destacar ao longo de todo o desfile. Todos se unem em prol da escola, defendendo a sua bandeira, com muita dança no ritmo do samba, alegria, garra e determinação.

Vê-se, portanto, que a paixão e a emoção pela escola aparecem estampadas no rosto de cada folião e, por conseqüência, todos aparecem contagiados pela alegria, desfilando com muita garra, esbanjando emoção, fazendo contagiar todos os presentes na avenida.

Não é preciso duvidar que existe um grande caso de amor entre o folião e a escola de samba. Tal paixão se desdobra em um verdadeiro “casamento”. Assim, o que se verifica é que ali há todo um cuidado, muita união, cumplicidade, lealdade, fidelidade, transparência, dedicação e emoção, fazendo bater forte e em ritmo disparado e a todo instante, o coração.

Interessante notar que, garra, paixão e empolgação, são três pilares que acompanham os foliões desde os ensaios, quando dos repiques e tamborins, fazendo “esquentar” mais e mais, dando um colorido todo especial, o que contribui para fechar com chave de ouro todo ensaio realizado.

Comprovamos, portanto, que empolgação, alegria e criatividade marcam os desfiles das escolas de samba, que somados com muita garra, sede de vencer e paixão. Os foliões se entregam de corpo e alma na avenida, firmando cada vez mais a sua participação, levando assim a escola a obter a premiação, fazendo do desfile pura magia e emoção.

A preocupação que se estabelece em querer vencer faz com que a sede do querer ser, prevaleça sobre o ter. É com este princípio que o folião enfrenta qualquer barreira e ultrapassa cada obstáculo encontrado em meio à caminhada e, com muita garra e muito empenho, se supera em tudo e aprende, cobrando cada vez mais de si próprio a sua vitória, fazendo com que desta forma a escola se destaque e brilhe no sambódromo.

É sabido que dedicação, zelo, empenho, comprometimento, envolvimento, motivação, energia, alegria, entusiasmo, e eventuais dividendos, advêm da paixão pelo que fazemos. Se tivermos paixão pelo que nos propusermos a fazer não sentiremos nosso trabalho como um fardo, pois teremos prazer em exercer nossa função. Assim, sentir paixão pelo que fazemos, além de constituir hoje um grande diferencial, alavanca a empresa, fazendo-a se destacar.

Nesse contexto, observa-se que em um mundo onde o mercado é altamente competitivo, o profissional que não tiver paixão pelo que faz estará fadado ao fracasso, correndo o risco de colocar a empresa também no mesmo barco. Sem paixão não há motivação; sem motivação não há empolgação; sem empolgação não há garra; sem garra não há dedicação; e sem dedicação não há produção e inovação. Portanto, sem esses essenciais elementos, não pode existir um resultado favorável e esperado. Sendo assim, este profissional correrá grande risco de ser esmagado e expulso pelo mercado.

Em outras palavras, é preciso ter em mente que o comprometimento se consegue quando existem satisfação e paixão no exercício da função. É nessa condição que se verifica a doação, a entrega. Todavia, é de suma importância que a empresa propicie um ambiente estimulador e que contemple um clima, além de desafiador, agradável, onde possa despertar nos integrantes o desejo, a vontade e o prazer no exercício de suas funções, assim como ocorre nas escolas de samba. Sabidamente um profissional que se sente “amparado” e reconhecido pela empresa, mas sem qualquer paternalismo, é naturalmente um profissional comprometido.

Ante o exposto, insta dizer que, comprometimento e envolvimento constituem-se em um verdadeiro desafio, tanto para o profissional quanto para a empresa, pois ambos devem, além de conquistar, instigar e trabalhar em prol do comprometimento, isto se desejarem permanecer no mercado por um período mais longo de tempo.

Desta forma, como ressaltado anteriormente, é de suma importância enfatizar que a motivação gera uma força motriz que impulsiona o agir. O colaborador, estando motivado, terá motivos para agir, e este é o segredo!  A empresa deve então sempre incentivar o colaborador. Assim, terá colaboradores motivados e obterá resultados esperados.

Baseando-se nos fundamentos acima expendidos, fica evidente que a empresa inteligente faz com que seus colaboradores se tornem como os foliões, atuando de forma alegre, contagiante, com muita garra, emoção, motivação, muito empenho, paixão, muito amor, dedicação, muito comprometimento e envolvimento, pois, tem consciência que o mercado está cada vez mais difícil. É salutar que se tenha em mente que é necessário matar não apenas um, mas vários leões a cada dia; portanto, é decisivo se cercar de colaboradores “foliões”.

* Marizete Furbino, com formação em Pedagogia e Administração pela UNILESTE-MG, especialização em Empreendedorismo, Marketing e Finanças pelo UNILESTE-MG. É Administradora, Consultora de Empresa e Professora Universitária no Vale do Aço/MG - e-mail: [email protected]



Senado e STF colidem sobre descriminalizar a maconha

O Senado aprovou, em dois turnos, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) das Drogas, que classifica como crime a compra, guarda ou porte de entorpecentes.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes