Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Gerenciamento de crise em tempos atuais

Gerenciamento de crise em tempos atuais

11/11/2017 Vera Lucia Rodrigues

Como lidar com os problemas virtuais.

O gerenciamento de qualquer crise segue mais ou menos os preceitos básicos, o que muda são as características do ambiente onde elas acontecem. Frequentemente surgem questionamentos sobre como é que se faz gerenciamento de crise nas redes sociais.

E o que se pode afirmar com toda a certeza é que não existe uma receita pronta e acabada. Cada crise é única e cada situação deve ser analisada e tratada de maneira adequada para que o problema seja resolvido rapidamente e com o mínimo de danos à imagem do cliente.

No entanto, alguns passos devem ser considerados na hora de gerenciar uma crise on-line. A primeira ação que deve ser lembrada é que: quanto mais tempo se demora para reagir à crise, mais ela aumenta. Problemas em qualquer esfera da vida não desaparecem sozinhos, só pioram com o tempo se a gente der as costas.

Com as crises corporativas, a lógica é a mesma. Sendo assim a rapidez conta muitos pontos para diminuir a repercussão da crise na internet, é importante que se dê a primeira resposta já nos primeiros minutos. É importante contar com respostas padronizadas, sem margem para ampliação do problema.

Assim, mesmo que não se tenha todas as informações necessárias para um posicionamento oficial, é possível responder rapidamente, mostrando que as críticas estão sendo consideradas e analisadas e que logo que exista uma resposta oficial ela será trabalhada da melhor forma.

Quando necessário, fale diretamente com o causador da crise, ou seja, converse por meio de mensagens diretas com quem está reclamando do serviço, produto ou marca para o qual você trabalha. Busque todas as informações que dão motivo à reclamação/crise, porque com isso conseguirá responder publicamente de modo mais assertivo e sem deixar margem para mais questionamentos.

Cada pessoa e cada crítica precisam ser respondidas em tempo razoável, porque isso faz toda a diferença. É preciso demonstrar importância com cada espectador, a partir do tratamento dispensado a cada crítica, os reclamantes podem entender seus casos e expor sua opinião positiva a partir da resposta que receberem. Apesar de parecer obvio, é sempre bom lembrar, seja honesto, não invente uma história para se justificar genericamente no meio de uma crise.

Todo ser humano é passível de falhas e sendo as organizações cuidadas por pessoas, os erros podem acontecer. Todos os dias novas políticas são pensadas e postas em prática para minimizar o número de falhas nas corporações, no entanto, caso aconteça algum problema, trate-o como um problema, não se isente de culpa e busque formas de resolvê-lo da melhor forma possível para a empresa e para o reclamante.

Sim, devemos assumir que erramos e mostrar o que vai ser feito para que isso não aconteça mais, as pessoas confiam mais em empresas com política efetiva de transparência na relação com o público e respeito por ele.

É preciso aprender com cada erro, as crises acontecem, no entanto, é necessário entender seus motivos e trabalhar para que não voltem a se repetir e que com competência e transparência o problema seja solucionado, com o mínimo possível de danos à imagem corporativa.

* Vera Lucia Rodrigues é jornalista, mestre em comunicação social pela Universidade de São Paulo e diretora da Vervi Assessoria de Comunicação, empresa que há 35 anos atua na área de comunicação corporativa.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.