Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Gerenciamento de crise em tempos atuais

Gerenciamento de crise em tempos atuais

11/11/2017 Vera Lucia Rodrigues

Como lidar com os problemas virtuais.

O gerenciamento de qualquer crise segue mais ou menos os preceitos básicos, o que muda são as características do ambiente onde elas acontecem. Frequentemente surgem questionamentos sobre como é que se faz gerenciamento de crise nas redes sociais.

E o que se pode afirmar com toda a certeza é que não existe uma receita pronta e acabada. Cada crise é única e cada situação deve ser analisada e tratada de maneira adequada para que o problema seja resolvido rapidamente e com o mínimo de danos à imagem do cliente.

No entanto, alguns passos devem ser considerados na hora de gerenciar uma crise on-line. A primeira ação que deve ser lembrada é que: quanto mais tempo se demora para reagir à crise, mais ela aumenta. Problemas em qualquer esfera da vida não desaparecem sozinhos, só pioram com o tempo se a gente der as costas.

Com as crises corporativas, a lógica é a mesma. Sendo assim a rapidez conta muitos pontos para diminuir a repercussão da crise na internet, é importante que se dê a primeira resposta já nos primeiros minutos. É importante contar com respostas padronizadas, sem margem para ampliação do problema.

Assim, mesmo que não se tenha todas as informações necessárias para um posicionamento oficial, é possível responder rapidamente, mostrando que as críticas estão sendo consideradas e analisadas e que logo que exista uma resposta oficial ela será trabalhada da melhor forma.

Quando necessário, fale diretamente com o causador da crise, ou seja, converse por meio de mensagens diretas com quem está reclamando do serviço, produto ou marca para o qual você trabalha. Busque todas as informações que dão motivo à reclamação/crise, porque com isso conseguirá responder publicamente de modo mais assertivo e sem deixar margem para mais questionamentos.

Cada pessoa e cada crítica precisam ser respondidas em tempo razoável, porque isso faz toda a diferença. É preciso demonstrar importância com cada espectador, a partir do tratamento dispensado a cada crítica, os reclamantes podem entender seus casos e expor sua opinião positiva a partir da resposta que receberem. Apesar de parecer obvio, é sempre bom lembrar, seja honesto, não invente uma história para se justificar genericamente no meio de uma crise.

Todo ser humano é passível de falhas e sendo as organizações cuidadas por pessoas, os erros podem acontecer. Todos os dias novas políticas são pensadas e postas em prática para minimizar o número de falhas nas corporações, no entanto, caso aconteça algum problema, trate-o como um problema, não se isente de culpa e busque formas de resolvê-lo da melhor forma possível para a empresa e para o reclamante.

Sim, devemos assumir que erramos e mostrar o que vai ser feito para que isso não aconteça mais, as pessoas confiam mais em empresas com política efetiva de transparência na relação com o público e respeito por ele.

É preciso aprender com cada erro, as crises acontecem, no entanto, é necessário entender seus motivos e trabalhar para que não voltem a se repetir e que com competência e transparência o problema seja solucionado, com o mínimo possível de danos à imagem corporativa.

* Vera Lucia Rodrigues é jornalista, mestre em comunicação social pela Universidade de São Paulo e diretora da Vervi Assessoria de Comunicação, empresa que há 35 anos atua na área de comunicação corporativa.



O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder


O gato que caiu dentro das latas de tinta

Todas as histórias começam com Era uma Vez… A minha não vai ser diferente.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Apesar da polarização radical, brasileiros não abrem mão da Democracia

Desde as eleições presidenciais de 2018, temos percebido a intensificação da polarização política no país, com eleitores cada vez mais divididos.

Autor: Wilson Pedroso