Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Governança Corporativa e Compliance

Governança Corporativa e Compliance

27/05/2023 Thiago Campaz

Como transformar despesas em estratégia de lucro?

Alcançar o sucesso no mundo corporativo é o sonho de vários empreendedores espalhados pelo Brasil. Mas será que todos entendem quais são os requisitos para manter uma gestão que se destaque diante do mercado?

Não é segredo para nenhum executivo que um bom primeiro passo é estruturar planos de ação, promover regras e, claro, controles internos para garantir que tudo flua conforme o necessário.

Em outras palavras, trata-se de apostar em práticas de governança corporativa que estabeleçam normas para aprimorar a qualidade financeira de uma organização, suas metas e, consequentemente, impulsionar o crescimento.

Porém, como isso é possível? Arriscando 100% em uma equipe altamente qualificada para o time de gestão e na sua respectiva interação com os pares.

Afinal, apenas desta forma, as empresas conseguem garantir que tudo ande conforme os valores morais, a missão e a visão que regem a rotina corporativa.

Dentro do departamento financeiro, por exemplo, a solução para um dos grandes desafios dos CFOs e gestores financeiros na seniorização da equipe e na estratégia interna passa, invariavelmente, pela otimização de processos.

Alcançar a eficiência operacional já não é mais tão complicado, dado a quantidade de fintechs que fornecem soluções inteligentes para tornar processos excessivamente manuais em processos eficientes, como é o caso da gestão e conferência de despesas de reembolsos e cartões corporativos, por exemplo.

Além disso, a tecnologia financeira funciona também como uma forte viabilizadora da governança corporativa e insumo estratégico para a área, por meio da vasta oferta de dados compilados sobre as despesas e custos da empresa.

Após isso, é interessante construir, desde o começo, uma estrutura organizacional que ficará responsável por estimular os processos de transparência na empresa, otimizando recursos internos e, ainda, os tipos de políticas que governarão cada processo.

Lembrando que a ausência de governança corporativa (43,8%) e equipes despreparadas (36,7%) são alguns dos atuais entraves que mais dificultam a implementação de inovação nas empresas, segundo um levantamento da consultoria de inovação ACE Cortex.

De acordo com o estudo, os C-levels e gerentes estão cada vez mais envolvidos com as temáticas de inovação no ambiente empresarial, ao passo que a governança corporativa tem conquistado espaço no planejamento das organizações.

Considerada um fio condutor para que a nova cultura de compromisso seja implementada no universo empresarial, a governança corporativa aliada ao compliance, minimiza as fraudes financeiras e facilita a vida do colaborador.

Os reembolsos são os grandes “vilões” quando o assunto é fraude corporativa e representam 21% das artimanhas empresariais, custando aproximadamente US$2 bilhões às empresas americanas todos os anos, segundo pesquisa realizada pela Chrome River.

Nesse sentido, a partir do momento em que as práticas de governança corporativa são capazes de converter, sobretudo, princípios básicos em recomendações objetivas, as empresas chamam a atenção de investidores em potencial, que buscam a participação em uma marca de sucesso, que disponha de valores e transparência.

E se não bastasse isso, as chances de sofrer com crises financeiras também minimizam, à medida que os processos são mais fluidos, facilitando a tomada de decisões.

Portanto, compliance e governança corporativa são conceitos complementares e fundamentais, uma vez que os escândalos de corrupção e fraudes financeiras só aumentam.

Por isso, aposte em práticas que facilitem a tomada diária de decisões, isto fará o negócio não apenas crescer, como se consolidar no mercado.

Afinal, estas práticas além de preservarem e otimizarem o valor econômico da empresa a longo prazo, facilitam o acesso a recursos e contribuem para a qualidade de gestão, longevidade e bem comum.

* Thiago Campaz é CEO e co-fundador do VExpenses.

Para mais informações sobre governança corporativa clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Piar Group



PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques


Violência urbana no Brasil, uma guerra desprezada

Reportagem recente do jornal O Estado de S. Paulo, publicada no dia 3 de março, revela que existem pelo menos 72 facções criminosas nas prisões brasileiras.

Autor: Samuel Hanan


Mundo de mentiras

O ser humano se afastou daquilo que devia ser e criou um mundo de mentiras. Em geral o viver passou a ser artificial.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Um País em busca de equilíbrio e paz

O ambiente político-institucional brasileiro não poderia passar por um tempo mais complicado do que o atual.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nem Nem: retratos do Brasil

Um recente relatório da OCDE coloca o Brasil em segundo lugar entre os países com maior número de jovens que não trabalham e nem estudam.

Autor: Daniel Medeiros


Michael Shellenberger expôs que o rei está nu

Existe um ditado que diz: “não é possível comer o bolo e tê-lo.”

Autor: Roberto Rachewsky