Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Imperabilidade Inexistente

Imperabilidade Inexistente

24/01/2020 Alexandre Motta

Bom, para começar este artigo, tenho que confessar que a palavra “imperabilidade” não existe.

Ela foi inventada por mim com o único propósito de refletir uma ação que eu acho que ainda é a mola propulsora do sucesso para o advogado. Em breve volto a isso no artigo. Primeiro vamos conceitualizar essa nova palavra criada.

Imperabilidade é a força motora que faz com que a pessoa comande sua vida profissional da maneira necessária, independente dos desafios e esforços extras que isso lhe demande.

É a capacidade de imperar sobre sua carreira de modo intenso e imediato, sem desculpas, aguardos e/ou possibilidades de prorrogação de prazos.

Mais do que trabalhar, é reinar sobre a evolução profissional e suas etapas de crescimento, de modo proativo e antecipado.

Agora que conceitualizamos a palavra, fica fácil entender qual o enfoque que quero dar neste artigo e o porque o título do artigo é o dúbio “Imperabilidade Inexistente”, significando tanto que a palavra não existe, quanto o fato de que é exatamente isso que falta em muitos advogados. Retomo então o começo do artigo.

Estamos novamente em começo de ano e, mais uma vez, a maioria das pessoas que converso vem com a frase “você sabe, o Brasil só começa depois do carnaval”.

Sendo muito sincero, esta é uma das frases que mais demonstra o quanto o brasileiro é despreparado para se tornar um profissional de nível internacional, principalmente porque ela é verdadeira.

Sim, o brasileiro espera passar o carnaval (independente de data que caia) para começar a pensar nos projetos e resoluções necessárias.

Outro dia estava conversando com um contato que veio da Alemanha e ele me disse: “Mas como assim? Vocês esperam 2-3 meses para começar o trabalho? Se o carnaval for em julho, vocês ficam sem trabalhar metade do ano?”.

Entre risadas (nervosas, para dizer a verdade) expliquei a ele que não era bem assim, mas que realmente o cenário da advocacia brasileira tem muitos e muitos e muitos e muitos e muitos e muitos e muitos profissionais que só começam a pensar em projetos depois do oba-oba de carnaval.

Veja que todo este meu discurso vai diretamente para aqueles que efetivamente tem esta postura. Também conheço muitos advogados que tem o mindset voltado para negócios e atropelam carnaval e feriados buscando seus objetivos. Mas infelizmente esse número é pequeno, comparado aos demais.

Matematicamente, se você colocar no papel todos os feriados, emendas de pontes, chegadas mais tardes, saídas mais cedo (geralmente para aquele happy hour esperto) aliadas ao infame já comentado “o Brasil só começa depois do carnaval” e ainda a detestável “no final de novembro o Brasil já pára em função das festas”, sobra-se nada para trabalhar seriamente.

Se implementar uma advocacia de sucesso já é difícil, imagina com tempo reduzido. E aí vemos surgir mais uma frase de cabeceira: “não tenho tempo”.

Meu amigo alemão (comigo fazendo uma dupla) diria “espera um pouco. Você diz que sua prioridade é crescer como advogado. Mas tem tempo para sambar e não tem tempo para focar nas atividades que vão te trazer sucesso? Bist du verrückt!”

E veja que não sou eu quem está falando isso. Existem dezenas de estudos que mostram que um dos principais hábitos dos profissionais de sucesso (incluindo-se aí advogados de renome) é ter foco nas prioridades de sua vida, diminuindo a intensidade para outros tipos de ação.

Isso significa que, se você não é porta-bandeira de uma escola de samba, o “começar depois do carnaval” não deveria significar nada para você. 

Agora seja sincero consigo mesmo. Se você ainda não está no patamar que deseja e tem objetivos para conquistar, entende que o trabalho, com foco, começa já no início de janeiro?

Se sim, ótimo. Se não, você precisa aprender a ter imperabilidade, ou seja, controlar seu destino em termos de evolução de carreira.

Ninguém vai fazer por você e todo minuto gasto na construção de seu sonho, serão horas de deleite quando finalmente perceber que todo o esforço extra compensou no final.

Sinceramente, não sei quais as ações que você precisa fazer para evoluir em seus objetivos. O que eu sei é que você tem fazer, o que quer que seja, antes dos demais, melhor que os demais e com mais intensidade que os demais. E isso é uma certeza.

Imperabilidade é você nunca ser refém da situação profissional em que você se encontra. É nunca ser o carona, mas sim o motorista.

É deixar de ser um mero protagonista para ser o escritor da sua história. É tomar as rédeas do cavalo mais selvagem que você jamais domou.

Imperabilidade é o seu futuro colocado em prática.

Bom crescimento!

* Alexandre Motta é sócio diretor do Grupo Inrise, autor dos livros “Marketing Jurídico: os Dois Lados da Moeda” e “O Guia Definitivo do Marketing Jurídico” e através de sua experiência prática em marketing jurídico, atualmente mantém inúmeros escritórios sob sua responsabilidade de atuação e crescimento ético.

Fonte: Grupo Inrise



Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan


Roubos de credenciais desviam 15 milhões da União

Nos últimos dias, a imprensa noticiou o desvio de valores do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), do Ministério da Fazenda.

Autor: Diego Muniz


Escola cívico-militar, civismo e organização…

São Paulo teve o desprazer de assistir um grupo de jovens que se dizem secundaristas invadir o plenário da Assembleia Legislativa e parar a sessão com o propósito de impedir a votação do projeto, de autoria do governador, que institui a escola cívico-militar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves