Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Impressão digital para a indústria têxtil

Impressão digital para a indústria têxtil

24/05/2019 Luiz Humberto Carli

Cores e oportunidades à disposição do mercado.

A moda é movida por novidades. Engana-se, porém quem pensa que estamos falando somente a respeito das tendências e modelos que aparecem nos desfiles de uma nova coleção.

Em uma era cada vez mais focada em temas como produção inteligente e sustentável, a indústria têxtil também tem modernizado o que está por trás das passarelas, dando forma e cores aos tecidos. Tudo isso graças às inovações técnicas e da evolução de um ponto em especial: as novas formas de impressão digital.

Pode parecer exagero, mas não é. Estudos indicam que o avanço de tecnologias associadas à estamparia e sublimação digital tem aumentado paulatinamente os ganhos e opções à disposição das empresas do setor, tornando as produções mais eficientes e rápidas.

De acordo com o levantamento “O Futuro da Impressão Digital Têxtil para 2023”, desenvolvido pela consultoria Smithers Pira, o volume de impressão neste mercado passou de 548 milhões de metros quadrados, em 2013, para 1,16 bilhão de metros quadrados, no ano passado.

A área têxtil está em crescimento e a melhor notícia é que essa perspectiva não deve mudar em curto ou médio prazo. A pesquisa aponta que em 2023 o volume de impressão em tecido será mais do que o dobro da produção atual e o faturamento poderá chegar a US$ 3,75 bilhões.

Esse panorama tem sido possível por uma série de fatores. Em primeiro lugar porque a inovação dos sistemas de impressão tem permitido que as companhias têxteis avançassem em pontos como qualidade de produção e agilidade.

Os equipamentos mais modernos contam com tecnologias que garantem, entre outros benefícios, melhor controle dos materiais e a maior rapidez na hora de finalizar a produção de cada peça.

Os dispositivos estão muito mais ágeis e eficientes do que eram no passado. Isso permite que as companhias aumentem sua capacidade produtiva, mesmo em relação à confecção de itens que exigiriam, antes, maior tempo de acabamento e sublimação.

Em destaque, podemos apontar o avanço das soluções de papel Transfer, que estão fazendo com que o segmento têxtil aprimore cada vez mais a produção de peças customizadas, agregando mais precisão e rentabilidade, além de reduzir os custos e o tempo necessário para a finalização dos itens.

Como resultado, é importante frisar que a atual geração de máquinas de impressão em Transfer tem ajudado a reforçar e ampliar, também, as oportunidades criativas deste mercado.

Esse cenário representa uma enorme vantagem competitiva para as empresas, que garantem com isso a chance de terem novas possibilidades de negócios e maior controle de qualidade (com melhor capacidade de reprodução de cores e durabilidade, por exemplo) em suas linhas produtivas.

Outro ganho indiscutível nesse contexto é a flexibilidade. Afinal, um dos ganhos práticos provocados pela nova geração de equipamentos de impressão digital é justamente a capacidade de preparar pequenas tiragens, seja para a análise de provas de conceito ou para a venda de itens personalizados.

Isso é especialmente atraente para as companhias, pois pesquisas do Gartner indicam que o varejo terá, este ano, cerca de 30% de todo seu faturamento obtido a partir da comercialização de itens customizados.

Dessa forma, é de se esperar que a impressão digital assuma, cada vez mais, um papel de impulsionador nas receitas das empresas no setor.

Além disso, é valioso notar que a adoção dessas ferramentas mais modernas tem ajudado a indústria têxtil a também responder demandas mais estratégicas.

Em especial, no caso, em relação à sustentabilidade, com insumos que provocam menor impacto ambiental, uma vez que o setor responde por algo em torno de 10% das emissões globais de gases de efeito estufa. As novas máquinas tornam o beneficiamento têxtil mais sustentável, sobretudo em comparação aos processos antigos de estamparia e tingimento.

Assim, o segmento consegue hoje poupar água, energia elétrica e insumos, sem abrir mão de qualidade de acabamento e sem distorções ou erros.

Vale dizer, ainda, que os ganhos trazidos pela aplicação da impressão digital afetam toda a indústria, de ponta a ponta.

Ganham os designers e estilistas, que podem trabalhar com novas opções para explorarem suas criatividades; as empresas, que diminuem custos e maximizam o atendimento aos clientes; e os consumidores, que passam a ter roupas e produtos mais bonitos, personalizados e de alta qualidade.

A evolução tecnológica da impressão no setor têxtil mostra porque é necessário que toda a cadeia produtiva esteja em constante evolução.

O atual momento exige a inovação em busca de melhores resultados, com recursos e ferramentas que garantam agilidade e eficiência. Somente assim, as companhias poderão causar, literalmente nesse caso, uma ótima impressão para os consumidores.

* Luiz Humberto Carli é Diretor Geral da OKI Data Brasil.

Fonte: PLANIN



Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.


2021 – A ironia de mais um ano que ficará marcado na história

Existe um elemento no ano de 2021 que imputou e promoveu uma verdadeira aposta de cancelamentos e desejos para que ele seja mais um ano apagado da memória de milhares de pessoas: A pandemia, que promoveu o desaparecimento definitivo de milhares de pessoas.


Negócios do futuro: por que investir em empreendedorismo no setor financeiro

Você sabia que 60% dos jovens de até 30 anos sonham em empreender?


A importância de formar talentos

Um dos maiores desafios das empresas tem sido encontrar talentos com habilidades desenvolvidas e preparados para contribuir com a estratégia da empresa.


Sustentabilidade em ‘data center’: setor se molda para atender a novas necessidades

Mesmo que a sustentabilidade ainda seja um tema relativamente novo no segmento de data center, ele tem se tornado cada vez mais necessário para as empresas que querem agregar valor ao seu negócio.


Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

A expectativa para o próximo ano é de aumento grande no número de recuperações judiciais e restruturações financeiras, comparativamente, aos anos de 2021 e 2020.