Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Inteligência e os sistemas de apoio à decisão

Inteligência e os sistemas de apoio à decisão

19/06/2015 Elaine C. Marcial

Quantas decisões equivocadas você já tomou ou viu alguém ou alguma organização tomar?

Já parou para pensar por que elas não deram certo? Quantas empresas já quebraram ou perderam parte significativa de seu mercado por tomarem decisões ruins?

Já parou para pensar por que isso acontece? Para mim, a falta de informação ou a incapacidade de dar o devido valor à informação que lhe foi entregue ou está disponível é a principal causa da má decisão.

Lembro que informação demais disponível também gera falta de informação, pois quem a utiliza fica perdido, sem saber qual utilizar e qual é realmente relevante para aquele momento.

Os sistemas de apoio à decisão, em geral, disponibilizam para o tomador de decisão uma série de informações, na sua maioria sintetizando dados internos da organização.

Apresentam pouca ou nenhuma variável qualitativa, fatos ou eventos, e quase nada sobre o ambiente externo. Muitas vezes, também apresentam tanta informação que quem toma a decisão acaba não sendo consultado durante o processo decisório.

Lembro que não é qualquer informação que o tomador de decisão necessita. Ele precisa da informação certa, na hora certa, para tomadas de decisão certa.

Essa informação oportuna deve atender a uma finalidade bem definida, ser relevante, clara e precisa. Também deve ser concisa, pois o tempo nunca teve tanto valor. Essas são as características da Inteligência produzida, que também deve ser capaz de antecipar os acontecimentos para evitar que a organização e/ou o tomador de decisão sejam surpreendidos.

Cabe ao profissional de Inteligência Competitiva produzir essa informação que faz a diferença, mas também conseguir romper os pontos cegos desenvolvidos pelo decisor para que essa informação se transforme em decisão e ação.

Nesse contexto, um bom sistema de apoio à decisão deve levar em conta os princípios da Inteligência e ser capaz de absorver a Inteligência produzida.

Como nos ensinou Sun Tzu, para ganharmos qualquer batalha temos que nos conhecer, conhecer o inimigo e o ambiente. Ele também deve ser protegido para que o conhecimento sensível armazenado não caia em mãos erradas.

Um bom sistema de Inteligência é capaz de alterar até a cultura de uma organização, como ocorreu no início da década de 1990 com a IBM. A Big Blue vinha perdendo mercado em anos consecutivos e nem se dava conta disso.

Na realidade, nem tinha conhecimento que tinha concorrentes que estavam crescendo dentro do mercado dela, sem que ela percebesse. A implantação do Sistema de Inteligência na IBM, além de municiar a empresa com informações relevantes para o processo decisório, tinha como objetivo mudar a cultura da organização e eliminar os pontos cegos ligados ao mercado e à atuação da concorrência.

E na sua organização, há um sistema de Inteligência que suporta o processo decisório? Ele alimenta os sistemas de apoio às decisões existentes? Se não, sugiro investir antes que seja surpreendido pelo seu concorrente ou um novo entrante.

* Elaine C. Marcial é professora da disciplina “Inteligência e Sistemas de Apoio a Decisão” no MBA em Inovação, Inteligência e Estratégia Competitiva do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG).



Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.


O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli