Portal O Debate
Grupo WhatsApp

“Je suis Brasil”

“Je suis Brasil”

18/01/2015 Dirceu Cardoso Gonçalves

A indignação oficial e comunitária preservou a liberdade de imprensa, como princípio básico da democracia.

O ataque encetado por motivos religiosos ao jornal crítico-humorístico “Charlie Hebdo”, de Paris, que resultou em duas dezenas de mortes, é inaceitável e sua violência indigna o mundo.

Mobilizou os principais chefes de Estado e a população que, no impacto do terror, relevaram os agravos da publicação, além de colocar os serviços policiais e de inteligência em regime de alerta máximo. Toda essa repercussão, inclusive no Brasil, propiciou garantias para o jornal continuar em funcionamento e, na sua volta, apresentar tiragem de 3 milhões de exemplares em vez do 60 mil habituais.

A indignação oficial e comunitária preservou a liberdade de imprensa, como princípio básico da democracia. O mundo inteiro, especialmente o Brasil atual, precisam tirar lições disso e manifestarem-se também em favor dos próprios interesses coletivos e dos princípios de convivência pacífica.

São igualmente terrorismo e atos de lesa-humanidade fatos que infelizmente se tornaram corriqueiros e que, impotentes, presenciamos diariamente em São Paulo e outras localidades brasileiras, perante autoridades inertes, como o queimar vivos dentistas e outras vitimas de roubos, latrocínios, torturas, sequestros, saidinha de banco, assalto a carros fortes, arrastões, o crime organizado e o próprio sistema carcerário estatal que não cumpre com o seu dever de recuperar presos.

Esse espetáculo de horror só existe em razão falta de compromisso cívico e da maldita corrupção que grassa nos diferentes níveis da administração pública e da vida empresarial. A sociedade brasileira precisa também indignar-se com esses nefastos comportamentos e usar o seu poder de mobilização – assim como se fez em Paris em favor do jornal e da liberdade de expressão – para dar um basta a todas essas ações e exigir dos governos e das autoridades policiais-judiciais a justa e exemplar reprimenda.

Não basta protestar contra o aumento R$ 0,20 na passagem de ônibus ou xingar as autoridades e depredar instalações. Há que se lutar com todas as forças contra a impunidade, a corrupção, as mortes, o sofrimento, o medo e os traumas sofridos pela população no estado de barbárie cada dia mais presente em nossa sociedade. A democracia é o ideal do cidadão e o pressuposto do mundo livre. Mas não pode se esquecer de que, até por uma questão física e territorial, há de se estabelecer e cumprir regras de convivência, sem as quais o próprio regime é fadado a perecer.

O brasileiro precisa usar seu poder de reivindicação e mobilização para exigir das autoridades o cumprimento das regras garantidoras do equilíbrio social. Todo cidadão, desde o mais alto dignatário dos poderes constituídos até o mais humilde dos brasileiros, tem de ser submisso às leis. Tem de cumprir suas obrigações legais e exigir seus direitos. Especialmente o direito de toda a sociedade de punir e banir do convívio os que cometem as diferentes formas de “terrorismo” contra o nosso povo...

*Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).



Trabalhadores de aplicativos: necessidades e vulnerabilidades diferentes

A tecnologia é uma realidade cotidiana irreversível. As plataformas, potencializadas pelos reflexos da pandemia da Covid-19, estão inseridas nas principais atividades da vida humana.

Autor: Ricardo Pereira de Freitas Guimarães


O que é direita? O que é esquerda?

O Brasil sofreu uma enorme polarização política nos últimos anos; mas afinal, o que é esquerda ou direita na política?

Autor: Leonardo de Moraes


Reparação mecânica e as tendências para 2024

No agitado mundo automotivo, as tendências e expectativas para 2024 prometem transformar o mercado de reparação de veículos.

Autor: Paulo Miranda


Política não evoluiu no período pós-redemocratização

O que preocupa é a impressão de que no Brasil não mais existem pessoas dedicadas, honestas e com boas intenções dispostas a entrar na política.

Autor: Luiz Carlos Borges da Silveira


Manifestação da paulista: exemplo de civilidade e democracia

Vivenciamos no último domingo, 25/02/2024, um dos maiores espetáculos da democracia.

Autor: Bady Curi Neto


Rio 459 anos: batalhas deram origem à capital carioca

Diversas lutas e conquistas deram origem à capital carioca. Começo pelo dia em que Estácio de Sá venceu uma grande batalha contra os nativos que viviam no território da atual cidade do Rio de Janeiro.

Autor: Víktor Waewell


Números da economia no governo Lula

Déficit de 231 bilhões de reais: um furo extraordinário.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


Lá vai Maria

Lata d’água na cabeça Lá vai Maria Lá vai Maria

Autor: Osvaldo Luiz Silva


O combate ao etarismo em favor da dignidade da pessoa idosa

É fundamental compreender que o envelhecimento é um processo natural e que todos nós, se tivermos a sorte de viver tempo suficiente, nos tornaremos idosos.

Autor: André Naves


Qual é o futuro do ser humano?

No planeta Terra a vida tem sido, em grande parte, moldada por materialistas que examinam a situação, planejam, estabelecem os objetivos e os põem em execução.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.