Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Joaquim Barbosa x Forças Armadas

Joaquim Barbosa x Forças Armadas

13/07/2022 Bady Curi Neto

O ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, em provocação desnecessária e gratuita, voltou aos holofotes da impressa, ao atacar as Forças Armadas, em resposta à fala do General Paulo Sérgio Nogueira, durante a audiência pública ocorrida na Câmara Federal.

O General teria dito, a respeito das urnas eletrônicas: “Nenhum sistema informatizado é totalmente inviolável. Sempre existirão riscos, e citei os bancos que gastam milhões com sistemas de segurança. Não se trata de qualquer dúvida com relação ao sistema eleitoral. As Forças Armadas estavam quietinhas no seu canto e foram convidadas pelo Tribunal Superior Eleitoral para participarem dessa Comissão de Transparência das Eleições.”

Importante clamar especial atenção ao fato de que as Forças Armadas foram convidadas, como dito pelo General, pelo presidente do TSE, no intuito claro e evidente de contribuir para a credibilidade das eleições e das urnas eletrônicas, empenhando o bom nome e a insuspeição que possuem perante a população brasileira, infelizmente, descrédula das demais instituições da República.

Diante da fala do General, Joaquim Barbosa, em destemperado vernáculo, escreveu em sua rede social: “Ora, general, as Forças Armadas devem permanecer quietinhas em seu canto, pois não há espaço para elas na direção do processo eleitoral brasileiro. Ponto.” 

Por óbvio, contribuir não é meramente agir como “um dois de paus”. A fidúcia das Forças Armadas consiste no fato de sua atuação séria e imparcial, sempre agindo com altivez e responsabilidade.

Neste diapasão, não poderia ser apenas um “carimbador” de seu prestígio e sim atuar firmemente e tecnicamente para a lisura das eleições e a fiabilidade das urnas eletrônicas, atuando no papel para que foram convidadas.

O jogo de palavras de Joaquim Barbosa parece uma incontinência verbal, sem sentido, já que, como dito, o convite partiu do próprio Tribunal Superior Eleitoral.

As críticas de Joaquim estão tardias, deveria ele ter questionado o convite da Justiça Eleitoral e não a atuação das Forças Armadas, é curial.

Barbosa, ainda, firma em agredir, dizendo “Insistir nessa agenda de pressão desabrida e cínica sobre a Justiça Eleitoral, em clara atitude de vassalagem em relação a Bolsonaro, que é candidato a reeleição, é sinalizar ao mundo que o Brasil caminha paulatinamente rumo a um golpe de Estado. Pense nisso General”.

Vassalagem consiste na Relação de obediência, submissão, que o vassalo deveria manter em relação ao senhor feudal; o imposto, preito, pago pelo vassalo ao senhor feudal, suserano; reunião, grupo ou conjunto de vassalos.

Com o devido respeito, não se vê nas Forças Armadas nenhuma atitude de vassalagem a quem quer que seja, Presidente da República ou ao Tribunal Superior Eleitoral.

As Forças Armadas tem como missão, entre outras, a garantia dos poderes constitucionais constituídos e, por iniciativa destes, atuar na garantia da lei e da ordem, preservando o exercício da soberania do Estado e a indissolubilidade da Federação. 

Talvez Barbosa esteja medindo as Forças Armadas por sua própria régua, eis que, conforme histórico de sua atuação na mais alta corte de justiça, sempre que seus pares discordavam de seus votos, abandonava o raciocínio jurídico, passando para a agressão, na tentativa vã de impor sua opinião legal.

A democracia não consiste na imposição de opiniões e a agressividade, mas respeito a divergência.

Tenho dito!!!

* Bady Curi Neto é advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) e professor universitário.

Para mais informações sobre Forças Armadas clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.


O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli