Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Juquinha, um patrimônio mineiro

Juquinha, um patrimônio mineiro

11/04/2019 José Fernando Aparecido de Oliveira

Juquinha era na verdade José Patrício, um homem simples, amável e cordial, como bem é o povo mineiro.

Uma das imagens mais icônicas e inusitadas de Minas Gerias é a escultura do Juquinha da Serra do Cipó, instalada no mesmo local em que o lendário personagem viveu, às margens da rodovia MG-10, a 120km de Belo Horizonte.

A obra é uma grande e espontânea homenagem idealizada pelo prefeito de Conceição do Mato Dentro à época, o saudoso dr. Sebastião, juntamente com o prefeito de Morro do Pilar, Clério Lima.

Juquinha era na verdade José Patrício, um homem simples, amável e cordial, como bem é o povo mineiro. Passeava pelos caminhos da Serra do Cipó distribuindo flores e gentileza, e se tornou uma espécie de guardião da Serra do Cipó quando ela não era tão conhecida como destino turístico.

Juquinha foi, com toda certeza, uma das primeiras figuras a povoar o imaginário popular quanto aos atrativos que começavam a propalar dentro do destino turístico da Serra do Cipó.

Confeccionada pela artista plástica conceicionense Virgínia Ferreira, a escultura é uma obra de beleza rara, na riqueza de detalhes e formas e uma das únicas esculturas no Brasil que fica em meio à natureza, ao ar livre, longe de monumentos e praças, bem no coração da Serra do Cipó, local em que o lendário Juquinha passou boa parte de sua vida, quando a estrada ainda era de terra.

Com três metros de altura, a escultura hoje está dentro da Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço, sendo um dos principais atrativos do Circuito Turístico da Serra do Cipó. Há apenas outro monumento no mundo com essas características, localizado na Espanha.

Hoje a imagem do Juquinha da Serra do Cipó é uma das mais populares e conhecidas de nosso Estado, e se tornou, espontaneamente, uma das mais retratadas entre as muitas que representam Minas Gerais, figurando em vídeos, campanhas publicitárias, sites, redes sociais, entre muitos outros meios de comunicação.

Podemos dizer que a história do Juquinha da Serra do Cipó ganhou o mundo, recheada por fatos inusitados e até folclóricos. Encravada na crista do maciço do Espinhaço, chega a ser curioso constatar como a escultura do Juquinha se integrou perfeitamente ao cenário da Serra do Cipó, dando outra dimensão a beleza natural daquele pedaço abençoado de Minas Gerais.

Pela sua importância cultural, plasticidade artística, referência histórica e representatividade popular, a Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais solicitou junto ao Instituto Estadual de Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico de Minas Gerais – IEPHA, o tombamento da escultura do Juquinha da Serra, garantindo assim sua preservação e perenidade, para que a vida de José Patrício, um homem que representou tão bem os valores de nossa mineiridade, seja sempre uma referência para as futuras gerações do que realmente é a alma das Minas Gerais.

* José Fernando Aparecido de Oliveira é prefeito de Conceição do Mato Dentro e presidente da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais.

Fonte: Petrônio Souza



Que ingratidão…

Durante o tempo que fui redactor de jornal local, realizei numerosas entrevistas a figuras públicas: industriais, grandes proprietários, políticos, artistas…


Empresa Cooperativa x Empresa Capitalista

A economia solidária movimenta 12 bilhões e a empresa cooperativa gera emprego e riqueza para o país.


O fundo de reserva nos condomínios: como funciona e a forma correta de usar

O fundo de reserva é a mais famosa e tradicional forma de arrecadação extra. Normalmente, consta na convenção o percentual da taxa condominial que deve ser destinado ao fundo.


E se as pedras falassem?

Viver na Terra Santa é tentar diariamente “ouvir” as pedras! Elas “contemplaram” a história e os acontecimentos, são “testemunhas” fiéis, milenares porém silenciosas!


Smart streets: é possível viver a cidade de forma mais inteligente em cada esquina

De acordo com previsões da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 70% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.


Quem se lembra dos velhos?

Meu pai, quando se aposentou, os amigos disseram: - " Entrastes, hoje, no grupo da fome…"


Greve dos caminhoneiros: os direitos nem sempre são iguais

No decorrer da sua história como república, o Brasil foi marcado por diversas manifestações a favor da democracia, que buscavam uma realidade mais justa e igualitária.


Como chegou o café ao Brasil

Antes de Cabral desembarcar em Porto Seguro – sabem quem é o décimo sexto neto do navegador?


Fake news, deepfakes e a organização que aprende

Em tempos onde a discussão sobre as fake news chega ao Congresso, é mais que propício reforçar o quanto a informação é fundamental para a sustentabilidade de qualquer empresa.


Superando a dor da perda de quem você ama

A morte é um tema que envolve mistérios, e a vivência do processo de luto é dolorosa. Ela quebra vínculos, deixando vazio, solidão e sentimento de perda.


A onda do tsunami da censura

A onda do tsunami da censura prévia, da vedação, da livre manifestação, contrária à exposição de ideias, imagens, pensamentos, parece agigantar em nosso país. Diz a sabedoria popular que “onde passa um boi passa uma boiada”.


O desserviço do senador ao STF

Como pode um único homem, que nem é chefe de poder, travar indefinidamente a execução de obrigações constitucionais e, com isso, impor dificuldades ao funcionamento de um dos poderes da República?