Portal O Debate
Grupo WhatsApp

KRACK: como se proteger do ataque contra redes Wi-Fi

KRACK: como se proteger do ataque contra redes Wi-Fi

29/10/2017 Tim Berghoff

No começo de outubro surgiram relatos sobre ataques sobre a criptografia das redes Wi-Fi.

Uma falha de design na criptografia WPA2 permite a reutilização de certas chaves criptográficas em vez de bloqueá-la e permite que um estranho entre na rede sem precisar da senha. Este ataque foi batizado de KRACK, uma referência a Key Reinstallation Attack.

Esta falha de segurança afeta todos os dispositivos que se conectam às redes WiFi usando criptografia WPA2, permitindo que um invasor fique em uma posição onde pode obter acesso a uma rede Wi-Fi e com capacidade de manipular dados transmitidos pela rede. Um exemplo seria substituir um download legítimo por malware.

O ataque não pode ser usado para recuperar a senha WiFi e todos os dados que são enviados de um navegador através de uma conexão criptografada SSL podem ser suscetíveis a este tipo de ataque. Não esperamos nenhum ataque contra redes Wi-Fi em larga escala em breve, mas a proteção é necessária para evitar um acesso não autorizado.

O que foi demonstrado pelos pesquisadores da Bélgica que descobriram o KRACK, até agora ele atua como uma Prova de Conceito (PoC) e pode demorar um pouco antes de vermos aqueles aplicados na prática.

Fazendo a proteção


Para mitigar o problema é possível desativar o Wi-Fi dos dispositivos afetados para poder garantir que a falha de segurança não seja acessada. No entanto, na prática, isso pode ser sempre viável ou prático. Alternativamente, um cliente VPN pode ser usado para proteger todo o tráfego usando SSL. Isso protegerá todos os dados transmitidos para contraespionagem ou adulteração.

O que se pode esperar do KRACK?


Até agora, os primeiros fabricantes começaram a implantar uma solução para resolver o problema de segurança. As mais antigas versões do iOS da Apple já possuem a correção - outros fornecedores seguirão o exemplo. Algumas distribuições do Linux receberam um patch já em outubro de 2017 para que a falha de segurança não seja mais explorada nesta plataforma.

A remediação da falha não exige a compra de hardware novo e a correção deve ser feita pelo fabricante por meio de software e de dispositivo compatível com versões anteriores, para que dispositivos que receberam a correção possam ainda se comunicar com aqueles que ainda não receberam a atualização e vice-versa.

Analisando o passado

O fato de que a segurança das redes Wi-Fi pode ser atacada com sucesso não é uma surpresa. O padrão 802.11 Wi-Fi frequentemente enfrentou falhas de segurança. Modelos de criptografia obsoletos como WEP ou WPA foram gradualmente substituídos por outros mais seguros. Portanto, os relatos atuais são um passo um tanto lógico em uma série de eventos.

Portanto, este não é o primeiro relato deste tipo de falha que se tem notícia e certamente não será o último. Assim que uma atualização estiver disponível a partir de um fornecedor, ela pode ser obtida através da caixa de diálogo de configuração baseada no navegador ou através do site do fornecedor.

Alguns dispositivos também baixam e instalam atualizações automaticamente. Os usuários de dispositivos móveis também devem verificar se há atualizações disponíveis para o seu aparelho. Recomendamos instalar qualquer atualização disponível para corrigir a falha em cada dispositivo.

* Tim Berghoff é especialista em segurança cibernética da G Data, fornecedora de soluções antivírus distribuídas no Brasil pela FirstSecurity.



LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.


O poder da gentileza

O mês de novembro traz uma comemoração muito especial e essencial para estes tempos pandêmicos e de tanta polarização política: o Dia da Gentileza.


Branco no preto

As pessoas pretas no Brasil vivem pior do que as pessoas brancas, independentemente de qualquer situação.