Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Leia muito. O conhecimento transforma

Leia muito. O conhecimento transforma

01/11/2017 Kie Kume

A leitura é ferramenta essencial na aprendizagem e para o desenvolvimento do cérebro.

Ela faz pensar. Intelectuais, autores e educadores ao longo da história falaram de sua importância – como Francis Bacon ("A leitura faz o homem completo; a conversa, ágil; e o escrever, preciso"); Miguel de Cervantes ("Aquele que lê muito e anda muito, vê muito e sabe muito"); Mário Vargas Llosa ("Um público comprometido com a leitura é crítico, rebelde, inquieto, pouco manipulável e não crê em lemas que alguns fazem passar por ideias"); e muitos, muitos outros.

O nosso inesquecível Paulo Freire, autor de A importância do ato de ler, afirma que “é preciso que a leitura seja um ato de amor”. E o autor japonês Ryuho Okawa, ao comentar em um de seus livros (Ame, Nutra e Perdoe) o tipo de educação que os pais podem oferecer aos filhos, enfatiza a importância de “ensiná-los sobre o espírito que existe por trás de cada treinamento, ou seja, a importância da atitude de procurar superar as próprias limitações e se tornar um ser humano magnífico”.

É o conhecimento que transforma. Ao observar o ambiente em que crescem hoje as crianças, percebe-se o desafio que é para os pais e professores desenvolver nelas o hábito da leitura. A multiplicidade de opções de entretenimento tende a afastar as crianças dos livros. O desenvolvimento nelas do interesse por boas histórias infantis deve vir junto com a alfabetização e ser permanentemente estimulado.

É essencial que esse hábito seja cultivado em casa, sob orientação dos pais, como alternativa ao tempo dedicado à televisão e ao celular – dois canais em que a criança mergulha antes mesmo de ser alfabetizada.

Na passagem do ensino fundamental para o ensino médio, é essencial que o mestre seja um guia seguro no pleno despertar para o mundo da literatura nacional e estrangeira, esta atrelada ao domínio de outras línguas.

Para a formação de cidadãos completos, com conhecimento capaz de transformar o mundo e o próprio país, é também essencial que o estudante saiba aliar a leitura de temas técnicos e científicos de seu interesse ao conhecimento da história e geografia, de correntes sociológicas e filosóficas passadas e contemporâneas, sem ignorar outros gêneros, como romances, obras de ficção, suspense e autoajuda.

Imagine como o Brasil seria diferente se todos os estudantes cultivassem o hábito da leitura. Mais e mais pessoas com conhecimento transformador surgiriam e não haveria a carência de lideranças que existe hoje. É necessário que o hábito da leitura seja cultivado em todos os lugares e estratos sociais.

Por último, também deve ser estimulado entre nossos estudantes o hábito de acompanhar o noticiário nacional e internacional, através da leitura crítica de jornais e revistas e de publicações nas mídias sociais. Muitas mentiras (chamadas de fake news) são publicadas hoje em meio ao noticiário sobre política, economia, meio ambiente, conflitos, globalização, minorias etc.

É preciso haver uma alfabetização midiática (media literacy), desenvolvendo o senso crítico diante dos acontecimentos, das correntes de pensamento e dos problemas sociais e mundiais. Esse senso crítico, aliado ao domínio da língua, também será fundamental na hora de escrever um texto ou fazer uma redação.

Um recadinho final: o hábito da leitura deve nos acompanhar ao longo de toda a vida, em qualquer profissão, em qualquer situação, em qualquer idade. Quem lê muito sabe mais. A leitura alimenta o cérebro e a alma. Em seu livro Think BIG, Ryuho Okawa fala que as sementes de pensamentos plantadas no coração determinam o futuro.

* Kie Kume é gerente da editora IRH Press do Brasil, que publica em português as obras de Ryuho Okawa.



O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder


O gato que caiu dentro das latas de tinta

Todas as histórias começam com Era uma Vez… A minha não vai ser diferente.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre