Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Marcas que ouvem – e sentem

Marcas que ouvem – e sentem

10/03/2021 Juliana Scardua

O que a sua marca está disposta a ouvir? A sua marca pratica escuta plena, ativa e atenta? A sua marca sente – ou é imune?

Ao instigar essas perguntas, antes mesmo de respondê-las, é preciso lembrar de uma premissa comunicacional básica: comunicação não é só o que se diz. É o que se escuta.

Há um limiar tênue entre a intenção na concepção da mensagem e, de fato, como ela é percebida pelo receptor-destinatário-cliente-par dessa comunicação.

Marcas se relacionam de diferentes formas com seus stakeholders, os seus públicos de interesse. Press releases, campanhas publicitárias, posts, comunicados, logotipos, papelaria, assinaturas sonoras.

Tudo, absolutamente tudo, no conjunto da obra ou individualmente, emana a comunicação que determinada organização quer estabelecer com o mercado.

As impressões 'devolvidas' no processo comunicacional nesse ecossistema da marca são preciosas. Percebê-las rapidamente e internalizá-las, essencial. Aproveitá-las, inteligente.

Apontada em 2019 pelo ranking BrandZ da Kantar como a marca mais valiosa do mundo, com o impactante valuation de R$ 1,2 trilhão, a Amazon retocou um de seus logotipos após a arte remeter a Hitler no imaginário de internautas.

O novo ícone do aplicativo despontava em janeiro com uma fita adesiva azul na parte de cima (a ideia, segundo os idealizadores, era a do lacre nas encomendas).

Mas para alguns, aquilo se assemelhou ao icônico bigodinho do ditador cruel. E a solução foi repaginar o design. A ressignificação do barba, cabelo e bigode no universo da publicidade.

Voltamos à pergunta-convite: O que sua marca está disposta a ouvir e sentir? Seja você empresa, ente público, comerciante, personalidade política, já refletiu se está verdadeiramente captando, ouvindo e compreendendo o que o cidadão-stakeholder tem a dizer sobre você?

A tarefa certamente não é simples ou simplória e demanda investimentos em técnicas e ferramentas, entre elas, serviços de monitoramento da reputação da marca e aplicação de pesquisas de opinião regularmente.

O muitas vezes hostil universo da internet é um desafio à parte dado seu gigantismo e milhões de “sóis” a disparar opiniões numa incontrolável profusão de perfis e plataformas de mensageria.

A cada minuto, estima-se 42 milhões de mensagens são trocadas pelos usuários do aplicativo WhatsApp no mundo (! – dados de 2020).

No Youtube, um volume de 500 horas de vídeos produzidos pelas mais diversas matizes de produtores de conteúdos sobe na plataforma a cada hora de relógio. Gigantesco, né?

A sua marca flutua nesse multiverso. As órbitas e movimentos, é você quem ajudará a traçar, com monitoramento, criatividade, sagacidade e empatia.

OBS: Mencionamos aqui o conceito de cidadão-stakeholder, tema para um artigo próximo.

* Juliana Scardua é comunicadora e sócia-fundadora da Íntegra Comunicação Estratégica, especialista em Marketing e Compliance.

Para mais informações sobre marcas clique aqui…

Fonte: Íntegra Comunicação Estratégica



O poder da conexão entre a empresa, seus colaboradores e consultores de venda

Muitos são os benefícios gerados a partir das convenções e dos encontros realizados pelas companhias a seus colaboradores, consultores de venda e parceiros.


Meu avô e sua consulta médica: a pinga ou a vida!

Nascido Adelerme Freilandes de Souza Villaflor, o meu avô, ao se casar, resolveu simplificar o seu nome para Adelerme Ferreira de Souza, mas era conhecido em Manga e redondezas como Seu Délio.


Dia da Advocacia Criminal: desafios, união, coragem e resistência

Nós, advogadas e advogados criminalistas, somos essenciais para o Estado Democrático de Direito na medida em que cumprimos a nossa legítima missão - com observância aos ditames da Constituição Federal - na defesa da cidadania e na busca pela concretização da justiça.


Limites ao STF e o fim da reeleição

A política e a administração pública brasileiras deverão passar por radical mudança nos próximos meses.


Você sabe o que é a síndrome do impostor?

Um artigo publicado na Frontiers in Psychology destacou algumas características-chave de personalidade associadas à síndrome do impostor.


Decisão controversa do STF sobre responsabilização da imprensa

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na quarta-feira (29) que os veículos de imprensa podem ser responsabilizados por fala de seus entrevistados, quando houver indícios concretos de falsidade em relação a imputação ou quando o veículo deixar de observar o cuidado na verificação da veracidade dos fatos.


Um representante político no STF

Um representante político no STF: Flávio Dino (PSB).


Já dá pra fazer o próximo planejamento tributário?

O exercício financeiro das empresas no Brasil coincide com o próprio calendário, de forma que já sabemos que ele começa no dia 1º de janeiro e termina no dia 31 de dezembro do ano vigente.


Advento: espera do Senhor que vem

A Igreja Católica se prepara para um tempo muito importante em sua liturgia: o Tempo do Advento, que é próprio do Ocidente e foi constituído em vista da celebração do Natal.


Repentinas reações da natureza

2023 está na reta final. O ano começou com ares amenos, mas logo foram surgindo acontecimentos marcantes.


Habilidades para diminuir a sobrecarga de informações

O excesso de informações pode ser esmagador e levar à confusão mental. Temos à disposição muitos caminhos a seguir e pouca direção sobre para onde devemos ir.


No papel cabe tudo, mas e no coração?

Há 75 anos, em Paris, era assinada a Declaração de Direitos Humanos pelas maiores potências do mundo – também pelas menores e as, então, consideradas irrelevantes.