Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Marketing Direto em tempos de FESTAS!

Marketing Direto em tempos de FESTAS!

15/12/2010 Douglas Carvalho

Como o comércio de um modo geral sabe, as vendas em épocas Natalinas equivalem em até 4 vezes a média de vendas dos outros meses do ano. 

Ou seja, as vendas nas lojas acontecem de uma forma ou de outra, sem muito esforço dos donos dos estabelecimentos. Todo mundo, indiferente de sua Classe Social e condições financeiras, compra um “Presente” para alguém nessa época do ano.

Além desse período, o mês de Janeiro é outro período de intenso movimento, pois além das (possíveis) trocas de presentes recebidos em Dezembro, existem as famosas LIQUIDAÇÕES.
Com o quadro acima, vocês devem estar se perguntando: Os donos das empresas devem se preparar para essa época do ano e aumento natural da demanda, certo? ERRADO.
Por motivos que até hoje desconhecemos, esses empresários não se preocupam em FIDELIZAR os seus clientes nessa (e às vezes em outra) época do ano, aproveitando a presença (por inércia até) dos mesmos em suas respectivas lojas.
Lembrando: Esse cliente poderá retornar em datas como Dias das Mães, dos Pais, dos Namorados ... das Crianças ... e até mesmo em Aniversários de seus parentes, amigos ... namoradas ... etc.
Se esses clientes forem bem atendidos, se tiverem um tratamento adequado, uma empatia com o vendedor (que mesmo sabendo que ao sair um cliente, outro entrará) e com a simpatia dos profissionais que ficam no Caixa, com certeza o ciclo acima será refeito.
E o Marketing Direto com isso?
Simples, se os vendedores das lojas perguntarem aos seus clientes se estes moram na região, se eles têm filhos, qual suas profissões, se são mais “casual” ou mais “social” ...etc, vão criar uma proximidade com esses clientes com mais reciprocidade e vão, com certeza,  fazer com que suas próximas abordagens sejam feitas com muito mais eficácia.
Se interagir bem com o cliente criando uma relação de confiança (diferente de alguns profissionais que ainda acreditam na famosa “empurra-terapia”), o vendedor poderá enviar um E-mail marketing, um SMS ou até mesmo uma Mala-direta, informando para a sua CARTEIRA DE CLIENTES que a loja está com promoções imperdíveis, ou com novos produtos, ou até mesmo que abriu uma nova filial (e que esta é perto da onde o cliente trabalha).
Porém, uma ação de Marketing Direto é construída com iniciativas construtivas desde o primeiro contato com esse cliente, e não com ações mirabolantes, custosas, de “grande” impacto e criadas por empresários que vêem a concorrência vender cada vez mais.
As ações do dia a dia, tais como o cadastramento das pessoas corretamente, um simples sorriso, a simpatia no primeiro contato, a fidelização e principalmente o TREINAMENTO DO MATERIAL HUMANO, são atitudes muito mais simples, mais baratas e que terão muito mais impacto no longo prazo.
Criar ações mais diretas, mais focadas, mais segmentadas com quem realmente vai comprar os seus produtos, são recursos melhores do que fazer uma propaganda para todo mundo ver. Não é “todo mundo” que é ou pode se tornar seu cliente.
Não precisamos ter MBA, Pós-Graduações e Experiências para ter uma relação direta e eficaz com os nossos clientes. Se fizermos bem feito, nós estaremos fazendo um Marketing Direto que dará inveja aos melhores profissionais do mercado.
Boas festas!
* Douglas Carvalho, Gerente de Contas da ZipCode, empresa provedora de informações para marketing, crédito, cobrança e anti-fraude



As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes