Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Mérito ou antiguidade?

Mérito ou antiguidade?

28/01/2019 Humberto Pinho da Silva

Durante muitos anos, a antiguidade, era – como se costumava dizer, – um posto.

As promoções, dependiam: dos anos de serviço, da assiduidade à empresa ou firma. Nas últimas décadas, implantou-se – e bem, – o mérito. Digo e bem, quando o mérito não depende da: cor política, credo, amizade ou outra coisa mais, que por respeito, ao leitor, peço licença para não revelar.

Conheci – já lá vão muitos anos, – pobre homem, que mourejou toda a vida, na mesma empresa. Doente, com sacrifício, apresentava-se no local de trabalho, tentando, com esforço e dedicação, ser leal aos superiores hierárquicos. Os anos correram… e muitos foram os que visaram, ao verem-no na tarefa de aumentar a receita da empresa:

- “Vais receber a medalha de cortiça! Ninguém reconhece! …”

Mas o homem, na sua inocência, pensava lá consigo: “Um dia alguém há-de fazer-me justiça.” Os colegas de trabalho, riam-se à socapa, do zelo e do propósito, em tudo, contribuir para o enriquecimento da firma.

Por fim, já tinha trinta anos de casa, alguém, lembrou-se de o louvar. Foi motivo de orgulho. Não pelo louvor, mas pelo reconhecimento. Andava alegre como um cuco; como sino em dia de Aleluia, quando o chamaram ao gabinete do diretor.

Entrou radiante. Sabia que se preparava importante reestruturação. Reestruturação, que equivalia aumento de salário. Semanas antes, garantiram-lhe que as alterações, em nada o iriam prejudicar.

Diante do diretor, este, após agradecer a dedicação e lealdade, disse-lhe:

- “Como sabe vai haver reestruturação de serviço, e o senhor vai ser dispensado…Por mim, ficava; mas, eles não querem! …”

O pobre homem teve um desfalecimento.

- “Mas Senhor Doutor… – balbuciou a medo, gaguejando. - Quem são eles?! …”

- “Foram eles! …Foram eles! … – Pronunciou, o diretor, em voz intimadora; e saiu, deixando o ingénuo trabalhador atónito.

Colocaram-no – como se costuma dizer, – na prateleira, esperando a chegada da reforma.

Pelo menos tiveram a caridade de o tratarem com respeito e dignidade. Disseram-lhe, então, que fosse para o tribunal. Que fosse ao sindicato…Mas, no íntimo, sabia que nada adiantava.

Um dia, encontrei-o, já no final da vida, amargurado. Voltou-se para mim, deu-me um abraço servil, e declarou:

- “Podia ter reforma mais confortável, mas acreditei: que, zelando os interesses da empresa, era bastante… Disseram-me para me queixar…Olhe: aguardo que tudo seja resolvido no Tribunal de Cristo… Mas ainda penso de mim para mim: que força tão poderosa era, que conseguiu abafar a consciência de homem, que parecia tão corajoso?”

A dedicação, infelizmente, não chega…é preciso alguma coisa mais… para se ser promovido e singrar na vida… Mas isso, não é para gente simples, que acredita na justiça humana e na palavra dos homens.

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



Gestão empresarial e perspectivas para 2022

Após mais um ano de pandemia, a alta administração das empresas priorizou a sobrevivência enquanto teve de lidar com expectativas frustradas.


O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.