Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Não compreendi, mas venerei

Não compreendi, mas venerei

24/09/2022 Humberto Pinho da Silva

Raposo, do nosso Eça, bacharel em Direito, sobrinho de D. Patrocínio, ao chegar ao Egipto, exclamou perante o companheiro, que com ele viajava:

- "Egipto! Egipto! Eu te saúdo, negro Egipto! E que me seja propícia..."

Mas Topsius, conhecedor que Raposo tinha tanto de Dom João, como ele de historiador, voltou-se para o companheiro, e retorquiu: "Não! Que vos seja propícia D. Raposo Ísis, a vaca amorosa!"

Raposo não compreendeu, mas venerou!

Como Raposo, quantos de nós, para não parecermos ignorantes, em determinado tema, não dizemos, também: venerei!...

Perante Arte Abstrata, diante de cada borrão ou rabisco, que qualquer criança de tenra idade, executava, não dizemos:

- "Que maravilha! Que obra de arte! Que pintor genial"...

O mesmo sucede quando topamos mamarrachos, na praça pública, assinados por artistas de gabarito, que qualquer garoto talentoso, faria melhor, não exclamamos doutoralmente: "Que imaginação!..." É que ninguém gosta de passar por ignorante, parecer néscio, perante os outros...

Se os críticos entendidos, os que conseguem, com palavras difíceis, explicar o que ninguém entende, nós, simples mortais, homem comum, para não parecermos estúpidos, tomamos expressões intelectuais, e dizemos enfaticamente: "formidável".

Se dissermos que é uma "borracheira", palavra com que obteve muita antipatia o Mestre Soares dos Reis, quando sinceramente apreciava obra que não gostava, os nossos amigos, logo dizem ou pensam. "E eu que o julgava inteligente!..."

O que digo de artistas plásticos, poderia dizer de certos escritores e poetas, premiados e ventilados na mass-media.

A velha e relha história do: Rei Vai Nu, está sempre atual. Conheci amigo brincalhão, que se gabava de ser muito letrado. Certa ocasião, deixou velho abade, atónito, ao discutir, com ele, teologia.

Decorara meia dúzia de nomes sonantes, e quando pretendia embasbacar o velho sacerdote – pouco versado ou já esquecido, – dizia-lhe: que o filósofo cristão ou teólogo tal, disseram, o que eram apenas palavras suas...

O velho abade, não queria parecer ignorante, e "engolia", como verdadeiras, as palavras falsas. Pobre abade!... O que se passa para não se passar por pascácio!...

* Humberto Pinho da Silva

Para mais informações sobre intelectuais clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!



Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder