Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Não mude a essência

Não mude a essência

10/02/2016 Flávio Melo Ribeiro

As pessoas conseguem, na realidade, representar o que esperam delas.

Em todos esses anos como psicólogo clínico atendi pessoas que, ao começar um novo relacionamento amoroso, procuravam mudar para se moldar ao outro. E o faziam por gostar e ter medo de perdê-lo.

Mas é muito difícil mudar a própria essência. As pessoas conseguem, na realidade, representar o que esperam delas. Mas essa imagem se desfaz com o tempo e a decepção toma lugar, fazendo todo o esforço ir por água abaixo.

Pois o outro, ao decepcionar-se, tende a se afastar. No início, por estar ligado emocionalmente, não consegue ficar longe fisicamente, mas cria um afastamento afetivo. Pode estar no mesmo ambiente, mas não apresenta mais uma relação com o outro.

Comumente diz-se que a relação “esfriou”. Logo ocorre o rompimento, o término do namoro. Em todos os casos é importante manter a essência, mostrar quem é desde o início. O outro tem o direito de saber com quem está se relacionando.

As pessoas têm um projeto de existência e se está namorando é porque acredita que sua vida será melhor tendo uma companhia, amando, compartilhando momentos da sua vida, e espera determinados comportamentos e características no outro para realizar seu projeto.

Caso não encontre, infelizmente, não será feliz. O que posso dizer é: não tenha medo de se mostrar, de expor seus pensamentos, seu conhecimento e seus ideais. Mesmo com o risco de sequer iniciar o relacionamento.

Não se preocupe, o verdadeiro amor será construído pelas afinidades. Quando encontrar a pessoa “certa”, ela gostará de você como é. O problema é que, no fundo, a pessoa que se passa por quem não é conhece suas carências e, na tentativa de enganar a si próprio, engana o outro buscando “curar-se”.

Considera que vivendo de forma diferente irá se superar, quando o que ela precisa é de apoio para, gradativamente, superar suas dificuldades. Quando o outro espera mais do que ela pode oferecer, não apoia, pois não tem conhecimento dessas dificuldades.

O que precisa é de alguém que aceite seu modo de ser e possa ser um companheiro na jornada do aprendizado. Não tenha pressa, escolha quem goste de você como é. Caso queira mudar, porque não gosta de algum aspecto seu, o faça por você e não pelo outro.

Nesse caso, mantenha sua essência, mude o que é periférico e que não lhe está trazendo benefícios. Como fazer isso? Esse será o tema do próximo texto.

* Flávio Melo Ribeiro é psicólogo.



PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques


Violência urbana no Brasil, uma guerra desprezada

Reportagem recente do jornal O Estado de S. Paulo, publicada no dia 3 de março, revela que existem pelo menos 72 facções criminosas nas prisões brasileiras.

Autor: Samuel Hanan


Mundo de mentiras

O ser humano se afastou daquilo que devia ser e criou um mundo de mentiras. Em geral o viver passou a ser artificial.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Um País em busca de equilíbrio e paz

O ambiente político-institucional brasileiro não poderia passar por um tempo mais complicado do que o atual.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nem Nem: retratos do Brasil

Um recente relatório da OCDE coloca o Brasil em segundo lugar entre os países com maior número de jovens que não trabalham e nem estudam.

Autor: Daniel Medeiros


Michael Shellenberger expôs que o rei está nu

Existe um ditado que diz: “não é possível comer o bolo e tê-lo.”

Autor: Roberto Rachewsky