Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Não temos tempo a perder. A transição precisa começar agora

Não temos tempo a perder. A transição precisa começar agora

12/06/2012 Kit Vaughan

Nosso planeta está em um estado precário. O caminho rumo à sustentabilidade está mais fora do trilho que há 20 anos, quando a primeira conferência das Nações Unidas aconteceu no Rio.

Em 92 já sabíamos quais eram os desafios e soluções e hoje também os conhecemos. O que nos impede de avançar? Não nos falta ciência ou recursos materiais. São os nossos sistemas políticos e econômicos que profundamente falham em cessar a injustiça social, erradicar a pobreza e combater a degradação ambiental.

O que vemos é a falta de vontade política para melhorar a vida de milhões de homens e mulheres que vivem na pobreza e salvaguardar o meio ambiente. Nosso atual e cego modelo de crescimento econômico favorece a prosperidade da minoria que vive nas nações desenvolvidas e que concentra riqueza nos países em desenvolvimento.

Ainda que este sistema tenha retirado comunidades vulneráveis da pobreza, ele falha profundamente em manter milhões de outras em uma condição de pobreza opressora. O atual modelo é também alicerçado na exploração dos recursos naturais e se dá a um custo cada vez mais elevado de destruição dos biomas e da biodiversidade. As disparidades globais de poder e de acesso a recursos, aliadas ao consumo excessivo dos países industrializados, exacerbam as desigualdades socioeconômicas e a degradação ambiental, tanto a nível local (com extração de recursos), quanto global (através dos efeitos das mudanças climáticas).

Chegamos a um nível de degradação ambiental que ameaça reverter os avanços do desenvolvimento e que já limita as opções de desenvolvimento de gerações atuais e futuras.  Mudanças climáticas, perda de biodiversidade e degradação dos ecossistemas minam a saúde do planeta e do capital natural que todos dependemos.

Este capital natural é essencial para as nossas sociedades e economias e especialmente crítico para as populações mais pobres que dependem do seu solo e do acesso à agua para a sua sobrevivência. Este modelo, portanto, que degrada o meio ambiente e perpetua a injustiça social é claramente insustentável. Precisamos de uma mudança radical e de uma transição para um desenvolvimento sustentável, resiliente, e com equidade, que priorize as necessidades dos mais pobres  e  garanta a proteção dos biomas.

Esta transição deve efetivamente endereçar as mudanças climáticas, a segurança alimentar de uma população em crescimento e a equidade de gênero, com foco no aumento da resiliência das comunidades vulneráveis.  Os esforços do caminho de construção de uma sociedade sustentável não pode se dar às custas dos mais pobres ou sob o manto das injustiças sociais. Os líderes mundiais presentes na Rio +20 discutirão os mais graves problemas do planeta e tem a responsabilidade de agir sobre as oportunidades reais para uma efetiva transição para uma economia verde, inclusiva e sustentável.

Ações insuficientes destes líderes não só comprometerão as gerações atuais como as futuras, que herdarão um planeta insustentável. Precisamos pressionar e fazer com que lideranças globais assumam a sua responsabilidade,  ao mesmo tempo em que lhes apontamos oportunidades, apresentando experiências de sucesso e formulando novas ambições e formas de cooperação para a construção de um futuro mais sustentável.

Em jogo está o futuro do nosso único lar e o bem-estar de seu meio ambiente e de seus habitantes. Não temos tempo a perder. A transição precisar começar agora!

Kit Vaughan é coordenador de Advocacy da CARE Internacional para questões de Pobreza, Meio Ambiente e Mudanças Climáticas, integra a delegação da ONG na Rio +20.



Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins