Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Necessidades básicas

Necessidades básicas

21/04/2022 André Naves

As necessidades humanas foram esquematizadas na famosa Pirâmide de Maslow, que vai da fisiologia à realização pessoal.

Ela demonstra que as pessoas só atingem elevados patamares da criatividade e da realização pessoal depois de terem sido satisfeitos os requisitos básicos de sobrevivência, tais como alimentação, abrigo e repouso, entre outros.

Ou seja, as capacidades humanas voltadas para a inovação tecnológica, a criatividade artística, a eficiência no trabalho e o aproveitamento educacional, só podem ser estimuladas por meio de uma rede articulada de iniciativas e políticas públicas que visem ao atendimento das necessidades mais essenciais do ser humano.

A pena de Graciliano Ramos em Vidas Secas e as tintas de Cândido Portinari no quadro Retirantes são ilustrações simbólicas dessas trevas desumanizantes, que tão mal fazem à sociedade.

Personagens que de tão carentes de quaisquer elementos mais fundamentais a uma condição digna confundem-se com a paisagem agreste, com os animais esquálidos e com a vegetação inerte.

Nos centros urbanos, a miséria está estampada a cada esquina, nos sem-teto que invadiram as ruas e, pedintes, desafiam a sensibilidade dos mais abastados.

O único objetivo que os mantêm vivos é a luta pela sobrevivência. Buscam a superação, ainda que inconscientemente, dos primeiros degraus daquela pirâmide… E nessa jornada incessante, toda a energia criativa, inerente à condição humana, é desperdiçada.

Quantas ideias, quantas soluções, quantas inovações não se perderam, e ainda se perdem, nas brumas da exclusão social?

* André Naves é Defensor Público Federal, especialista em Direitos Humanos e Sociais.

Para mais informações sobre necessidades básicas clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada



Formas mais livres de amar

A busca de afeição, o preenchimento da carência que nos corrói as emoções, nos lança a uma procura incessante de aproximação com outra pessoa: ânsia esperançosa de completude; algum\a outro\a me vai fazer feliz.


Dia da Educação: transformação das pessoas, do mercado e da sociedade

A Educação do século 21 precisa, cada vez mais, conciliar as competências técnicas e comportamentais.


Uma carta à Elon Musk

O homem mais rico do mundo, Elon Musk, acaba de chegar a um acordo para adquirir uma das redes sociais mais importantes do mundo, o Twitter, por US$ 44 bilhões.


Liberdade de expressão: lembrança do passado recente

Na manhã do dia 19 de agosto de 1968, tropas da polícia e do Exército invadiram a Universidade de Brasília, agredindo violentamente vários estudantes dentro das salas de aula.


Mitos sobre a recuperação judicial

Criou-se uma verdadeira quimera quando o tema é recuperação judicial e o objetivo deste artigo é desmistificar alguns dos mitos sobre esse instituto.


Quem vive em união estável tem direito à pensão por morte?

A pensão por morte é um benefício do INSS destinado aos dependentes de um segurado quando o instituidor faleceu.


O que a inveja desperta em você?

Inveja é um sentimento de natureza humana que se caracteriza por ódio ou rancor em relação a algo de bom que o outro tem, e você não.


“Os bem-comportados podem sair”

Havia na empresa onde trabalhei quase quarenta anos, o costume, enraizado na tradição, de não abandonar o local de trabalho, sem o chefe do departamento, dizer: “Podem sair!”


Dados sobre religião entre jovens nos USA

As religiões cristãs no ocidente têm motivos para preocupação diante de um crescente número de ‘sem religião’ entre as novas gerações.


Tecnologia e EPIs

Áudio e vídeo inteligente para a segurança de colaboradores de infraestrutura crítica.


Dia Mundial do DNA: o que a data representa para a medicina?

No ano de 1953, os cientistas James Watson, Francis Crick, Maurice Wilkins, Rosalind Franklin e outros colegas publicaram artigos na revista Nature com o objetivo de desvendar a estrutura da molécula de DNA.