Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Negócios sem ferramenta

Negócios sem ferramenta

26/07/2012 Marcelo Ponte

“É importante, mas não é prioridade agora”. É assim que a maior parte dos varejistas pensa sobre o uso da tecnologia em seus negócios.

Pode parecer contraditório, mas existe uma longa distância entre reconhecer que algo é importante e realmente colocá-lo em prática para aproveitar seus benefícios. Por uma série de razões, o setor do Varejo ainda não aproveita todas as possibilidades tecnológicas à disposição e posterga a efetiva tomada de decisão para implementá-las.

Por um lado, é inegável que a tecnologia tem crescido em importância para o Varejo. Um estudo divulgado no final de Junho pela CompTIA, associação sem fins lucrativos voltada para a indústria de Tecnologia da Informação, mostrou que 72% dos varejistas entrevistados classificaram a tecnologia como importante para seus negócios.

Espera-se que esse número aumente e chegue a 83% em 2014. Mas o que a pesquisa encontrou de mais interessante foi que um número considerável de varejistas ainda não consegue usar a tecnologia tão bem quanto poderiam ou deveriam: apenas 7% dos varejistas disseram estar exatamente onde gostariam em termos de uso da tecnologia, enquanto 29% se disseram “muito próximos” a esse ideal.

Ou seja, 64% dos entrevistados não consideram estar fazendo o melhor uso das tecnologias em seus negócios, nem se veem perto de alcançar isso. Ainda segundo a pesquisa, 63% dos varejistas esperam aumentar os investimentos em TI este ano (4,2%, em média).

Os mais interessados são as grandes redes de varejo, que planejam um aumento de investimento de 4,8% em média. Apesar de haver, em termos gerais, um espaço grande entre a intenção de adotar uma tecnologia e sua adoção de fato, há também exemplos de varejistas que estão se beneficiando do uso da tecnologia em seus negócios e convencendo mais lojistas a anteciparem seus planos.

Na Inglaterra, uma empresa de pesquisas e consultoria no Varejo, a Shopping Behaviour Xplained, está usando câmeras de segurança IP para analisar o comportamento dos consumidores em lojas físicas. Os operadores da empresa de consultoria usam uma câmera sem fio com as funções de pan, tilt e zoom (rotação lateral, rotação vertical e aproximação da imagem) para rastrear o comportamento dos clientes.

O sistema é complementado por câmeras fixas, podendo armazenar horas de gravação. Como o kit é móvel, pode ser usado em todo o mundo para analisar cada movimento dos clientes pela loja, o que eles escolhem e o que rejeitam. Dependendo do resultado, a consultoria pode recomendar mudanças para as marcas ou os varejistas a fim de elevar as vendas, como o reposicionamento em outro local da loja.

Sistemas semelhantes estão sendo implantados pelas próprias redes de varejo em vários países – provavelmente por varejistas que se considerariam na vanguarda do uso da tecnologia em seus negócios, como os 7% que aparecem na pesquisa da CompTIA.

Há um entendimento crescente sobre o impacto positivo da TI no Varejo, como o uso de câmeras de videomonitoramento para fins não apenas de segurança, mas também para gerar relatórios em tempo real sobreas áreas mais frequentadas em cada corredor do supermercado ou sobre o número exato de clientes que entram e saem da loja, e por quanto tempo eles permaneceram nela.

Já existem, inclusive, soluções envolvendo reconhecimento de face que dispensam o conhecido cartão-fidelidade, permitindo ao sistema reconhecer pelo rosto quem é o cliente. Isso pode desencadear uma série de ações, como um tratamento mais personalizado para uma clientela exigente.

Marcelo Ponte é gerente de Marketing da Axis Communications para a América do Sul.



Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso