Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Novas regras para contratações públicas

Novas regras para contratações públicas

22/12/2011 Clésio Andrade

O Brasil está convivendo com dois regimes distintos de contratação de obras, serviços e aquisições por parte da administração pública. Uma situação estranha que, além de insegurança jurídica, coloca em risco os preparativos para a Copa das Confederações, em 2013, a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas de 2016.

Há consenso entre juristas e administradores de que as regras gerais de contratação estabelecidas pela Lei 8.666, de 1993, engessam os processos licitatórios, tornam mais caras, lentas e burocráticas as aquisições públicas, sem que de fato assegurem a lisura do processo ou a não formação artificial de preços. O Governo reconheceu essa realidade e enviou um projeto de lei para atualizar essa legislação.

No meio do caminho, optou, mais uma vez, pela “via rápida” da Medida Provisória. E por meio de uma delas, transformada na Lei 12.462, de agosto passado, instituiu o Regime Diferenciado de Contratação (RDC), válido exclusivamente para obras e aquisições relativas aos jogos. O RDC é um modelo usado nos Estados Unidos e em países europeus e recomendado por instituições internacionais voltadas para questões de governança.

Tem uma série de vantagens em relação ao regime anterior. Dá maior agilidade ao processo e, em tese, evita conluios e proporciona descontos consideráveis. O RDC abriga, ainda, o mecanismo da “contratação integrada”, que inclui os projetos básico e executivo, até a entrega total da obra.

Em tese, isso reduz a possibilidade de falhas no projeto básico e aditivos ao projeto inicial. A constitucionalidade do RDC está sendo questionada junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), o que acrescenta uma incerteza a mais no cenário. Oportuno, portanto, que se retome a discussão do sistema brasileiro de contratações públicas, adotando pontos positivos do RDC, algumas salvaguardas da 8.666 e abertura para maior utilização de meios virtuais para aperfeiçoamento dos pregões eletrônicos.

Esta se apresenta como uma agenda prioritária para o próximo ano legislativo que se aproxima, de modo a municiar o Executivo de instrumentos para acelerar os investimentos indispensáveis ao aquecimento da economia vitalização de nossa infraestrutura. Recomendável, ainda, que a nova legislação contenha mecanismos que facilitem a fiscalização de todo o processo por parte dos cidadãos, tornando efetivo o direito de acesso à informação, recentemente regulamentado.

* Clésio Andrade é senador por Minas Gerais e presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT).



Onde está a boa educação?

Outrora, o idoso, era respeitado no local de trabalho e na sociedade.


Saneamento básico no Brasil

A infraestrutura que não chega ao esgoto.


Em novos tempos deve-se ter novas práticas

Na Capital fala-se muito em Menos Brasília, Mais Brasil.


Espiritualidade e alegria junina

Junho traz festas de três santos católicos: Antônio, casamenteiro. São João, profeta precursor de Jesus e São Pedro, único apóstolo que caminhou sobre as águas.


Missão do avô

Na família os avós são conselheiros dos pais e dos netos.


A importância das relações governamentais e institucionais

As relações governamentais e institucionais têm sido um instrumento de alta relevância para qualquer organização no atual momento político brasileiro.


Namoro na adolescência: fato ou fake?

O início da adolescência coincide com o final do Ensino Fundamental, fase em que desabrocham as paixões e, com elas, o convite: “quer namorar comigo?”.


Autobiografias: revelações das experiências em família

A curiosidade de muitas pessoas sobre a (auto) biografia de personalidades tem se tornado cada vez mais crescente, nos últimos anos.


What a wonderful world

Louis Daniel Armstrong foi um cantor e instrumentista nascido na aurora do século 20, e foi considerado “a personificação do jazz”.


A violência doméstica

Em Portugal, desde o início do ano, apesar de se combater, por todos os meios, a violência na família, contam-se já mais de uma dezena de mulheres, assassinadas.


O desrespeito ao teto constitucional e o ativismo judicial

O ativismo do Executivo e do Judiciário está “apequenando” o Legislativo.


Indicadores e painéis urbanos aliados à administração pública

A cidade com fatos visualizados está remodelando a forma como os cidadãos e gestores vêm a conhecê-la e governá-la.