Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Novo ano letivo: identifique problemas e planeje soluções

Novo ano letivo: identifique problemas e planeje soluções

09/02/2013 Erika de Souza Bueno

Um dos conceitos de avaliação é a análise. Ao se aplicar avaliações no decorrer do ano letivo, o professor precisa ter claro dentro o que é realmente o ato de avaliar, pois muito mais do que dar uma prova, a avaliação é uma excelente ferramenta para identificar quais ações em sala de aula podem ou não ter continuidade.

Além disso, a avaliação não pode ser apenas tratada como algo destinado somente aos alunos, mas sim. Ao aplicar uma avaliação, o professor também tem a oportunidade de rever conceitos e valores sobre sua prática, enquanto profissional comprometido realmente com o bom desenvolvimento de seus alunos.

É importante também compreendermos que a avaliação não pode ser entendida apenas como a aplicação de provas no final de alguns conteúdos trabalhados. Ela precisa ser desenvolvida em todo o momento da aula, no decorrer do ano letivo.

Dessa forma sempre será possível a tomada de decisões no bom direcionamento de esforços que visam ao desenvolvimento acadêmico do aluno, assim como ao desenvolvimento profissional do professor. É interessante refletir e constatar que a avaliação precisa ocorrer no começo, no meio e no fim. Em todas essas fases, as avaliações são diagnósticas, ou seja, servem para diagnosticar o grau de conhecimento dos alunos, assim como se estão ou não apresentando alguma dificuldade na execução de alguma tarefa ou daquilo que se espera deles.

E, não menos importante, as avaliações servem para buscar o porquê de tais dificuldades e suas origens. No começo, a avaliação serve para diagnosticar o nível de habilidade que um aluno já tem e, a partir de então, traçar planos para melhor aproveitar o conhecimento prévio e fazê-los frutificar, de modo que o aluno siga sem deficiências e impedimentos os seus estudos.

Convém lembrar que não são raras as vezes em que dificuldades de alunos na sala de aula têm origens no seu convívio social e, também, no âmbito familiar. As avaliações realizadas no decorrer do ano letivo são excelentes ferramentas para o professor saber se aquilo que planejou e que está executando está ou não obtendo boas respostas e se está ou não caminhando para atingir os objetivos traçados.

Realizadas no decorrer das práticas em sala de aula, as avaliações fazem o professor, muitas vezes, pensar num “plano b”, pois não são poucas as situações em que o aluno obtém melhores ou piores resultados do que se esperava dele. Isso é comum acontecer porque todos os alunos estão sujeitos a mudanças. Há casos de alunos que tinham estímulos positivos em casa, como o auxílio de um ente querido, e ao verem-se sem tal estímulo sentem-se dispersos, desmotivados.

Como já sabemos, tais fatores influenciam muito o rendimento do aluno em sala de aula. As avaliações no final do ano são a prova não apenas dos bons resultados dos alunos, mas também de seus professores e equipe pedagógica. Contudo, como estamos frisando, a avaliação final só terá bons resultados se o professor for sensível à necessidade de estar sempre diagnosticando os impactos de suas ações junto a seus alunos.

Como percebemos, não é só o aspecto acadêmico que é identificado nos diagnósticos do professor. Há também como se identificar problemas ou soluções de problemas na vida pessoal e familiar do aluno ou até mesmo se ele está ou não tendo algum problema com seus colegas em sala de aula. Muitos dos insucessos do aluno podem ter origens dentro da própria família e/ou estar relacionados ao mau convívio entre colegas na escola.

Dessa forma, a avaliação diagnóstica, em qualquer etapa, visa ao aperfeiçoamento dos alunos, professores e equipe pedagógica e pode, certamente, ter impactos muito positivos na vida acadêmica, familiar e social de cada um de nossos alunos. Nós, professores, ao auxiliar na resolução de quaisquer conflitos dessa ordem, teremos um aluno muito mais aberto para receber e construir seu conhecimento.

*Erika de Souza Bueno é coordenadora Educacional da empresa Planeta Educação e editora do Portal Planeta Educação.



Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins