Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Novo ministro e grandes desafios

Novo ministro e grandes desafios

18/03/2021 Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

Hoje, no lugar do número diário de mortos, o que mais impressiona é saber quantos morrem sem a devida assistência, à espera de um leito para internação.

Isso é demonstrativo de caos e da ineficiência de todos os métodos até hoje utilizados para o combate à pandemia. Esse quadro crítico coincide com a posse de Marcelo Quiroga, o novo ministro da Saúde.

Espera-se dele muito trabalho e pulso firme para implantar um parâmetro nacional de combate à pandemia, coisa que nos faltou até hoje em função do cabo de guerra em que a tarefa se transformou no momento em que governadores tradicionalmente oposicionistas e neo-oposicionistas identificaram a oportunidade de confrontar politicamente o presidente da República e, de alguma forma, tiveram o aval do Supremo Tribunal Federal.

O recrudescimento da pandemia e, agora, a falta de meios para atender aos adoecidos é problema de todos.

Não está na hora de procurar culpados, mas de buscar meios para evitar a mortandade na fila – aliás, um problema brasileiro preexistente à chegada da Covid-19.

Vemos alguns prefeitos tomando a frente e tentando resolver o problema conforme sua leitura do quadro atual de suas cidades ou regiões e entidades se movimentando para, se necessário, atuar supletivamente.

É o caso da Pró-PM, entidade de classe formada por policiais militares paulistas que, com recursos próprios, já adquiriu respiradores e faz campanha interna para conseguir outros que deverão reforçar as UTIs do Hospital Policial Militar.

Também encontramos empresários preocupados em, de alguma forma, participar do combate à pandemia e imunização de seus colaboradores.

Entendemos que a grande tarefa do novo ministro será a de compatibilizar os recursos, buscar outros e distribuir tarefas aos entes federados e a todos os que tiverem condição de participar da luta pela volta à normalidade sanitária.

É preciso correr com as vacinas, buscando-as onde quer que elas estejam disponíveis e aceitar a colaboração de todos que tenham estrutura para tanto.

É o caso dos empresários e principalmente das entidades empresariais que pretendem adquirir vacinas como forma de fazê-las chegar mais rápido à população. Já existem esquemas propostos para esse trabalho.

É preciso colocá-los em prática, pois já se verificou que no extrato dos vacinados com mais de 90 anos, embora sejam os mais vulneráveis, baixou o número de infectados e de mortes.

Na medida em que a vacina chegar às faixas etárias mais baixas, o fenômeno, com certeza, também nelas se fará presente.

A grande esperança é que o novo ministro tenha, além de autoridade e conhecimento técnico, o jogo de cintura exigido para o seu posto num país hoje convulsionado e amedrontado pelo coronavírus.

Que os detentores de algum tipo de liderança tenham a sensibilidade para compreender que num momento em que contabilizamos quase 3 mil mortes por dia só de Covid-19 é, pelo menos impróprio – senão frio e até desumano – perder tempo na discussão e montagem de candidaturas e estratégia para a eleição, que só acontecerá no próximo ano.

Se não ajudarem a eliminar a pandemia, os próprios supostos candidatos poderão não restar vivos na época das eleições…

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves é dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).

Para mais informações sobre ministro da saúde clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!



Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan


Roubos de credenciais desviam 15 milhões da União

Nos últimos dias, a imprensa noticiou o desvio de valores do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), do Ministério da Fazenda.

Autor: Diego Muniz


Escola cívico-militar, civismo e organização…

São Paulo teve o desprazer de assistir um grupo de jovens que se dizem secundaristas invadir o plenário da Assembleia Legislativa e parar a sessão com o propósito de impedir a votação do projeto, de autoria do governador, que institui a escola cívico-militar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves