Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O Brasil precisa de uma reforma administrativa

O Brasil precisa de uma reforma administrativa

16/03/2021 J. A. Puppio

A máquina estatal brasileira está com gastos acima de qualquer país do mundo. Os números apresentados não são mais suportáveis.

São 513 deputados federais, 81 senadores, cada um com seus 96 assessores, os quais país não aguenta pagar.

Não é o povo que está errado, afinal, aqui no Brasil não temos que lidar com catástrofes que demandem gastos dos cofres públicos como tsunamis, nevadas e furacões.

Então, o que faz com que nossa reserva de dinheiro seja sugada dia após dia são os altos salários e gastos que os políticos têm, isso tudo aliado à quantidade desnecessária deles no congresso.

Digo isso porque são 200 milhões de habitantes no Brasil, logo, a distribuição de cargos políticos deveria ser baseada na população, ou seja, a Câmara Federal não poderia ter mais do que 60 deputados, o Senado mais do que 20 senadores e o STF não poderia ter mais do que 3 Ministros.

Essa quantidade de representantes administrando os poderes públicos pode ser observada na própria China, que tem 2 bilhões de habitantes.

Outro ponto oportuno de se mencionar é que a maior nação do mundo, os Estados Unidos, hoje tem um imposto único 6%.

E eles têm metade da área agriculturável brasileira, o que é um ponto curioso visto que quem segura a estrutura da economia brasileira é o agronegócio.

Aqui no nosso País, o imposto único não poderia passar de 8%, sendo distribuídos 4% para o governo federal, 3% para os governos estaduais e 1% para os municipais.

Além disso, o nosso salário mínimo no Brasil deveria ser ao menos 70% do salário mínimo americano.

A conta é a seguinte: lá são 1500 dólares, então, os 70% são 1050 dólares, que atualmente equivalem a 5600 reais. Nesse total, o imposto cobrado deveria ser os 8% que venho mencionando.

Então, por exemplo, nessa lógica os salários dos políticos deveriam seguir a seguinte estimativa: O presidente da república não poderia ganhar mais do que 20 salários por mês.

O governador, 12 salários. O senador, 15. O deputado, 13. O ministro do supremo tribunal, 11. E os demais servidores públicos, 8 salários mínimos.

E para começar a reverter essa tragédia administrativa na qual nos encontramos hoje é necessária uma reforma nessas lógicas expostas até aqui.

Uma reforma que seja justa e coerente à sociedade e não para os políticos, que consomem bilhões dos cofres públicos todos os dias.

* J. A. Puppio é empresário e autor do livro “Impossível é o que não se tentou”.

Para mais informações sobre reforma administrativa clique aqui…

Fonte: Vervi Assessoria



Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan


Roubos de credenciais desviam 15 milhões da União

Nos últimos dias, a imprensa noticiou o desvio de valores do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), do Ministério da Fazenda.

Autor: Diego Muniz


Escola cívico-militar, civismo e organização…

São Paulo teve o desprazer de assistir um grupo de jovens que se dizem secundaristas invadir o plenário da Assembleia Legislativa e parar a sessão com o propósito de impedir a votação do projeto, de autoria do governador, que institui a escola cívico-militar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves