Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O cliente mudou. E sua empresa?

O cliente mudou. E sua empresa?

29/11/2012 Enio Klein

A tecnologia move o mundo. Em pouco mais de meio século, novas tecnologias transformaram o ambiente no qual vivemos de forma indelével. Esta transformação alterou a forma com que nos relacionamos em sociedade e a forma pela qual interagimos com o mercado.

Sejamos nós indivíduos ou empresas. No início dos anos 90 não havia o telefone celular. Dá para imaginar o quanto este pequeno dispositivo mudou a nossa vida e, consequentemente, nossos hábitos? O consumo é um hábito que muda na medida em que a sociedade se transforma, e nada mudou tanto a nossa sociedade como a combinação da informação com as telecomunicações.

Claro que estamos falando da internet e seus incomensuráveis impactos no nosso modo de vida. Não somos mais os mesmos e não nos comunicamos mais da mesma forma. Estamos mais perto da informação. Ficamos perto de centenas de pontos de venda reais e virtuais. Conhecemos características dos produtos, concorrentes e preços.

Estamos mais preparados e cada vez mais conscientes dos nossos direitos e do que podemos exigir de nossos fornecedores.  Seja no ato de comprar, seja no pós-venda. Este cenário nos faz crer que o mercado se movimentou na mesma direção e com a mesma velocidade, certo?

Errado. Não basta somente criar condições para que os clientes interajam com as empresas neste novo ambiente. Não se trata somente de publicidade, propaganda, comércio eletrônico e preços atrativos. É muito mais do que isso. Estamos falando das principais características do novo modelo: rapidez, flexibilidade, diligência no trato das questões do cliente e resposta rápida. As empresas em nosso país estão demorando a entender isso.

A resposta às questões ainda parecem estar no modelo tradicional, cercado de regras de proteção e prazos. Não são leis e regulamentos que irão transformar definitivamente as relações de consumo, mas a pressão competitiva. Empresas rápidas e empresas lentas.

Empresas que conhecem seus clientes e aquelas que não conhecem. Empresas que respeitam os clientes e as que não respeitam. Não porque as regras ou leis assim determinam, mas como condição para a sustentação de seu posicionamento e mercado. A relação de dependência e conveniência dos modelos anteriores está definitivamente quebrada. Cabe às empresas mudarem. O desafio permanece.

*Enio Klein, gerente geral nas operações de vendas da SalesWays no Brasil e professor nas disciplinas de Vendas e Marketing da Business School São Paulo.



Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.