Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Biometria: o futuro na ponta dos dedos

Biometria: o futuro na ponta dos dedos

25/09/2013 Marcelo Neves

A cada 15 segundos alguém é vítima de uma tentativa de roubo de identidade no Brasil.

Para diminuir esta estatística, países investem cada vez mais em tecnologias seguras que possam reduzir a fragilidade de seus sistemas.

Uma destas tecnologias, que tem sido mais difundida nos últimos meses e se mostra muito eficaz, é a biometria. Biometria é a técnica automatizada de medição de um traço pessoal ou característica física e sua comparação a informações previamente armazenadas numa base de dados para fins de identificação positiva de um indivíduo.

As técnicas de biometria, principalmente a impressão digital, há muitos anos vêm sendo utilizadas por governos e suas autoridades públicas ao redor do mundo no cadastramento e identificação de cidadãos. Sinais biométricos são gravados diariamente em bases de dados e também em documentos eletrônicos, como é o caso dos passaportes de muitas nações. Obviamente os registros nas bases de dados devem prover a vinculação dos sinais biométricos com as demais informações de cada indivíduo: sinais biométricos + dados biográficos + dados legais.

Com a massificação do uso dos smartphones e tablets, estes se tornam canais muito interessantes e atrativos para a geração de novos negócios. Hoje já existem dispositivos biométricos que se conectam externamente a smartphones, como leitores de digitais, de assinaturas e até mesmo leitores da íris para iPhone. Ainda é necessário que tais recursos de leitura biométrica sejam totalmente integrados, ou embarcados, aos dispositivos móveis, o que já começa a acontecer, para que tenhamos uma massa crítica interessante.

A Unisys atua no desenvolvimento de soluções integradas de segurança que contemplam tecnologias para captura, armazenamento e verificação de sinais biométricos, como impressões digitais, íris, foto, padrão de veias da palma das mãos etc. Uma dessas tecnologias, conhecida como Library of Electronic Identity Artifacts (LEIDA) é capaz de gerenciar todo o ciclo de vida de identidade biométrica, biográfica e legal de uma pessoa, desde a captura e geração da base de dados, garantia de qualidade baseada em padrões e normas internacionais de identificação biométrica, emissão de credenciais como smart cards e verificação da identidade, desde a consulta 1 para 1 onde verifica-se se uma biometria realmente corresponde a quem uma pessoa diz ser, até a consulta 1 para n, onde busca-se identificar uma pessoa contra uma base de 1, 10 ou centenas de milhões de registros.

Na ótica da gestão de pessoas e ativos nas empresas, o uso da biometria pode ser um forte aliado no controle de acesso físico às suas instalações e no controle de acesso local ou remoto às suas redes corporativas. Um exemplo é o controle de empregados e visitantes uma vez que torna mandatória a presença física nos pontos de verificação, não sendo mais obrigatório o uso de crachás e a lembrança de senhas e PINs.

Os pontos de verificação incluem os pontos de acesso lógico (estações de trabalho compartilhadas ou não, laptops, smartphones etc) e pontos de acesso físico (por exemplo, acesso ao data center da empresa). Todo ano a Unisys promove uma pesquisa em diversos países para avaliar a percepção dos cidadãos em diversos aspectos relacionados à segurança, gerando um índice nacional. O relatório deste ano indicou que 75% dos mais de 1.000 brasileiros ouvidos afirmaram confiar de alguma forma na capacidade dessas tecnologias biométricas para proteger suas transações financeiras.

Do total de participantes que expressaram confiança na utilização de recursos por biometria, 29% responderam estar ‘muito confiantes’. Quando o tema é segurança, torna-se fundamental desenvolver soluções integradas e convergentes de forma que as empresas possam habilitar o uso de tendências inovadoras ao invés de bloqueá-las, de modo a contribuir para o crescimento de receita, redução de custos e a criação de novos e lucrativos canais de transações comercias.

* Marcelo Neves é especialista em segurança e diretor da unidade de Tecnologia, Consultoria e Soluções de Integração (TCIS) da Unisys Brasil.



Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.