Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O gestor prudente

O gestor prudente

28/05/2019 Humberto Pinho da Silva

Conheci – já passaram algumas décadas – gestor considerado exemplar.

Sempre, que trabalhador era levado à sua presença, para ser repreendido, inteirava-se, primeiro, a influência que tinha entre os “seus”.

Após averiguações, obtidas facilmente, consultando “espias”, traçava a sentença:

Se era trabalhador, educado, cumpridor, e nada dado a politiquices, mas, infelizmente, por descuido, errara ou prevaricara, lançava, sobre ele, severa reprimenda, e castigava-o, com pena leve ou pesada, consoante a gravidade. Dizia ele, enfaticamente: “Era para dar o exemplo…”

Mas, se descobria que era influente sindicalista ou militante ativo de partido buliçoso, amaciava a voz, e aconselhava-o com prudência, concluindo: que tivesse cuidado, porque para a próxima, não sairia dali só com palavras amigas, mas com pesada pena.

Era prudente, como D. Afonso de Aragão, que sempre foi generoso com seus detratores. Certa ocasião – conta Manuel Bernardes – os amigos, estanhando a razão do insólito comportamento, inqueriram:

– Por que dá benesses a quem não lhe é fiel?

Ao que este respondeu:

– “Aos cães, dá-se-lhes sopa, para que não ladrem nem mordam.”

Assim agia o nosso astuto gestor, permeando, os operários, não pelo saber ou dedicação, mas pela influência política e amizades que contavam.

Havia na fábrica trabalhador, que por mais que se esforçasse, nunca era permeado por mérito. Bem via, com tristeza, que sempre havia recompensa para os que não sendo exemplares, eram membros de núcleos políticos, da empresa; mas, para ele, apenas haviam… promessas e mais promessas…

Cansado de esperar, assentou inscrever-se na secção decerto partido, e enchendo-se de coragem, deitou “faladura”. Todos ficaram estupefactos, e aplaudiram o neófito, que prometia lutar, defendendo os “seus”.

Soube atônito, o gestor, do sucesso. Mandou-o chamar, e com palavras mansas, declarou: que chegara sua vez, por ter sido leal e bom trabalhador…

Como o rei de Aragão, deu-lhe “sopa”, para que não viesse, depois, a ladrar… e morder…; até o promoveu por mérito! …

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



Gestão pública é o caminho contra a corrupção

A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974.


Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.