Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O obstáculo das emoções inibidoras

O obstáculo das emoções inibidoras

16/08/2013 Marlene Monteiro

“Qualquer que disser a este monte: ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito”. (Marcos, 11-23)

O uso da fé como elemento transformador dos desejos humanos em realidade tem sido, há séculos, o foco central das ciências esotéricas. Nos dias de hoje, esse uso permeia também as modernas técnicas da Programação Neurolinguística.

A citação com que iniciamos este texto deixa clara, pela boca do maior mestre de todos os tempos, a condição fundamental da eficácia da fé: “... e não duvidar em seu coração”. Jesus não menciona a dúvida racional, lógica, mas a dúvida no coração. Com isso, provavelmente, ele se referia à fé sentida, vivida com emoção. Esta é a palavra chave: emoção. De fato, tudo o que se consegue na vida é por meio da emoção como elemento vivificador da fé. E quando dizemos “tudo”, queremos referir-nos a tudo que nos parece bom e também ao que nos parece mau.

Por isso é recomendado que, ao visualizarmos aquilo que desejamos ver realizado, nós nos sintamos vivendo aquela situação. Entretanto, o que habitualmente se faz é viver e sentir a fundo as chamadas emoções “negativas”, não as “positivas”. Daí sucede que a maioria das pessoas vive mergulhada num mar de sofrimentos de toda ordem. Elas o criam pela fé recheada de sentimentos negativos. A fé negativa está presente em nossas vidas principalmente naquilo a que podemos chamar de “emoções inibidoras”.

Elas são frequentemente a memória de acontecimentos que nos humilharam, nos diminuíram, nos fizeram sofrer em algum momento de nossas existências, quase sempre em nossa infância. Assim, sempre que pretendemos realizar algo que exija de nós firmeza e ação decidida, elas nos inibem, travam-nos, impedem-nos de atingir nossos objetivos. Um exemplo que nos ocorre com frequência, por estar ligado ao nosso próprio ofício da Psicologia, é a dificuldade monstruosa que as pessoas quase todas têm de se apresentar em público.

Quando solicitadas, acessam suas emoções inibidoras, e estas geram efeitos de caráter fisiológico como tremores, suores frios, dores, pânico enfim. O resultado é um descontrole generalizado, que só pode conduzir ao insucesso. Na Oratória, como em todas as outras situações de nossas vidas, a solução está em eliminar essas emoções ditas “negativas” e mais: substituí-las por outras “positivas”.

Sentindo intensamente o que desejamos, vivendo em nosso coração com muito sentimento aquilo que julgamos bom para nós e para os que nos cercam, é assim que poderemos utilizar a fé criativa e, então, livres das emoções inibidoras, seremos capazes de realizar qualquer tarefa, mesmo que ela nos pareça tão gigantesca quanto mover uma montanha e atirá-la ao mar.

*Marlene Monteiro é Psicóloga, Psicoterapeuta e Hipnóloga, Master e Trainer em PNL, com certificação internacional, e membro da Comunidade Mundial de Programação Neurolinguística.



O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre