Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O papel da liderança nas ações de compliance

O papel da liderança nas ações de compliance

17/11/2022 Izabela Rücker Curi

Por que é importante termos nas empresas lideranças alinhadas com a ética e a transparência?

Sim, esse comportamento traz confiança para dentro de casa, com funcionários, diretores, stakeholders. Mais do que isso, e talvez ainda mais importante, solidifica a reputação — e também contribui para os negócios — fora de casa.

Pesquisa da consultoria Accenture, com 30 mil consumidores do planeta, mostrou que 83% dos brasileiros preferem comprar de empresas alinhadas com seus valores.

Quais valores? Ética, autenticidade, compromissos com a comunidade em que atuam.  A conclusão do estudo é de que companhias próximas a causas além de seus produtos e serviços atraem mais consumidores, são mais competitivas.

Nos últimos anos, ganharam força nas empresas as ações de compliance, para assegurar o cumprimento da legislação e a aplicação de princípios éticos na tomada de decisões.

Relembremos a diferença entre governança e compliance. Enquanto a governança trabalha para evitar conflitos de interesses entre todos os envolvidos com a corporação, o compliance busca estabelecer formas de garantir o cumprimento da legislação nos mercados em que a empresa atua. E, claro, as normas internas e princípios éticos da própria empresa.

Governança e compliance, como se vê, precisam andar juntos. Compartilham o mesmo fim: a ética, a integridade e a saúde do negócio.

Aqui entra a liderança, o encarregado pelo compliance nas empresas. Para garantir resultados, são necessárias autonomia e independência.

Mais que uma atividade operacional orientada para o cumprimento de regras contratuais ou legais, o compliance é um guia de princípios e valores que formam a identidade da organização, com foco em sua longevidade.

A liderança deve ser capaz de gerenciar riscos e relacionamentos com partes interessadas, internas e externas, como reguladores e terceirizados.

Ações relacionadas a gestão de risco, controles internos e sistema de conformidade devem estar fundamentadas em critérios éticos e esses critérios precisam estar refletidos no código de conduta da organização.

Controles internos podem e devem ser revistos com frequência, e atualizados. Os critérios éticos, enquanto isso, devem ser longevos, não imutáveis, claro, mas devem ser o GPS, o mapa e a bússola da empresa.

Dessa forma, recai sobre os ombros dos responsáveis pelo compliance a pesada missão de não se distanciarem desse mapa ético. Depois de qualquer falha, a retomada do caminho fica bem mais difícil.

* Izabela Rücker Curi é sócia fundadora do Rücker Curi Advocacia e Consultoria Jurídica e da startup Smart Law.

Para mais informações sobre compliance clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Literal Link Comunicação Integrada



O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder


O gato que caiu dentro das latas de tinta

Todas as histórias começam com Era uma Vez… A minha não vai ser diferente.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Apesar da polarização radical, brasileiros não abrem mão da Democracia

Desde as eleições presidenciais de 2018, temos percebido a intensificação da polarização política no país, com eleitores cada vez mais divididos.

Autor: Wilson Pedroso