Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O papel da transformação digital na aceleração da sustentabilidade industrial

O papel da transformação digital na aceleração da sustentabilidade industrial

10/03/2021 Craig Hayman

Além de marcar o início de uma nova década, 2021 representa uma virada significativa para indústrias em diversos setores em todo o mundo, e que começou com a crise global mais significativa em uma geração.

No entanto, apesar da aparente turbulência econômica causada pela pandemia, as empresas estão mais comprometidas do que nunca em resistir à tempestade e sair do outro lado com aspirações recém-descobertas para lidar com os problemas globais do dia.

Embora 2020 tenha sido o ano mais desafiador já registrado para a maioria das empresas, o esforço para se adaptar rapidamente ao 'novo normal' em constante mudança, as levou a aceleraram suas estratégias de transformação digital e, ao fazê-lo, abriram um mundo de possibilidades em relação à sua abordagem a mudanças climáticas, circularidade e energias renováveis, mas também em relação a transparência e a rastreabilidade das cadeias de abastecimento.

Para construir um mundo mais sustentável para todos, cada empresa deve fazer sua parte. As Nações Unidas apelidaram isso de Década de Ação, conclamando empresas e governos em todo o mundo a fazerem sua parte para cumprir os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

Nos últimos anos, começamos a ver essa narrativa influenciar os líderes da indústria em uma abordagem mais orientada para a sustentabilidade.

Na verdade, os CEOs de 2023 - ou 2026 - serão incrivelmente impopulares se continuarem a perpetuar o que alguns chamam de tática de "atraso deliberado", sem uma agenda de sustentabilidade para defender.

Com instituições como a ONU trabalhando duro para aumentar a conscientização, e as questões ambientais sendo agora prioridade para o público, as organizações estão ampliando suas ambições de sustentabilidade. O próximo desafio consiste em transformar isso em ação, e é aí que entra a tecnologia.

Revelando o potencial oculto

Como qualquer líder empresarial pode confirmar, para que uma organização ultrapasse seus concorrentes, ela deve encontrar novas eficiências operacionais.

Isso é feito por meio da aquisição de insights e da simplificação de suas operações para economizar tempo e custos. Mas e se os parâmetros mudassem?

Em vez de coletar dados com a intenção de simplesmente tornar as coisas mais rápidas, o que aconteceria se as organizações começassem a coletar dados para tornar as coisas mais rápidas e sustentáveis?

Ao incorporar a sustentabilidade a suas próprias estruturas de KPI, as empresas começam a mudar o dial e trazer um impacto material real ao meio ambiente, bem como melhorar seus resultados financeiros.

Enquanto setores como varejo e financeiro já estão bastante maduros digitalmente e bem versados no uso de dados para impulsionar a otimização, as organizações industriais estão apenas engatinhando.

Veja o caso da National Grid, por exemplo. Por meio da combinação de energia eólica, solar e nuclear, a empresa britânica está comprometida em fornecer a seus clientes energia de baixo carbono a preços acessíveis.

Em 2019, as fontes renováveis forneceram 49% da eletricidade da Grã-Bretanha, em comparação aos 43% gerados a partir de combustíveis fósseis.

A dependência de energias renováveis poderia ser maior, mas a National Grid enfrenta o desafio único de ter que lidar com um fornecimento notoriamente intermitente de energia eólica e solar.

Trata-se de equilíbrio delicado em que há uma sobreposição direta entre o serviço da empresa e suas metas de sustentabilidade.

Quando a National Grid começou a utilizar as soluções da AVEVA, a empresa ganhou acesso a uma tecnologia que lhe possibilita processar 1,2 milhão de pontos de dados em tempo real para atingir esse equilíbrio de forma mais eficaz.

Ao otimizar o tráfego de energia em tempo real, a National Grid pode atender melhor seus clientes e, ao mesmo tempo, diminuir sua dependência de combustíveis fósseis.

Uma década de mudança

Não há razão para que o lucro e o princípio não possam andar de mãos dadas. Tal como acontece com a National Grid, é perfeitamente possível que as empresas cresçam e aumentem os lucros, ao mesmo tempo em que ajudam a impulsionar a agenda de sustentabilidade.

Neste contexto, o Pacto Global da ONU representa um novo movimento que traz essa ideia em seu cerne.

Trata-se da maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo - é apoiada por mais de 12.000 empresas globalmente, incluindo a AVEVA - e seu objetivo é garantir os compromissos de sustentabilidade de CEOs e outros líderes de negócios em sua busca por um futuro mais sustentável.

* Craig Hayman é CEO da AVEVA.

Para mais informações sobre sustentabilidade clique aqui…

Fonte: GP Comunicação



Proliferação de municípios, caminho tortuoso

Este é um ano de eleições municipais no Brasil. Serão eleitos 5.570 prefeitos, igual número de vice-prefeitos e milhares de vereadores.

Autor: Samuel Hanan


“Vaquinha virtual” nas eleições de 2024

A campanha para as eleições municipais de 2024 ainda não foi iniciada de fato, mas o financiamento coletivo já está autorizado.

Autor: Wilson Pedroso


Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan