Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O papel da transformação digital na aceleração da sustentabilidade industrial

O papel da transformação digital na aceleração da sustentabilidade industrial

10/03/2021 Craig Hayman

Além de marcar o início de uma nova década, 2021 representa uma virada significativa para indústrias em diversos setores em todo o mundo, e que começou com a crise global mais significativa em uma geração.

No entanto, apesar da aparente turbulência econômica causada pela pandemia, as empresas estão mais comprometidas do que nunca em resistir à tempestade e sair do outro lado com aspirações recém-descobertas para lidar com os problemas globais do dia.

Embora 2020 tenha sido o ano mais desafiador já registrado para a maioria das empresas, o esforço para se adaptar rapidamente ao 'novo normal' em constante mudança, as levou a aceleraram suas estratégias de transformação digital e, ao fazê-lo, abriram um mundo de possibilidades em relação à sua abordagem a mudanças climáticas, circularidade e energias renováveis, mas também em relação a transparência e a rastreabilidade das cadeias de abastecimento.

Para construir um mundo mais sustentável para todos, cada empresa deve fazer sua parte. As Nações Unidas apelidaram isso de Década de Ação, conclamando empresas e governos em todo o mundo a fazerem sua parte para cumprir os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

Nos últimos anos, começamos a ver essa narrativa influenciar os líderes da indústria em uma abordagem mais orientada para a sustentabilidade.

Na verdade, os CEOs de 2023 - ou 2026 - serão incrivelmente impopulares se continuarem a perpetuar o que alguns chamam de tática de "atraso deliberado", sem uma agenda de sustentabilidade para defender.

Com instituições como a ONU trabalhando duro para aumentar a conscientização, e as questões ambientais sendo agora prioridade para o público, as organizações estão ampliando suas ambições de sustentabilidade. O próximo desafio consiste em transformar isso em ação, e é aí que entra a tecnologia.

Revelando o potencial oculto

Como qualquer líder empresarial pode confirmar, para que uma organização ultrapasse seus concorrentes, ela deve encontrar novas eficiências operacionais.

Isso é feito por meio da aquisição de insights e da simplificação de suas operações para economizar tempo e custos. Mas e se os parâmetros mudassem?

Em vez de coletar dados com a intenção de simplesmente tornar as coisas mais rápidas, o que aconteceria se as organizações começassem a coletar dados para tornar as coisas mais rápidas e sustentáveis?

Ao incorporar a sustentabilidade a suas próprias estruturas de KPI, as empresas começam a mudar o dial e trazer um impacto material real ao meio ambiente, bem como melhorar seus resultados financeiros.

Enquanto setores como varejo e financeiro já estão bastante maduros digitalmente e bem versados no uso de dados para impulsionar a otimização, as organizações industriais estão apenas engatinhando.

Veja o caso da National Grid, por exemplo. Por meio da combinação de energia eólica, solar e nuclear, a empresa britânica está comprometida em fornecer a seus clientes energia de baixo carbono a preços acessíveis.

Em 2019, as fontes renováveis forneceram 49% da eletricidade da Grã-Bretanha, em comparação aos 43% gerados a partir de combustíveis fósseis.

A dependência de energias renováveis poderia ser maior, mas a National Grid enfrenta o desafio único de ter que lidar com um fornecimento notoriamente intermitente de energia eólica e solar.

Trata-se de equilíbrio delicado em que há uma sobreposição direta entre o serviço da empresa e suas metas de sustentabilidade.

Quando a National Grid começou a utilizar as soluções da AVEVA, a empresa ganhou acesso a uma tecnologia que lhe possibilita processar 1,2 milhão de pontos de dados em tempo real para atingir esse equilíbrio de forma mais eficaz.

Ao otimizar o tráfego de energia em tempo real, a National Grid pode atender melhor seus clientes e, ao mesmo tempo, diminuir sua dependência de combustíveis fósseis.

Uma década de mudança

Não há razão para que o lucro e o princípio não possam andar de mãos dadas. Tal como acontece com a National Grid, é perfeitamente possível que as empresas cresçam e aumentem os lucros, ao mesmo tempo em que ajudam a impulsionar a agenda de sustentabilidade.

Neste contexto, o Pacto Global da ONU representa um novo movimento que traz essa ideia em seu cerne.

Trata-se da maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo - é apoiada por mais de 12.000 empresas globalmente, incluindo a AVEVA - e seu objetivo é garantir os compromissos de sustentabilidade de CEOs e outros líderes de negócios em sua busca por um futuro mais sustentável.

* Craig Hayman é CEO da AVEVA.

Para mais informações sobre sustentabilidade clique aqui…

Fonte: GP Comunicação



Aviso e anúncios nas redes sociais

Ao abrir, hoje, a minha rede social para ver as publicações de meus amigos, deparei, varado, com aviso, informando-me que certa matéria, colocada por mim, era parcialmente falsa.


Nexialista: o profissional plural do futuro ou de hoje?

Que o mercado de trabalho tem se transformado de forma cada vez mais acelerada, e o nível de exigência por profissionais talentosos é crescente dentro das empresas, todo mundo já sabe; não é verdade?


Onde a geração Z investe

O último Anuário de Retorno de Investimentos Globais do Credit Suisse, entre outras coisas, apresenta um raio-x de alternativas de financiamento para a Geração Z, aqueles que nasceram entre 1995 e 2000.


A CPI pariu um rato

Fosse hoje vivo, é o que Horácio, o pensador satírico romano diria sobre a CPI da Covid.


Como identificar um ingresso falso?

Com recorrência vemos reportagens abordando diferentes fraudes e golpes que aparecem no mercado.


A primeira visita de D. Pedro a Vítor Hugo

O livro: "Vitor Hugo chez lui", inclui a curiosa visita, realizada pelo Imperador, a 22 de Maio de 1877, ao célebre poeta.


São Frei Galvão, ‘Homem de paz e caridade’

A Igreja celebra, em 25 de outubro, a Festa de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, que na devoção popular é conhecido como “São Frei Galvão”.


CPI da Covid desviou-se e não sabe como terminar

Chegamos ao cume da montanha de inconveniências que povoam o cenário contemporâneo da política brasileira.


Sentimentos e emoções provocadas pela série “ROUND 6”

Nas últimas semanas estamos vivenciando uma série de críticas, comentários, “spoilers” e reflexões sobre a série sul-coreana de maior sucesso da plataforma Netflix: “Squid Game” ou “Round 6”.


Perdas e ganhos dos médicos “filhos” da pandemia

A maioria das situações com as quais nos deparamos na vida tem dois lados. Ou, até, mais de dois.


Defensoria Pública da União x Conselho Federal de Medicina

A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou Ação Civil Pública contra o Conselho Federal de Medicina (CFM), objetivando a condenação por danos morais coletivos no importe, pasmem senhores leitores, não inferior a R$ 60.000.000.00 (sessenta milhões de reais).


Diálogo em vez de justiça

Viver felizes para sempre parece ser um privilégio exclusivo dos casais formados nos contos de fadas.