Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O povo brasileiro está triste

O povo brasileiro está triste

11/08/2020 J. A. Puppio

Vivemos um momento único na história do Brasil. Passamos atualmente por uma crise sem precedentes.

Temos registros dos governos militares que na realidade implementaram um grande crescimento na economia, onde o povo brasileiro conseguiu crescer, pois o país conseguiu produzir mais empregos, mais estradas, mais indústrias e mais crescimento.

Nos anos 60, ao assumir o governo do Brasil, Castelo Branco conseguiu acelerar a economia, realizar alguns ajustes internos e até mesmo estabelecer uma reforma tributária, feita realmente por ‘tributaristas’, o que é de grande importância para esse feito.

Estabeleceu ainda imposto sobre valor adquirido (IMI e ICMS), iniciado com eficiência em 1967. Cito esse caso como um exemplo de administração eficaz e com poder de mudanças significativas.

Ou seja, um momento como este deve ser exaltado. É preciso o mesmo pulso firme e visão que houve nessa presidência.

Nesse mesmo período, a indústria pode crescer significativamente, o que é necessário para o Brasil, já que ela tem poder de empregabilidade e força no PIB.

E, assim como houve em outros momentos, incentivar a tecnologia e ciência nacional, pois ao longo de todos esses anos vem provando seu valor e capacidade de mudanças positivas tanto econômica quanto socialmente.

A crise causada pela pandemia mostra a fragilidade que vive o país e a falta de governança eficaz, já que há meses não temos ministro da saúde, mudanças bruscas ocorrem e desestabilizam a imagem do Brasil perante o mercado internacional, e ainda há uma “guerrinha” constante de ideologias, que só atrapalham a vida do brasileiro e o crescimento econômico.

Basta então saber, se os políticos querem o bem da nação ou apenas proteger suas ideias totalmente particulares. Neste momento de crise, só há espaço para decisões benéficas à população.

Os governos anteriores ao atual governo deixaram uma herança maldita que são 18 milhões de desempregados e 39 milhões que não possuem onde morar, além dos 16 milhões que não possuem água potável ou luz elétrica.

Mas quando verificamos, temos 60% do senado e câmara federal que são afiliados do governo que deixou esta triste herança, sendo que muitos políticos atualmente fazem o que podem para não deixar o governo atual funcionar.

Os exemplos estão nas centenas de desvios e roubos do dinheiro que o governo federal libera para os governadores e prefeitos, que na realidade vai para o bolso dos ladrões, isto é, desaparece e os mesmo continuam solicitando cada vez mais.

Assim o país não cresce o povo não pode ter dignidade de poder viver, deste jeito nunca chegaremos a lugar algum.

Na realidade nossos políticos antigos necessitam de uma completa reciclagem neste momento atual, eliminando: a corrupção, os desvios do dinheiro do povo se renovando por completo, sem “politicagem”, mas com inteligência, com trabalho honesto para assim podermos combater as dificuldades que vierem pela frente.

* J. A. Puppio é empresário, diretor presidente da Air Safety e autor do livro “Impossível é o que não se tentou”.

Fonte: Vervi Assessoria de Imprensa



A tragédia já foi. E agora?

Impossível não se sensibilizar e chocar com a situação do Rio Grande do Sul, atingido por chuvas sem precedentes que causaram inundações em grande parte do estado, da capital ao interior.

Autor: Janguiê Diniz


O preconceito que condena

O programa Fantástico da Rede Globo trouxe mais uma história de injustiça cometida pelo Poder Judiciário brasileiro contra um jovem preto e periférico.

Autor: Marcelo Aith


O risco de politização da tragédia no RS

O Brasil todo tem assistido, consternado, ao desastre ambiental que se abateu sobre o Rio Grande do Sul nos últimos dias.

Autor: Wilson Pedroso


Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O final de Abril e o começo de Maio foram marcados pelo pior desastre ecológico da história do Rio Grande do Sul, com inundações, mortes e milhares de desabrigados e de pessoas ilhadas.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O fim da reeleição de governantes

Está tramitando pelo Congresso Nacional mais um projeto que revoga a reeleição de Presidente da República, Governador de Estado e Prefeito Municipal.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques