Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O que a inveja desperta em você?

O que a inveja desperta em você?

26/04/2022 Monica Machado

Inveja é um sentimento de natureza humana que se caracteriza por ódio ou rancor em relação a algo de bom que o outro tem, e você não.

A inveja fere o narcisismo e pode levar ao desejo de atacar, “destruir” (literal ou metaforicamente) o objeto bom. A palavra vem do latim invidere (olhar - videre).

Não à toa se fala de “olho gordo”, “mau olhado” ou “secar com os olhos” para se referir à energia negativa que uma pessoa sente quando atingida pela inveja.

Variadas culturas acreditam que o símbolo “evil eye” afasta a inveja e protege a pessoa (por exemplo, o nazar ou “olho turco”, uma pedra arredondada azul com círculos concêntricos que lembram um olho).

Ao contrário do que muitos pensam, não há inveja “boa”. Inveja, por definição, sempre envolve um sentimento ruim, negativo, mesmo que não haja uma intenção consciente de querer o mal de alguém.

A inveja, muitas vezes, se mostra de modo sutil. Por exemplo, quando alguém faz pouco caso de algo que o outro tem de bom (como diz o ditado, “quem desdenha quer comprar”).

Normalmente, o sentimento é explícito para quem observa o cenário, mas não para o próprio invejoso, que pode não perceber de imediato que demonstrou inveja.

Redes sociais: ilusão de felicidade plena

Com as redes sociais, esse sentimento se torna ainda mais exacerbado. Afinal, o que mais se vê é o lado bom da vida das pessoas: família reunida, encontro com amigos, premiações/certificados, viagens, etc.

Quem está em uma situação ruim, seja financeira, no relacionamento com amigos e/ou familiares, ou mesmo em depressão; as postagens das redes acentuam a sensação de inveja e frustração.

Se você se sentir um fracassado ao ver os posts, se lembre que estas imagens de praias paradisíacas e festas regadas a champanhes caros só mostram um lado da moeda.

As mesmas pessoas que postam isso também têm problemas. Não há quem não tenha problemas. Não se iluda com o que vê na internet. A grama do vizinho nunca é tão verde como parece.

Além disso, não temos ideia do que cada pessoa passou para conseguir suas vitórias. Normalmente, só vemos o resultado final: a realização da conquista.

Mas não sabemos como foi sua trajetória até lá. Pode ter sido um caminho difícil, com muitos sacrifícios e desafios. Pois essa é a vida real de pessoas comuns!

É interessante notar que uma mesma situação pode provocar inveja em uma pessoa, mas não em outra. Isso quer dizer que a inveja se estrutura de modo diferente em cada um, conforme sua personalidade e dinâmica de funcionamento psíquico.

Por ser primitivo e intenso, é difícil de “domar” e até de admitir para os outros e para si mesmo. Mas se a pessoa conseguir reconhecer que sentiu inveja e entender que sempre haverá algo ou alguém que poderá despertar este sentimento, já será um passo importante para aprender a lidar com a frustração de não ser como o outro ou não ter o que o outro tem (seja algo material ou uma qualidade qualquer).

Com a aceitação, a pessoa terá maturidade para encarar a inveja como uma busca de melhoria. Ou seja, se você quer tanto ter uma determinada habilidade que o outro tem, sinta admiração e busque inspiração para tentar alcançar seu objetivo!

* Monica Machado é psicóloga pela USP, fundadora da Clínica Ame.C, pós-graduada em Psicanálise e Saúde Mental pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein.

Para mais informações sobre sentimento clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: FGR Assessoria de Comunicação



Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder